quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Morar em Orlando


            Em Outubro de 2014 eu escrevi este post sobre Investir em Orlando. Neste post eu expliquei muitas coisas sobre o mercado imobiliário americano que, alguém que pensa em investir em Orlando, precisa saber antes de investir.

      Principalmente depois das eleições no Brasil e a vitória do PT, aumentou consideravelmente o número de emails de pessoas interessadas em vir a Orlando para uma longa temporada, ou mesmo para ficar definitivamente. Embora eu saiba algumas coisas, saiba o leitor que, como corretor eu não posso dar informações sobre imigração. 




 Para estes assuntos é preciso:

1- Muita pesquisa

            A pessoa já leu o site da embaixada dos EUA no Brasil, principalmente a seção "imigração" inteira? Sabe todos os tipos de visto e talvez qual se encaixe melhor na sua situação? Já visitou blogs e sites de imigração? Já leu livros de quem veio e registrou o caminho? A grande maioria esmagadora que me procura não fez pesquisa. Simplesmente repete o que ouviu de fulano ou ciclano ao qual perguntou sobre o assunto. Sabe aquela brincadeira de telefone sem fio? Quando a história chega até mim já está completamente distorcida e misturada.

            Também quem deseja procurar emprego nos EUA, pouca pesquisa fez. Acha simplesmente que é só mandar um curriculo para uma empresa americana. Uma pessoa com esse desejo precisa pesquisar vezes 2.

            Este blog tem vários posts sobre estudar nos EUA, imigração, carteira de motorista, etc. É só digitar as palavras chaves na caixa de pesquisa.

Eu montei um livro de pesquisas sobre os EUA quando morava no Brasil que tinha quase
1000 páginas impressas, lidas e marcadas com anotações. 

2- Consultar os respectivos profissionais de suas áreas.

            É imprescindível a consulta com um advogado de imigração se o desejo é emigrar. Ele é a autoridade, não eu, o vizinho ou mesmo alguém que fez pesquisa no assunto. Só ele vai poder dizer que tipo de visto se aplica em cada situação. Perguntas sobre impostos, abertura de empresas, é preciso consultar um contador e assim por diante. Agora se o assunto for bairros e imóveis, aí sim eu sou a pessoa indicada para o assunto.

            Algumas perguntas, nem o advogado ou o contador saberão te responder. Por exemplo, como validar um diploma de arquitetura nos EUA? Neste caso, a pessoa precisa pesquisar bastante pois é muito provável que alguém já fez e registrou na internet. Aliás, por curiosidade, eu digitei no google "como validar diploma de arquitetura nos EUA" E o resultado foi 47.200 entradas. Tem que pesquisar e não ficar procurando respostas prontas de outros. Informação errada pode custar muito dinheiro ou mesmo estragar todo um processo de imigração... Acredite!

            E quais são as minhas credenciais para ajudar o cliente brasileiro a comprar um imóvel em Orlando? Eu vivo em Orlando desde 2009. Já desempenhei trabalhos em diversos cantos da cidade, já visitei diversos bairros e cidades ao redor e acima de tudo eu sou pesquisador. Até o momento, desde que me tornei corretor, já vendi 31 propriedades em pouco mais de um ano, ou seja, já passei pelo processo inteiro 31 vezes e todos os meus clientes estão satisfeitíssimos.

Além de ser corretor licenciado na Flórida eu sou também Realtor
membro da associação dos Realtors uma entidade com alto código
de ética de trabalho nos EUA. 

Imóvel para Morar ou para Férias?

            Um típico email que eu recebo de clientes brasileiros começa assim: "Olá Renato, meu nome é (...) e eu moro no Brasil. Queremos adquirir um imóvel em condomínio fechado em Orlando que possa alugar para temporada e que tenha boas escolas ao redor pois nos foi informado que as crianças só podem estudar na escola do bairro onde vivem". Aí vem a cereja do bolo: "Nosso orçamento é entre 50-100 mil dólares. Ouvimos dizer que Dr. Phillips e Windermere é bom. Pode nos ajudar?"

