sexta-feira, 25 de março de 2011

Bolo de Maçã

Não importa o número de novos bolos e doces que se prova todo dia morando no exterior. Algumas coisas a gente sente falta. Por exemplo, mesmo hoje tendo à disposição 'n' possibilidades de café da manhã eu ainda prefiro meu café com leite e pão com manteiga. 

Passando pelo cozinha inúmeras vezes ao dia eu olho para a fruteira e vejo as maçãs que ninguém aqui na casa toca, me dá uma pena danada e nenhuma vontade de comê-las...que vergonha. Porém me lembrei que domingo a Louise vai ao supermercado religiosamente às 8 horas da manhã. É lóoogico que nas sacolas plásticas (que eu não consigo convencê-la de trocar pelas de tecido que comprei) virão inúmeros muffins, biscoitos e chocolates. Eu tô fugindo disso tudo principalmente dos muffins e vou contar o por quê.

Outro dia eu fiz um bolo de laranja e uma semana antes a Louise havia comprado muffins de milho verde. Pois bem, após mais uma semana, muito por causa do calor (e também porque eu não gosto de bolo dentro da geladeira) notei que o bolo de laranja já apresentava bolores na superfície. Como só tinha um pequeno pedaço, joguei tudo no lixo e os muffins continuavam intactos. Fiz outro bolo, esse de maçã do título do post. Pois o bolo depois de uns dez dias (já nos pedaços finais) já estava inconsumível...e os muffins intactos. Não é que por mais uma semana os muffins estavam lá, “heróis da resistência”? What? Não pode ser...daí que me veio na cachola “tem conservante aí misifíe”. Por isso evito. “Comer nunca mais” não posso dizer porque a minha cota de promessas quebradas já ultrapassou os limites permitidos. Tive uma idéia antes que a Louise vá ao supermercado...Me danei pra cozinha...

Bolo delicioso de maçã que eu peguei em um site brasileiro(desculpe não colocar o crédito – eu tenho essa receita há 15 meses e não consigo achar o site que eu peguei, juro!):

Ingredientes
• 1 xícara de óleo
• 4 ovos
• 1 xícara e meia de açúcar
• 3 maçãs (coloquei 4:P)
• Passas (odeio por isso não coloquei)
• 2 xícaras e meia de farinha de trigo
• canela em pó (eu coloquei 1 colher de sobremesa)
• 1 colher de fermento

• Modo de Preparo
1. Bater no liquidificador o óleo e os ovos
2. Acrescentar o açúcar, as cascas das maçãs e bater ( eu esqueci e bati tudo de uma vez)

Acredita que esse liquidificador custou 9 dólares?
3. Num recipiente separado peneirar a farinha de trigo, acrescentar o fermento e a canela.
Peneirar a farinha evita que se façam caroços de farinha.
 4. Junte as maçãs picadas em cubos e as passas e adicione a mistura líquida


Coloquei minha super-batedeira na velocidade 1/2 hehehe
é como misturar lentamente com uma colher de pau.
Enquanto eu fazia o bolo a Mabel, a gata daqui latia lá na varanda. Não digitei errado não! Em vez de fazer Miau Miau ela faz Aaaauuuuuu  Aaaaaaauuuu Aaaaauuuuu bem alto! A gente acha que ela tá ficando doidinha, também já tem 18 anos!

5. Coloque em uma assadeira untada e enfarinhada, levar ao forno ( eu deixei por 1 hora em 180ºC)

6. Limpe toda a sujeira

Já pensou se a gente tivesse uma varinha mágica? Batia na pia com ela
e "plim"...ficava tudo limpinho assim:

Ainda não achei a varinha pra comprar, limpei tudo eu mesmo :(
Descobri que essa é a melhor maneira de convencer a Louise de não comprar os "muffins envenenados". Agora o que eu faço com os biscoitos, sorvetes e os chocolates? Nãããããoooooooooooooooo!


