quinta-feira, 19 de março de 2015

Como Lucrar com Imóvel de Locação em Orlando



      
           A pergunta mais constante dos meus clientes de venda de imóveis de locação em Orlando é: "Dá pra ganhar dinheiro com imóvel de locação em Orlando?" A resposta, como para tudo na vida é: "Depende"... Para ganhar dinheiro com um imóvel de locação em Orlando e região, alguns detalhes muito importantes precisam ser observados. A casa de veraneio não é uma máquina de fazer dinheiro assim como ações ou investimentos do tipo. Ela pode dar lucro anual sim, mas tem que ser adicionado a este lucro anual, a valorização do imóvel nos EUA.

            Como todos sabem, há anunciantes de casas de veraneio no blog. E eles me relatam suas experiências de tempos em tempos. Cada proprietário tem uma experiência diferente e não é a mesma coisa para todos, por mais que alguns deles queiram dizer que "é assim". Há proprietários que estão satisfeitíssimos com suas casas de temporada e outros nem tanto assim.

            Portanto baseado na experiência de já 4 anos com estes anunciantes aliado a mais 2 anos de vendas em Orlando e região, decidi escrever sobre o assunto neste post para quem estiver interessado em fazer um investimento neste segmento.

            Na minha opinião há 6 fatores que fazem o investimento em aluguel de temporada dar certo.

1- O próprio imóvel.

            O imóvel em si é a primeira coisa que vai fazer diferença na locação. Se o imóvel tiver 2 quartos ou menos, o proprietário tem que reconhecer que o imóvel compete com os hotéis em Orlando. Há hotéis em Orlando que colocam 5 pessoas em um quarto somente. Embora um quarto de hotel (dependendo do hotel e do quarto) não tenha o conforto e privacidade de um apartamento de 2 quartos ele tem a vantagem de fornecer arrumação e café da manhã inclusos na diária, coisas que as casas e apartamentos de temporada não oferecem ou oferecem a um valor adicional.

             Um imóvel de 2 quartos para competir com hotéis não pode ter a diária muito elevada. Porém se o interior for realmente fantástico, a diária maior justifica e muita gente não vai se importar em pagar um valor adicional.

            Estatisticamente, depois que perguntei para as empresas de locação de casas de veraneio (nenhuma delas quis passar a informação por escrito - coisa de americano), o imóvel que mais aluga em Orlando é a casa de 5 quartos. Estatisticamente, o grupo de 10-12 pessoas é o mais frequente que visita a região. Lembrando que no ano passado foram 64 milhões de visitantes em Orlando e região. Então não é uma questão de que há casas demais para alugar. Não há vôos e imóveis suficientes para cobrir esse volume de visitas. Por isso é que, quem tem um bom imóvel, tem agenda lotada de 1 ano. No caso de alguns dos meus anunciantes, 15 meses de espera.

            Uma última consideração é a idade do imóvel. Imóveis novos são mais procurados que imóveis antigos. E a boa notícia é que com a recuperação do mercado imobiliário americano, os imóveis novos estão quase o mesmo preço dos imóveis de revenda.

A casa de 5 quartos é a mais alugada de Orlando.
2- Localização do imóvel.

            A localização também é fundamental. Para os brasileiros, "condomínio fechado" é quase sempre uma exigência. Mas isso está caindo por terra pois os brasileiros já perceberam que Orlando como um todo é relativamente seguro. No entanto, é bom certificar-se de que se for alugar uma casa que esteja em condomínio não fechado, esta casa tenha alarme e câmeras. Sempre há os espertos que querem tirar vantagem dos turistas e embora haja casos de arrombamento de residências para roubo de compras, isso não é frequente e não acontece em casas com alarmes e câmeras.

         Imóveis em resorts (condomínios fechados com piscina, academia, loja de conveniência, etc) são bem procurados embora somente 5% dos que alugam frequentam as amenidades, sabia disso? Principalmente os brasileiros querem aproveitar os parques e compras. Usar a piscina, eles fazem no Brasil. Enquanto que europeus, chineses, japoneses, russos, etc usam as picinas constantemente.

            A proximidade também é um fator a ser considerado. Quanto mais perto dos parques, centros de compras e restaurantes mais atrativo fica o imóvel.

Imóveis em resorts de férias são muito procurados. Mas há também
procura por imóveis em comunidades abertas e seguras. 