            Claro que posso, mas meu papel é também o de educar o cliente que só conhece a "Orlando turística" e não sabe como funciona o mercado imobiliário nos EUA.

            Em primeiro lugar, não é todo lugar aos arredores dos Parques Temáticos que é permitida a locação para temporada. A cidade de Orlando não permite a locação de temporada, com duas exceções somente. Dois condomínios que realmente nem vale a pena citá-los. Somente Kissimmee, Clermont e Davenport permitem o aluguel de temporada SE o imóvel não estiver em um condomínio residencial que tenha restrições de aluguel. Então, mesmo em Kissimmee, Clermont e Davenport (próximo aos parques da Disney) existem também condomínios que não permitem aluguel de temporada. Então, encontrar uma casa de férias que possa alugar por temporada em Dr. Phillips e Windermere, ou mesmo Orlando é impossível.

Condomínios com portaria como o Keene's Point em Winderemere não permitem
locações de temporada. Casas entre 490 mil e 4 milhões de dólares.

            Em segundo lugar, as melhores escolas localizam-se em lugares como Orlando, Winter Park, Winter Garden e Windermere, Lake Nona além de mais alguns outros lugares da região. Nenhum destes lugares permite a locação "short term" ou temporada. Portanto não dá para conciliar a casa de férias e aluguel de temporada com boas escolas. Geralmente nas áreas turísticas e de locação de temporada as escolas públicas americanas são abaixo da média.

            Dito isso a pessoa precisa decidir. Imóvel bem localizado, em bairros com boas escolas ou­ imóvel para férias e locação? Uma vez decidido isso vamos ao último ponto.

            Não há imóveis em bons condomínios, bons bairros, com portaria, por 50-100 mil dólares. Poderíamos resumir assim:

10 a 50 mil - Bairros abaixo da linha da pobreza (Escolas F)

51-100 mil - Bairros pobres e classe média baixa (Escolas D e F)

101-200 mil - Classe média baixa e classe média (Escolas C e D, talvez B)

201-300 mil - Classe média e média alta (Escolas B e C)

300-500 mil - Classe média alta (Escolas A e B)

500 e acima - Classe média alta e ricos (Escolas A)

Há poucas exeções...Mesmo em um bairro de classe média que tenha escola A a população que frequenta a escola talvez não seja das melhores, infelizmente. 

Eu achei esta imagem fantástica no Google images. Basicamente descreve Orlando e região.
Legenda:
Where should I live?: Onde eu deveria viver
Suburbia: Subúrbio onde se tem casas maiores, tranquilidade e menos agitação
Super rich people: Pessoas super ricas
Robberies & Poor People: Roubos e pessoas pobres
College Kids Safe Cheap: Jovens de faculdade, seguro, barato
Place to get shot: Lugar para tomar um tiro (Aonde fica o Florida Mall e Millenia Mall)
Disney Crap: Porcaria Disney
White People: Pessoas brancas (??)
Suburbia safe: Suburbio seguro, acessível $$$
Run down & Drugs: Ladeira abaixo e drogas (principalmente Poinciana)


            Portanto agora fica um pouco mais fácil de saber o motivo de um imóvel custar somente 45 mil dólares. Pode até ser uma mobil home ou um trailler em uma comunidade de mobil homes ou de traillers. Como se vê nos filmes. Eu não viveria em uma área assim a menos que não tivesse escolha. Orlando tem crime sim, tem roubo, tem violência doméstica, rapto, etc. Embora em uma escala infinitamente menor do que no Brasil, existe sim aqueles que não querem trabalhar e acreditam que tirar dos outros dá menos trabalho. Aliás eu não entendo a cara de espanto quando eu digo a alguns clientes que em um bairro de casa de 50 mil há crime. Alguns acham que nos EUA não existe crime.