Hummm yummi!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Acumulação Compulsiva

Outro dia eu estava assistindo TV de tarde (quer coisa melhor?) de pijamas e fui mudando os canais, porque não tinha nada de terrível bom para assistir até que achei algo interessante. O programa se chamava “Clean House” (casa limpa). A apresentadora, uma afro-americana engraçadíssima foi chamada para socorrer uma mãe e filha da sua montanha de coisas. Quando a TV filmou dentro da casa eu me rachei de rir da bagunça. Meu Deus! Gente doida, eu hein?
Lembrei do meu pai de uma pessoa que eu conheço que faz fazia algo parecido. Fiquei de boca aberta quando a câmera foi mostrando cômodo após cômodo. Não existia um espaço sequer para se viver dentro daquela casa. Só caminhos, como essas picadas que a gente vê dentro do mato sabe? Bom, essa era o fim da picada. Pense numa bagunça... Você nem de perto consegue imaginar o que eu vi e ouvi.

Niecy Nash apresentadora do "Clean House"
O objetivo do programa é ajudar essas pessoas bagunceiras a se livrarem de todo lixo acumulado por anos e colocar a maioria das coisas à venda. O dinheiro arrecadado vai parte para a reforma da casa e a maioria para instituições de caridade. Mas espera que o melhor ainda eu não contei.

À medida que as pessoas do programa foram convencendo a mulher a se desfazer do capacete Viking, da raquete de tênis, da fantasia de mulher maravilha (gente não é brincadeira não!) etc a mulher foi se enfezando. Quase no final do programa a mulher teve um piti fantástico e brigou com todo mundo por causa de coisas que ela não autorizou a venda e estavam no galpão de 1000m² lotados com prateleiras das coisas “só da casa dela”. Depois de "quase" tudo vendido a preço de bananas, o programa arrecadou 25 mil dólares. Imagina a quantidade de coisas que essa mulher possuía. Pra você ter uma idéia, sua filha de 18 anos que vive com ela nunca tinha entrado no bacement (porão) da casa porque ao abrir a porta, a montanha de coisas impedia a entrada. A mulher vinha acumulando coisas há décadas!

Bom, sei que a mulher brigou com todo mundo, rodou a baiana com saia de renda e bainha de 7 giletes. Sobrou pra todo mundo, até pra filha. Engraçadíssima, a apresentadora contornou a situação e ainda fez piada com a cara dela. O programa cumpriu o que falou mesmo após dona da casa ter recusado participar do revelação final. O programa arrumou a casa, pintou, trocou a mobília, ficou uma graça. Tudo o que a bich senhora não merecia.

Fiquei fã do programa e assisti vários outros episódeos. Não é que outro dia, de noitão, naqueles programas macabros da Discovery, falou sobre a síndrome de Hoarding? Síndrome do quê?? Foi isso que eu me perguntei. Daí caiu a ficha. A senhora do programa, na verdade tem uma grave doença.

Essa mulher sofre de “Compulsive Hoarding” ou “Acumulação Compulsiva”. Quem tem essa doença é chamado de "Hoarders". E eu que nunca nem tinha ouvido falar dessa doença!? Fiquei pensando que o mundo inteiro tá ficando maluco. Bom, não precisa dizer que a pessoa destrói a própria vida, relacionamentos, amizades e se afunda na pilha de jornais, garrafas plásticas e latas de atum. Porque um hoarder não consegue jogar nada fora e tem compulsão por comprar. Em um dos episódeos uma senhora de idade que já não tinha mais lugar para viver dentro de sua própria casa, comprou a casa do vizinho porque precisava de espaço para novas coisas. Que DUENÇA!?

Uma porcentagem alta de americanos (não lembro quanto foi dito) sofre dessa doença. E como essas coisas me fascinam (eu adoraria ser psiquiatra...) assisti o programa sem piscar mesmo morrendo de vontade de fazer xixi porque não queria perder um segundo sequer!

Me dá até uma coceira só de olhar essas fotos. Os programas são interessantíssimos e sinceramente é muito triste ver o desespero e a angústia de um Hoarder. Meu riso rapidamente se transformou em pena...

Hoarding Enterrado Vivo




Ô duuuênça!