3- O interior do imóvel.

            Não adianta muita coisa ter uma casa grande, bem localizada se o interior da casa não atrai, nem mesmo com fotos profissionais. Quando o imóvel não aluga existe alguma coisa errada com ele, queira o proprietário admitir ou não. Eu já tentei falar com jeito para alguns proprietários sobre o imóvel deles, mas estes não quiseram ouvir.

            Eu sei que a grande maioria das mulheres adora decorar. No entanto a decoração da casa não tem que ser o que o proprietário gosta. Tem que ser o que irá fazer a casa alugar. Quanto tempo o proprietário usará a casa por ano? Talvez 10% do ano? Então somente 10% deveria ser de gosto do proprietário. Qualquer coisa que defina demais um ambiente vai atrair uma parcela de pessoas e afastar todas as outras. Por exemplo, um quarto de esportes vai agradar os meninos e meninas que gostam de esportes. Mas vai desagradar todas as crianças que não gostam e todos os adultos que por ventura tiverem que dormir no quarto. A melhor opção é NEUTRO. Nem masculino, nem feminino, etc. É claro, se a casa possui 4 ou 5 quartos de dormir, não há problema em fazer um quarto temático tipo Disney ou outro tema para crianças. 

          Eu já tive clientes me dizendo que ficaram em casas onde a mobília cheirava mal. E cheira mesmo se ela já tem 15 ou 20 anos! É preciso trocar. No final essa pessoa sai falando mal da casa e a casa começa a não alugar mais com o tempo.

            Eu cursei arquitetura de interiores nos EUA e acredite quando eu falo. Precisa estudar para saber combinar cores, tecidos, objetos, iluminação, estampas, colocar móveis nos espaços, etc. A maioria não é dom não, é aprendido. Embora uma pequena parte da população tenha este dom, admita, a maioria acha que tem e não tem. É bom contratar um profissional ou uma empresa de móveis que tenha design incluso no pacote para fazer a decoração profissional. Alguns me dizem: "Minha esposa que decorou, o que você acha?" E eu vou dizer o quê?

            Lembre-se as pessoas querem que a experiência seja perfeita. Elas irão passar a maior parte do tempo na rua, mas querem um ambiente seguro, confortável e bonito para relaxar nos finais das tardes e noites.

Veja as fotos de um apartamento que eu e minha equipe fizemos para um cliente brasileiro. O apto foi adquirido e estava bem desatualizado. Depois da troca de 70% da mobília o apartamento parecia novo em folha. Assim que entrou no mercado começou a alugar como nunca. 


Um imóvel assim não adianta somente trocar o sofá dos anos 80...
O apto depois de um TLC (tender loving care...)
















Para alugar este apartamento entre em contato com o proprietário no email
madrigroup@gmail.com

4- O valores da diária.

            Tem-se que praticar os valores do mercado. Se o mercado está alugando por 150 a diária, não adianta colocar 250 que não vai alugar. A não ser que o proprietário não esteja querendo ter ocupação máxima e preservar mais a casa. Acontece às vezes. Se o imóvel tem um interior magnífico, justifica a diária mais cara e os prospectivos clientes vão entender perfeitamente.

5- Escolher bem a empresa de locação e administração de imóveis de temporada.

            Para aqueles que não vivem no país ou que vivem em estados afastados é preciso contratar uma empresa de administração e locação. As taxas que estas empresas cobram variam de 10-30% do valor das diárias adicionado a um valor mensal para administração das contas da casa. Quanto mais barata a taxa retirada do aluguel, pior o serviço da administradora. Aqui o provérbio "o barato sai caro" se aplica perfeitamente. Uma empresa que cobra 30% dará assistência constante e a casa será anunciada não somente nos EUA mas em outros países pois estas empresas mantém websites em outros países. Uma empresa que cobre 10% vai ter um website local e se não tem muito interesse na propriedade. 

            Há dezenas de empresas de administração e locação de imóveis de temporada. E nelas há diversos pacotes também que podem ser escolhidos. Por isso, em visita à cidade, "entreviste" várias delas para ver qual você acha que vai dar certo para sua casa. E por fim...

6- Fazer propaganda do imóvel.