            E porque só há boas escolas em bons bairros? Pelo fato de que 51% do IPTU das residências vai diretamente para as escolas dos bairros. As residências pagam de 1-2% do valor do imóvel em impostos para o governo. Um bairro de extrema pobreza não contribui muito para a escola. Mesmo que a escola fosse boa, que tipo de indivíduos frequentam esta escola? Certamente não é o tipo de indivíduos que gostaríamos que tivessem amizade com nossos filhos.

Escola A em Windermere

            Condomínos com portaria que aqui chamamos Gated Community começamos achar, em boas áreas, a partir de 150 mil dólares.

         E o que você sugere Renato? Eu sugiro a família decidir qual é o objetivo do investimento primeiro. Férias? Morar? Os dois? É possível os dois? Há uma possibilidade. 

            Em vista dos preços ainda estarem baixos em comparação a antes da crise de 2008, muitos queriam investir agora mas não podem se dar ao luxo de ter o imóvel fechado até uma possível mudança em 1 ou dois anos. Neste caso eu aconselho a comprar um imóvel de férias em um resort perto dos parques da Disney. Principalmente se o condomínio está em lançamento e com casas novas. Em uma futura mudança, a renda que este tipo de imóvel oferece, é suficiente para pagar as despesas dele próprio e também um aluguel para a família em um bairro "residencial" com escolas B e A. Mas saiba que, nem todo imóvel vai possibilitar a concretização deste plano. Quanto menor o imóvel, menor o investimento menor o lucro anual e vice-versa.

               Se a família deseja se mudar definitivamente há com certeza áreas residenciais que são tudo o que a família aspira quando pensa em mudar para os EUA.

Casa em resort fechado em Kissimmee que permite locação para temporadas.
Esta casa possui 5 suites, USD 419,000.00
Bancos americanos podem financiar 60% do valor para estrangeiros
em 30 anos com juros simples de 4-5% ao ano, se o cadastro for aprovado. 


            Para saber quais os melhores condomínios para aluguel de temporada e os melhores lugares para se viver em Orlando faça uma consulta comigo no renato@drimproperties.com e por favor, seja ético, trabalhe somente com um corretor. Nos EUA todos os corretores podem vender todos os imóveis disponíveis. Se não estiver contente com seu corretor, avise-o e troque de corretor. Não trabalhe com 2 ou 3 corretores ao mesmo tempo. Esta pode ser uma prática comum no Brasil, mas nos EUA é considerado quase uma fraude e muito provavelmente, porque as pessoas conversam aqui nos EUA, todos ficarão sabendo do fato. 

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Aguente se Puder - 10 Maus hábitos dos Americanos



            Depois que minha amiga virtual Ana Fonseca escreveu no Brazil com Z os 10 maus hábitos dos holandeses (que eu compartilhei no Facebook), eu fiquei pensando que é que me irrita aqui nos EUA. Não vou mentir, porque se você é leitor do blog sabe de uma coisa a meu respeito. Sou muito sincero sem ser mal educado. Se fosse para fazer esta lista do Brasil, era fácil. Ah se era...Até quem defende o Brasil nas redes sociais fala mal e se irrita constantemente. Outro dia um leitor do Facebook disse "que os que ficam no Brasil em vez de emigrar, estes sim são os inteligentes", então nós aqui que viemos, trabalhamos, ralamos, estudamos, nos formamos, montamos empresas, ficamos bem de vida, ajudamos outros brasileiros e temos americanos trabalhando para nós, somos todos burros. Quem decide imigrar para outro país "não é inteligente". Esse amor cego ao Brasil seria a primeira coisa mais irritante na minha lista.