 Quer saber mais sobre a Acumulação Compulsiva clique aqui

Veja o vídeo com Niecy Nash a americana engraçadíssima. Esse vídeo do YouTube é uma parte de um episódeo onde ela foi desentulhar a casa da própria mãe!


video

Dá uma olhada nesses vídeos assustadores!


terça-feira, 15 de março de 2011

Garage Sale

Segundo alguns americanos devia se chamar “Garbage Sale”(lixo em liquidação). Garage Sale siginifica liquidação de garagem. Sabe aquelas tralhas que a gente tem em casa e não sabe o que fazer pra se livrar? Bom, algumas dessas tralhas custaram um bom dinheiro então você se sente um idiota consumista jogando no lixo. Dar de presente também, às vezes, não é uma opção porque as pessoas que você gostaria de presentear não iriam gostar do objeto. As que apreciariam o objeto você é que não as aprecia a ponto de presenteá-las. Muitas vezes não queremos jogar fora e não encontramos alguém que queira a tralha. “Queremos”? Sim eu já vesti esses sapatos como dizem os americanos.

Uma solução brilhante é a Garage Sale. Geralmente nos finais de semana, quem está com a casa abarrotada de tralhas, não somente na garagem, mas também em outros cômodos, resolve fazer uma “Garage Sale”. Pega tudo aquilo que deseja se desfazer e faz uma mini feira no gramado ou mesmo em frente à garagem e acredite, tem gente que sai nos finais de semana à procura dessas liquidações. Eu mesmo adoroooooo!
Garage Sale na casa da Loes
Americano comprando roupas da Garage Sale. Essa camisa
em seu braço segundo ele era para o filho ir a uma festa!
Por exemplo, aqui no meu bairro de grife, Audobon Park, com suas ruas aborizadas e árvores centenárias, o que não se pode deixar de ter é uma bicicleta. A mais baratinha na Target custa 120 dólares e assim que cheguei já comprei uma. Meu amigo comprou outra mas quando temos visitas, sempre faltava uma bicicleta a mais para o visitante. O que eu fiz? Comprei uma antiga beach bicycle em uma Garage Sale por 40 dólares. Atualmente é a minha preferida.

Eu e minha beach bike em Audobon Park. Chique no último!
Você pode encontrar de tudo em uma Garage Sale, desde roupas usadas, sofás, poltronas, eletrodomésticos, enfeites, Cds, DVDs, livros, luminárias e uma infinidade de quinquilharias. Como diz o americano, o lixo do outro é meu tesouro. Ou será o meu lixo é o tesouro do outro? Whatever...


Roupas usadas da Garage Sale


No final de semana passado fui convidado a ajudar em uma Garage Sale da sogra do James, dona Loes. Uma senhora simpatissíssima de 73 anos (que parece ter 60) e que mora em uma casa abarrotada de quinquilharias. Só de entrar na casa dela, em si já foi uma aventura exploratória. Na mesa da sala de jantar havia umas 70 bonecas da sua coleção pessoal. Algumas delas foram expostas na Garage Sale mas sem interesse do público. Mesmo sendo vendidos a preço de bananas, alguns itens despertaram pouco interesse. Fiquei abismado de ver os carrões estacionando em frente à Garage Sale para comprar roupas usadas, gravatas, chapeis, etc. Foi um dia divertido.

Dona Loes de saia jeans e pantufas...não disse?
Da coleção de 130 bonecas essa foi posta para "adoção"
Mais divertido ainda foi conversar com Loes que desbafou comigo à respeito dos Portoriquenhos que estão tomando conta da Flórida. Ela disse: “I feel like a stranger in my own country”(sinto-me como uma estrangeira dentro do meu próprio país), reclamando que em muitos lugares portoriquenhos se negam a atendê-la em inglês e impõe a ela o espanhol. “Eu já estou muito velha para aprender uma nova língua. Se eles desejam viver aqui, porque não aprendem inglês?”. Loes é aposentada, mora em uma casa linda, sozinha em um bairro de classe média de Orlando.

Bairro onde Loes mora
Viagem que Loes fez ao Rio 25 anos atrás. Segundo ela, o guia (ao centro)
pediu que ela tirasse os anéis de ouro e disse "Eles cortam seu dedo
por esses anéis!" 25 anos atrás??
Loes trabalha 3 vezes por semana na Penny’s só por prazer ou como ela mesma disse “pra ter alguma coisa pra fazer, sabe?” Bebe vinho todos os dias, almoça e janta fora de casa, porque tem preguiça de cozinhar mas passa à ferro duas vezes todas as suas roupas, inclusive lençóis e fronhas, guerreira!! Convidei ela pra vir jantar um dia em casa ao que ela me disse “Ah, eu agradeço mas não dirijo após o pôr do sol”...e eu pensei “chiquérrima essa mulher” rsss

Quanto custaria uma dessas na Camicado?
Camisas por 1 dólar!