            Se o proprietário quer ver o imóvel com mais de 90% de locação (e muitos têm...) é preciso fazer propaganda do imóvel. Fazer um blog ou pelo menos um Facebook Fan Page, anunciar em blogs como o meu, outros websites, etc. Também mandar fazer cartões de visita e distribuir a todos que encontra nas filas, na escola, no consultório médico ou dentário etc. Melhor ainda se houver um dos proprietários que esteja envolvido no processo de alugar o imóvel respondendo emails de brasileiros. Nestes casos a empresa cobra só uma parte da comissão e não a comissão total. Eu conheço alguns proprietários pessoalmente que fazendo assim, já conseguiram ter lucro líquido de mais de 10% sobre o valor do investimento!

            As empresas de adm e locação se encarregam de tudo. Do check in, check out, limpeza, conferência de objetos, limpeza de piscina, pagamento de contas, etc. Por isso deve ser muito bem escolhida! Para recomendações, por favor envie um email para mim.

O Desastre
            Quer a receita do desastre em um investimento como esses? É só comprar um imóvel com mais de 10 anos de idade, não trocar nada, não mandar pintar, manter a mesma decoração, deixar o mesmo carpete de 15 anos atrás manchado e fedido, escolher uma empresa administradora "baratinha", não anunciar nem fazer propaganda e por fim ficar no Brasil esperando que o imóvel alugue. Irá alugar eventualmente mas pode ser que não cubra nem mesmo as despesas anuais. Acredite, já vi isso acontecer. O fato do proprietário, sua família e "amigos" acharem que o imóvel é ótimo e que a decoração é linda, não  é indicador necessariamente que o imóvel é tais coisas.

            É possível sim ganhar dinheiro com um imóvel de locação de temporada em Orlando e ainda ganhar com a valorização do mesmo. Os especialistas dizem que a valorização atual é aproximadamente 1% ao mês (recuperação depois da crise) e que o mercado ainda irá valorizar 30% até 2018. Depois disso a valorização acompanhará o crecimento da economia americana, ou seja, por volta de 5% ao ano. Se desejar adquirir um imóvel em Orlando e região entre em contato comigo no email renato@drimproperties.com. Grande abraço!

          

sábado, 14 de março de 2015

Winter Garden - Maravilhoso Lugar Para se Viver




            A primeira vez que eu fui a Winter Garden foi por acaso quando me perdi tentando achar a cidade de Windermere. Na época eu nem era corretor de imóveis e estava tentando achar a casa de uma amiga que mora naquela área. Fiquei muito encantado com o lugar, muito pelo fato de ter pouquíssimo trânsito e um número muito grande de condomínios em construção. Embora a maioria da Flórida seja totalmente plana, aquela área apresenta alguns morros, subidas e decidas. Quando me tornei corretor, fui pesquisar mais sobre esta cidade e arredores.

            Winter Garden fica a 14 milhas (23 km) a Oeste do centro de Orlando ou Downtown Orlando. A melhor maneira de chegar Winter Garden para quem vem do centro é pegar a rapidíssima US 408. Já para quem vem de Kissimmee, a 429 é a melhor opção. Ambas tem pedágios então é bom separar as moedas ou contratar o SunPass. 

A parte em rosa à esquerda é o limite da cidade de Winter Garden.
Quando venho de lá para o centro de Orlando gasto em torno de 15-20 min.


            Atraídos pelo solo fértil, foi por volta de 1845 que começaram a chegar os primeiros fazendeiros. E e o que foi que começaram a plantar? A fruta símbolo da Flórida, claro, a laranja. Winter Garden começou a produzir e exportar laranja para os EUA e o mundo e com a chegada das ferrovias e locomotivas à cidade, a comunidade deu um salto em progresso e aumento da população. Altos e baixos na produção de laranja e consumo do suco foi estabilizado quando cientistas conseguiram inventar, após a Primeira Guerra Mundial, um concentrado congelado de suco de laranja barato e com sabor muito bom. O mercado aprovou e as fazendas de Winter Garden produziram laranjas como nunca antes. 





             O Lago Apopka que delimita a cidade passou nesta época também a ser um destino famoso para a pescaria e empresários locais construíram o Hotel Edgewater em 1927 para acomodar pescadores e outros.


O Hotel Edgewater existe até hoje e é patrimônio histórico da
humanidade.