            Então fiquei pensando o que me irrita aqui. Algumas coisas são muito claras, irrita mesmo, mas no geral a sociedade é bem educada, bem organizada e pra quem já nasceu, cresceu e viveu no Brasil não há muita coisa a reclamar. Mas eu achei dez aí que vou compartilhar com vocês. Eu coloquei na ordem que eu acho que mais irrita. Lembre-se: Não é uma regra geral mas uma coisa facilmente observável. Claro que muita gente que não faz nada da lista e há sim generalizações, etc. Vamos combinar uma coisa? Esse texto não tem como objetivo ser uma dissertação de doutorado ok? 

1- Arrotar na mesa ou em público.
            São poucos os americanos que arrotam por exemplo, em um restaurante. Mas se vê sim! Entre a família é comum. Eu já tentei de tudo aqui em casa. Cara feia, cara de nojo, ironias do tipo "como você é educado...??" etc. É um hábito que não sai, não tem jeito. E irrita demais! Vê-se pessoas de idade arrotando nas ruas de vez em quando. 


Em alguns restaurantes eu já vi sinais como este. Pra você ver que
a coisa é séria...

2- O desperdício.
            Em um país rico com abundância de quase tudo e tudo custando muito barato as pessoas não dão o devido valor às coisas. Como já disse anterioremente, se estão com frio ligam o aquecedor. Depois de 1 hora, ficou quente demais, ligam o ar condicionado. Ninguém põe blusa ou abre a janela. Uma pessoa vai fazer um café só pra ela e faz a cafeteira inteira. Toma duas xícaras e joga o resto fora. Você já assistiu ao filme "Little Miss Sunshine?" No começo do filme a família abre um pacote de saladas, quase ninguém toca nela e o pai joga tudo no lixo. É assim...Aqui em casa, toda comida de final de semana se faz como se fosse para 10 pessoas. Somos em 3, o resto vai tudo para a geladeira e para o lixo 5 dias depois. Eu já falei mil vezes. A desculpa é "ah eu não sei cozinhar para poucas pessoas" Hrrrrrrrrrrrrrrrr


Tradução: Uma família comum americana joga fora 10kg de comida
no lixo por mês! 15% de redução daria para alimentar
25 milhões de americanos por ano.


3- A maldita televisão.
            O americano é simplesmente hipnotizado por este aparelho. Não é incomum sentar na frente da TV de manhã, só levantar para ir ao banheiro, pois se come na frente da TV mesmo, e só sair de lá para ir dormir. Até mesmo em reunião de família se liga a TV e ficam todos olhando pra ela. No Natal aqui eu não aguentei, levantei, desliguei a TV na cara das 13 pessoas na sala e disse "We're gonna have to talk to each other" (nós vamos ter que conversar entre nós). A família só se encontra uma vez por ano e quando estão juntos vão ficar assistindo TV? Coloquei em uma estação de músicas de Natal e disse: "Let's talk!" Vamos conversar! Alguns não gostaram como o Robert e a Louise, mas cara feia não me intimida.



4- A sujeira dentro de casa...
            Como eu disse no post sobre as 100 curiosidades americanas, as casas dos americanos são impecáveis por fora, mas por dentro não é bem assim. Eu já entrei em casas impecáveis. Por exemplo, na época de faculdade, eu pintava apartamentos. Peguei um apartamento de uma executiva, solteira, de uns 40 anos que não tinha empregada. O apartamento dela era limpíssimo! Mas é a exceção, geralmente...Por isso você vê na TV a toda hora produtos e aparelhos que prometem reduzir para 1/10 o tempo que se "perde" limpando a casa. Eu sei que o que eu vou dizer vai ser chocante. Mas eu já entrei em casas de diversos americanos que não limpavam suas casas há anos... Você já entrou em um banheiro 2 anos ou mais sem ser limpo? Eu já, em vários! O alto custo de se ter uma empregada ou faxineira aqui também contribui para esse fato. 