Fiquei imaginando a Loes nesse vestido de plumas rsss
Como uma só pessoa pode ter tantas gravatas? Todas pertenciam ao
filho de Loes.

"O lixo do outro é meu tesouro" - Fiquei torcendo pra ninguém comprar
porque ficamos a tarde inteira escutando o rádio e bebendo vinho
com refrigerante. :P

quarta-feira, 9 de março de 2011

É tudo pose, é tudo pose!


Talvez você seja como eu. Eu sempre gostei de dar risada. Mas confesso que é um pouco difícil me fazer rir. Tem que ser algo inteligente, uma sacada sutil tipo aquelas da extinta TV Pirata lembra? Nada de pastelão! Se você não é da geração TV Pirata pode ver alguns episódeos no Youtube. Infelizmente nunca será a mesma coisa pois as piadas eram relacionadas a comerciais de TV, novelas e filmes da época então todo mundo sabia do que se tratava. A TV Pirata saiu do ar poque a maioria do público não entendia as piadas. Isso em si  já é uma piada, mas eu me matava de rir.

Regionalizmo também me faz rir. Por exemplo, o sotaque e as caipirices no filme “O Alto da Compadecida”. De coisa assim que eu gosto.

Bom, mas estava eu na casa da Loretta (a Sra do último post), um pouco entediado e peguei um jornalzinho desses que chega pelo correio e comecei a ler para me distrair. Comecei a rir sozinho mas parei porque o assunto na sala era sério. Virei a página e comecei a rir de novo. As pessoas da sala ficaram olhando pra mim como seu eu fosse completamente maluco. Ria sozinho olhando algumas imagens de invenções americanas. E quando eles pediam para eu explicar do que eu estava rindo, eu mostrava a figura. Quando eles não viam a graça aí que eu ria mais ainda. O fato de eles acharem completamente normal e nada de ridículo tornava a coisa ainda mais engraçada e interessante.

Ah se a TV Pirata ainda existisse! Eles fariam uma série com esses recortes. Bom, eu tinha que compartilhar, colocar no blog. Eu admiro gente que coloca o conforto em primeiro lugar e está pouco se lixando com a moda ou a aparência. Assim são muitos americanos por aqui. Você vê gente de pijamas e pantufas no posto de gasolina. Mulher de saia justa, meia fina e tênis. Às vezes de maquiagem, cabelo com penteado e moletom. Pais de família no supermercado com a camiseta mais confortável que se tem, com aquela manchinha de cândida ou mesmo um furinho. Eu olho tudo isso, meus lábios sorriem e por dentro eu rio. Na verdade eu rio de mim e de outros que dão tanto valor à aparência que sacrificam o conforto, o bem estar, às vezes a coluna, os pés, a cintura e por aí vai...Foi nisso que pensei quando vi esses anúncios. Pode ser engraçado e até ridículo. Mas me peguei pensando no oposto e lembrei-me do Lobão que cantou: “É tudo pose, é tudo Pose!”

Abaixo de cada imagem coloquei alguns comentários

Abs!


Destaque para o varal para bacon de microondas. O recipiente embaixo é para a
gordura que desprende do bacon. por incrível que pareça funciona e eu acho
que o bacon deve perder metade das calorias. Gostei também do silicone para
não queimar a borda de tortas.

Travesseiro para pés. Cobertor com mangas e alargador de cintura para
aqueles que exageraram nas calorias! :P

Pra quê usar uma camisa por baixo não é mesmo? Camiseta
"Não posso ouvi-lo A idade tem suas vantagens"
A bolinha verde pra colocar dentro da secadora eu quero! Tira as rugas das roupas!



Gente parece que o homem está sorrindo dentro de uma bacia. Você viu
a feição "sem pulseira" e com insônia. "Com pulseira"dormindo feliz.
A haste para papel higiênico é hilária. Calçador de sapatos com haste
para não se curvar...

Cofrinho é boa. Acento giratório para automóveis, será que funciona? "The Squeezer" vai
salvar muitos casamentos. Pra que alguém iria querer contar os passos?

Pra quem não sabe o que fazia com o rabo agora já tem a solução! :)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...