            Tudo ia muito bem obrigado até 1983. Uma sequência de 6 anos de invernos rigorosíssimo matou boa parte das laranjeiras de Winter Garden. Assustados com a péssima perspectiva, proprietários e produtores decidiram vender as fazendas e mudar-se para o Sul da Flórida onde as temperaturas eram mais amenas. Foi então que Winter Garden começou a se tornar o subúrbio preferido de Orlando, surgia uma nova cidade. Empreendedores compraram estas fazendas e começaram a construir condomínios e comunidades bem estruturadas. Hoje, na minha opinião, é um dos melhores e mais bonitos lugares para se viver na região de Orlando, para quem não tem o dinheiro suficiente para se estabelecer na grife Windermere. 

De 1983 a 1989 os invernos castigaram as plantações

            Explorando as diversas ruas e avenidas de Winter Garden, ainda vemos plantações de laranja, ruas de terra, casas em terrenos enormes, tudo com charme de interior, tipo E o Vento Levou, sabe? As casas em pequenos ranchos mais antigos, no estilo colonial, parecem ter sido cenário da série The Waltons. Sabe aquela casa com uma varanda enorme na frente onde repousam cadeiras de balanço, rodeada de muito verde?

Scartlet, você está aí minha filha?

Vive na rua quem mora mal, fala a verdade??

            Winter Garden, no momento é procurada por famílias de americanos com crianças pequenas devido às escolas públicas serem todas grade A. Desde a escola elementar até o colegial, todas as escolas da região tem nota máxima. Famílias que residem em Windermere, levam também seus filhos às escolas públicas em Winter Garden pelo fato de que Winter Garden faz divisa com Windermere e boa parte de Windermere localiza-se no distrito escolar de Winter Garden. Quem não tem 1 milhão de dólares para comprar uma casa em Windermere, Winter Park, Celebration ou mesmo Downtown Orlando, compra a mesma casa por 450 mil em Winter Garden. 
Casa nova de 4 dormitórios e garagem para 2 carros ( aprox 220 m²), à venda
por USD 277,000.00 em condomínio fechado em Winter Garden.
A casa vem com cozinha e banheiros completos.
Todos os eletrodomésticos + ar condicionado e aquecimento central.
É entregue também com grama e jardim.
O condomínio é 132 dólares mensais e tem clubhouse com piscina e academia.
            Há no momento em Winter Garden, por volta de 20 novos condomínios e comunidades em construção. Mas qual é a difença entre um e outro? Em inglês "community" ou comunidade se refere a um conjunto de casas dentro de um bairro ou um bairro inteiro, geralmente feito por um só empreendedor, com nome específico e sem portaria. "Gated Community" comunidade cercada ou para nós brasileiros "condomínio fechado" são as comunidades que têm muros ao redor e portaria. Não é muito comum nos EUA as comunidades terem portaria.

            Perto a estes novos condomínios e aos pés da calma US 429 está o Winter Garden Village. Um complexo de mais de 100 estabelecimentos entre lojas e restaurantes. Para quem já se hospedou em Kissimmee, ele se assemelha ao Loop.


Winter Garden Village é um charme...
            Eu já ajudei quatro famílias brasileiras a se estabelecerem em Winter Garden em condomínios fechados e comunidades abertas. Assim que os levei a Winter Garden foi como amor à primeira vista e, pra falar a verdade, quem não se apaixona pelo ar puro, ruas limpíssimas e bem cuidadas, trânsito quase inexistente, casas com jardins impecáveis e o melhor...com preço acessível? Diferente de Windermere, é possível encontrar imóveis novos ou mesmo revendas à partir de 180 mil dólares em comunidades que parecem ter saído do seriado Desperate Housewives. 

               Winter Garden é pra morar. A cidade não permite o aluguel temporário, somente o aluguel de longo termo se o comprador estiver pensando em investimento. Para aluguel temporário, os melhores lugares são Kissimmee, Clermont e Davenport. Lá é onde se encontram os resorts de casas de locação para temporada. E se a intenção do investidor é só mesmo casa de férias, é melhor então estar dentro de um resort onde a estrutura cuida da casa enquanto esta tiver fechada. 

                Em Winter Garden não falta opção para Lazer. Os parques da Disney estão há 20 minutos de distância. Mas há outras opções também. A antiga ferrovia que cortava o centro da cidade foi desativada e deu lugar ao Orange County's West Orange Trail, uma trilha para ciclistas, patinadores, skatistas ou mesmo caminhadas de 35km! Atualmente mais de 50 mil pessoas usam a ciclovia por mês. Eu já vou encher os pneus das bicicletas para passear nessa ciclovia inteira antes que o verão chegue, porque uma vez aqui o verão, ou se fica dentro d'água ou dentro de casa no ar condicionado. 