5- O carro e o telefone celular.
            Páre no farol e observe os carros que cruzam. Oito entre 10 estão com o telefone nas mãos, é incrível! Embora somente este ano na Flórida foi propibido digitar mensagens e dirigir ao mesmo tempo, se vê todos os dias em todos os lugares. As pessoas prestam menos atenção, diminuem a velocidade, perdem o farol aberto pois não estão olhando pra frente, etc, etc, etc...


O pior disso tudo é que por causa do celular inúmeros acidentes
fatais acontecem nos EUA todo os anos. 

6- A informalidade na vestimenta.
            Eu acho nobre eles não se importarem com o que os outros pesam deles. Mas vamos combinar que até um certo ponto não? Bermudas e chinelos havaianos na formatura da faculdade? Camisa com manchas de cândida e furos na festa de Natal? Camiseta regatas no restaurante fino? Pijamas no supermercado? Aliás, saiu uma pesquisa que o homem americano só lava seu pijama a cada 13 dias e pasme, as mulheres a cada 16 dias! E quanto mais pobre pior fica...


Foto da minha formatura em 2013. Esse sujeito foi de chinelos tipo havaianas e
ao receber o diploma estava descalço. Alías o traje dele era bermudas e
regatas por baixo da beca. 


7- A falta de jogo de cintura.
            Eu não estou falando de jeitinho brasileiro. Mas de situações onde alguma mudança beneficiaria a muitos, mas segue-se ao pé da letra o que está escrito no manual. Não pode mudar, porque há um medo de que algo dê errado e más consequências sejam o resultado. Por exemplo: O rapaz que está na escada colocando as cortinas, não pode trocar uma lâmpada para você porque ele não é eletricista. A empregada que tem que sair da casa se houver um bebê dentro e a mãe precisa ir ao posto de gasolina por 10 minutos. Os montadores de móveis que não podem te dar um parafuso para você usar em uma outra mobília que não é da mesma loja que eles trabalham. Você não pode dar um cheque para alguém pagar alguma coisa, mas enviar pelo correio pode. Por exemplo, para pagar mobília para o cliente, somente eu posso ir pagar com cheque, minha assistente não pode levar o cheque na loja pra mim, mesmo o gerente da loja me conhecendo pessoalmente, sabe meu nome e já comprei lá mais de 200 mil dólares em mobília para diversos projetos. Cada dia aparece uma.

8- As pessoas que se aproveitam das leis.
            Tem uma raça desgraçada que tem um nhênhênhê insuportável. Aqueles que não querem trabalhar porque são minoria, porque são pobres, imigrantes, brancos, negros, hispanos, cubanos, dominicanos, portoriquenhos, indoutos, mães solteiras, porque são índios e a lista vai. Porque não se vêm chineses, portugueses ou até mesmo brasileiros reclamando que têm que ser atendidos em chinês ou português? Que querem o cheque do seguro social? Que querem food stamps? Que querem bolsa 100% na faculdade?  Que querem ganhar um A sem ter que fazer o trabalho ou a lição de casa? Porque arregaçam as mangas e vão trabalhar. Dão um chega pra lá nas adversidades e não esperam nada de ninguém. Ao contrário, tem um certo tipo de indivíduo que fica pesquisando as brechas na lei e os benefícios que podem tirar dela. No Youtube há vídeos de mães ensinando jovens moças a como fazer para ficar no Wellfare (bolsa família) pelo resto da vida sem trabalhar! Há gerações desde a avó até a neta que estão no wellfare. Eu presenciei na minha sala de aula, VÁRIAS vezes afro-americanos que chegavam atrasados, que não faziam lição, que não faziam trabalho NENHUM, que dormiam na sala de aula, que "colavam" e quando chamados à atenção diziam à diretoria da faculdade que estavam sendo discriminados porque eram negros!? E sabe o que acontecia com eles? Nada, absolutamente nada, passavam de ano porque ameaçavam processar por discriminação. Eu não estou falando de discriminação real, que com certeza deve ser punida, mas sim dos indivíduos que usam isso para obter facilidades ou o que quer que possam conseguir sem ter que fazer qualquer "trabalho".

9- Comida apimentada e sem tempero.
            Quando eu não sabia nada dos EUA dizia que os americanos colocam pimenta na comida para disfarçar o gosto dos produtos químicos e industrializados. Que nada...o americano adora pimenta mesmo. Até mesmo em reuniões de família é preciso avisar com antecedência se você não suporta pimenta. No restaurante você diz que não quer nada com pimenta e mesmo assim a comida vem apimentada, pelo fato de que, muitos dos molhos já preparados continham pimenta. Você acaba se acostumando um pouco e cria uma certa tolerância depois de um tempo, mas certos pratos em certos restaurantes não é possível se comer. É preciso pedir NO PEPPER PLEASE!
            Nos restaurantes "bons" e quando digo bom, excluam-se os fast foods e os "chains" da vida como Red Lobster e Olive Garden, as comidas geralmente são temperadas. Mas nas casas dos americanos geralmente é só sal mesmo. Por exemplo, aqui em casa, antes de eu chegar não se tinha na geladeira cebola, alho, salsinha, coentro, pimentão, tomates só pra colocar na salada e outros temperos. O molho de tomate, tirava-se da lata ou da embalagem longa vida e só se colocava sal e pimenta. Hoje eles já colocam cebola, alho, salsa e outros temperos. Se quiser dicas de bons restaurantes visite esta página aqui.


Eles adoram pimenta...


10- O comer demais.

            Não precisa dizer que os pratos nos restaurantes são enormes. Geralmente para brasileiros que comem pouco dá para duas ou três pessoas. Eu fico chateado, até mesmo um pouco triste quando vamos comer fora e o Robert e a Louise recebem um prato gigantesco e comem tudo. Não faz bem...
Principalmente para a Louise que já tem uma certa idade e é obesa. Eu geralmente como metade do prato, peço uma box e se eu ver algum morador de rua dou para eles. Senão vai pra casa eu como no almoço do outro dia. No país da comida barata e abundante, a luta contra a balança faz parte da rotina de quase todo indivíduo.



Isso pode ser um café da manhã para uma pessoa só!

Um prato de jantar (geralmente por volta das 18hs)

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

O Último Projeto de Design e Decoração...Por um tempo :-)

            Os últimos 6 mêses foram de trabalho intenso. Alguns dias eu trabalhei das 7 da manhã à meia noite e porque? Porque eu estava executando duas funções. Corretor de imóveis e Arquiteto de Interiores (decorador é a sua mãe!) rssss
Brincadeiras à parte, não é fácil projetar interiores e decorar uma casa. Alguns acham que é uma delícia. Não me entenda errado, eu sou apaixonado por design, mas a maioria dos projetos tem orçamento apertado (os clientes já tiveram que pagar pelo imóvel 2,7 vezes mais por causa do câmbio), tempo curtíssimo e muitas expectativas. Há clientes fáceis e difíceis...

            As listas de compras podem chegar a 10 páginas de um caderno. Vai-se e volta-se à mesma loja várias vezes. Há uma centena de coisas que podem dar errado e acredite...dá errado sim. É colcha que vem com defeito, é móvel que vem riscado, quebrado. Tem parede que não fura, painel de cortina que vem mais curto, etc, etc, etc. Ou eu faço uma coisa ou outra. Infelizmente agora não dá pra levar as duas profissões. Com uma carteira de 450 clientes brasileiros e uma agenda com espera de 1 semana, não dá pra parar para fazer design de interiores. A não ser que eu aumente a porcentagem de lucro para poder pagar uma equipe para executar.

            Por este motivo este é meu último projeto de design por algum tempo até que eu possa me organizar melhor, ter uma equipe que eu confie e execute as coisas sem causar problemas. Nesta casa, alugamos uma Van para compras. Foi um dia inteiro dentro de lojas e quase 7 horas para descarregar e colocar tudo no lugar. E não é fácil quando seu braço direito (minha assistente) está grávida de 36 semanas. Mas o resultado foi muito bom e aqui compartilho com vocês. Mais uma casa de aluguel de temporada em Kissimmee (ao lado da Disney) que será colocada e anunciada aqui no blog para locação. Este cliente foi o mais fácil de todos. A única exigência dele foi: "Quero uma casa Americana". Casa igual às do Brasil ele já tinha :-)

Tudo começou com a instalação das molduras em meia parede
chamadas aqui de wainscoting. Também em conversa
com o cliente decidimos pintar a casa inteira pois a Lennar
entrega a casa em uma cor tipo "sorvete de milho"
sinceramente...




Paredes e molduras pintadas já esperando a chegada
de móveis para a residência. 





Cada quarto tem uma cor diferente.
A pedido do cliente que queria uma casa "americana"
optei por cores mais escuras e contraste alto
(típico de casas americanas)

Aqui você pode ver o dia de compras. 
Sete carrinhos na Target e 10 carrinhos da Ikea.
Sem contar as idas na Bed Bath and Beyond e JC Penney.
Os móveis foram comprados na Haverty's, Pottery Barn
Restoration Hardware e Lazy Boys, muito pelo fato de que
estas lojas entregavam tudo em 1 semana. 
Meu prazo para fazer esta casa foi de 15 dias...
Pensa numa correria...

grávida tem essas vantagens por aqui...carrinho elétrico.

Na Ikea foram 10 carrinhos para quadros e acessórios...


Equipe: Daniela, Cris, Denise e Nataly.

Acessórios de várias lojas...
Ross, Marshall's, Home Goods, Hobby Lobby, etc
Não pense que é só ir nestas lojas não. Tem que
ter o olho para pegar as coisas certas e montar o
conjunto...

Residência de 5 quartos/4banheiros/2 salas/cozinha/garagem para 1 carro
com piscina aquecida e jacuzzi no condomínio Paradise Palms
renato@drimproperties.com












Sala de TV no segundo andar


casas de locação tem que ter o máximo número de leitos possível
O quarto longo é ótimo para duas camas fulls e antes que algum engraçadinho
reclame da janela atrás da cama, pensamos em tirar a janela, mas o custo
seria muito alto. Nos EUA é comum ter janelas atras das camas
e o arquiteto projetista desta residência podia ter deixado essa da
esquerda de fora não concorda? ;-)



























Piscina aquecida com vista para a reserva ecológica não tem preço.
Aliás tem sim...Algumas unidades ainda à venda por 420 mil dólares
Fale comigo! 









Se desejar adquirir uma residência como esta no condomínio Paradise Palms
entre em contato comigo. O Paradise Palms está encerrando as vendas
com 99% das propriedades já vendidas. Há somente em torno
de 15 propriedades à venda.
Ainda há alguns modelos de 4, 5 e 6 quartos à venda. 
Se o comprador estrangeiro se qualificar pode financiar com bancos
americanos pagando 40% de entrada e saldo em 30 anos
com juros "simples" de 4-5% ao ano.
O saldo pode ser quitado a qualquer momento sem penalidades.
renato@drimproperties.com

Se desejar alugar esta casa para sua temporada na Disney
envie um email para ray@floridascandi.com
E diga que é a casa que está no blog do Renato

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Nova Iorque no Inverno

          Em 1995, quem já leu o blog inteiro sabe, eu vim aos EUA, Boston, para estudar inglês por 5 semanas. Aquela foi a minha primeira vez nos EUA e a primeira vez que eu vi neve na minha vida. Eu fiquei muito impressionado pelo fato que, dentro de casa, a gente ficava de camiseta e bermudas, enquanto lá fora rolava as temperaturas negativas. No Brasil eu passava mais frio no inverno, dentro de casa, do que nos EUA. Naquela época abençoada, onde não havia internet (como existe hoje), computadores, Facebook, Whats App, etc, a única maneira de falar com a família e amigos era ir à uma empresa de telefonia e fazer uma ligação internacional. Planejar a viagem tinha que ser com livros e guias. Como optei por ficar em uma casa de família, eu fiquei quase 2 meses sem contato com a língua materna e isso desenvolveu meu inglês rapidamente. Se você não sabe, existe um momento em que o cérebro rompe a barreira linguística e pára de fazer tradução. Pode ser um dia em que você começa a entender tudo da televisão ou uma noite em que você tem um sonho inteirinho em inglês. 

"Shoveling" a casa da minha host family em Jan 1995
20 anos atrás!
                Desde 1995 nunca mais eu vi a neve cair. Já estou nos EUA há quase 6 anos e já fui para o norte várias vezes e em nenhuma delas nevou. :( Inclusive, 4 semanas atrás fiz uma rápida visita ao Colorado. Vi a neve no chão e nas montanhas, mas nada de neve caindo do céu. Até que meu irmão Chefe André Meana ligou dizendo que ia passar uma semana inteira em Nova Iorque com o Tiago. Rapidamente eu reservei o mesmo hotel que eles e comprei as passagens. Pasmem, as passagens ida-volta para Nova Iorque daqui de Orlando foram no total, 220 dólares pela Delta Airlines. E para minha surpresa e alegria, no dia que eu estava chegando na cidade estava previsto nevar por 2 dias. Eu mal podia esperar!

             E à noite a neve começou a cair e eu lembrei dos dias e noites de 1995. Foi muito bom. O Central Park coberto de neve 2 dias depois foi a coisa mais linda que eu vi na minha vida. É frio, eu sei, mas o que seus olhos vêm vale à pena qualquer esforço, até caminhar horas e horas em um frio de -10C com vento e sensação térmica de -25C. Nós nos divertimos muito. Visitei com eles locais que já fui outras vezes, faltou ainda patinar no gelo e ir na Estátua da Liberdade que vai ficar para uma próxima vez. Este post é curto, tem a intenção de compartilhar com vocês as belíssimas fotos tiradas com "celular" Samsung Note 3. Eu tenho uma máquina fotográfica Nikon, mas não sei o porquê, mas as com o celular, ficam melhores. Talvez seja porque eu não sei operar minha máquina hehehe. Espero que goste das fotos e pode copiá-las tantas quantas quiser. Abs!

               Se quiser saber mais das minhas outras visitas à Nova Iorque leia este post aqui.




















































Andre Meana e Tiago Zamberetti





Fotos tiradas do topo do Empire State Building 























Fotos do Memorial 9/11. As piscinas agora fazem parte de um parque e o Memorial (museu) é subterrâneo. Você acha lindo e fica feliz até descer. É muito triste lá embaixo...chora-se várias vezes, as fotos, imagens e telefonemas são fortes. Em algumas partes é proibido tirar fotos mas eu dei um jeito...até que fui pêgo! :(
Colunas de aço do World Trade Center

Fundação original do World Trade Center

Antena de TV do World Trade Center




Esta parte de pedra na parte superior à direita é a piscina do parque acima, na exata posição
das torres originais. 

Esta é a piscina vista do parque acima. O memorial é subterrâneo
abaixo dela. É como um cemitério subterrâneo que foi
construído e dedicado às vítimas a pedido de suas famílias. 



Esta parte era proibido tirar fotos...escondidinho eu tirei algumas




Esta parte é muito interessante. Há telas em que você clica em uma foto e abrem-se outras fotos da pessoa que faleceu
com a família e amigos e uma pequena biografia. Anônimos se tornam conhecidos...


Brooklyn Bridge




Voltando ao aeroporto depois de rápidos
2 dias!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...