A antiga rodovia deu lugar à ciclovia em 1994. Quando completa
ela terá 54 km de distância. 




























Visite este link para ver as regras para ciclistas


            Essa é a famosa "subúrbia" no sentido mais americano possível. Enquanto no português "subúrbio" dá a impressão de periferia, afastado, pobre e perigoso. Em inglês a única semelhança seria a distância. A "Subúrbia Americana" não tem pontos de ônibus, é totalmente residencial, o comércio é concentrado em um ponto só, onde a maioria esmagadora foi pra lá em busca da paz e tranquilidade e o conforto das grandes residências sem ter que pagar uma fortuna por elas. Um ótimo lugar para se viver e criar os filhos. I love Winter Garden!

         Se quiser adquirir uma propriedade em Winter Garden envie um email para renato@drimproperties.com


quarta-feira, 11 de março de 2015

10 Impressões do Brasil


            Na semana passada eu fui ao Brasil para o casamento do meu irmão caçula Daniel e noiva Carol. Foi uma viagem rápida, para ir ao casamento e também para fechar 2 contas correntes e cartões de banco. Tinha pensado em visitar algumas pessoas que não vejo há muitos anos mas foi impossível. Pra quem vive nos EUA e só sabe as notícias do Brasil vendo os posts no Facebook eu estava curioso de ver realmente como as coisas estavam no Brasil. Há um ano quando fui para ver minha mãe doente, com a morte dela eu fiquei tão atordoado que nem me dei conta de nada.

            Por isso resolvi escrever este post porque as pessoas me perguntaram bastante: "E aí? Muita diferença? Qual sua impressão?" Eu não visitei o Brasil inteiro, somente São Paulo, por isso o que eu escrevo aqui são as "minhas" impressões de São Paulo.

1- O trânsito de São Paulo piorou exponencialmente.

            Eu não conseguiria mais viver no Brasil, especialmente em São Paulo. Eu e o Robert passamos mais tempo dentro do carro do que com amigos ou em outros lugares. As pessoas são agressivas, jogam o carro em cima de você, te cortam a frente, não dão passagem, não agradecem também quando você dá. As ruas não parecem lugar onde as pessoas se deslocam. Parece uma louca pista de corrida sem regras nenhuma, só o cuidado para não ser multado. As ruas esburacadas, rememdadas ao extremo, onde as pessoas andam nas ruas pois é impossível andar nas calçadas irregulares sem correr o risco de virar o pé. E se não bastasse agora terá ciclovia pra todo lado. Imagino a quantidade de acidentes com ciclistas que haverá no futuro. Uma pena mesmo...

Do 23 andar só se ouve o barulho do trânsito
2- O aeroporto de Guarulhos está lindo.

            Fomos de TAM sem escala, pois quem trabalha muito não merece fazer escala em Miami, na República Dominicana ou em Bogotá. Tá? Descemos no terminal 3 que está muito bonito. Espaçoso, bem planejado, cheio de luz natural, uma beleza. Mas não pude deixar de notar, como designer, que o teto não foi tão bem feito e o material usado é de pouca qualidade. De resto, tudo lindo maravilhoso. Não esperamos quase nada por nossas malas e em minutos já estávamos na rua.

Novo terminal do Aeroporto de Guarulhos


3- Comer fora no Brasil é pra quem pode.

            Enquanto aqui vamos ao restaurante 1 ou 2 vezes por semana, no Brasil eu tenho a impressão que faz isso quem tem bastante dinheiro. Um almoço em um restaurante de bairro com meu irmão André e minha amiga Daniela ficou em 250 reais. Imagine quem tem que levar uma família ao restaurante? Um bolinho de bacalhau na Vila Mariana 9,50? Ainda bem que eu estava pagando em dólar (embora tivesse trocado meus dólares por reais). Os preços dos restaurantes exorbitantes...

4- A comida brasileira é maravilhosa.

            Pode ser que este meu comentário seja afetado pelo fato de meu paladar ter sido desenvolvido no Brasil. Mas já tive visitantes estrangeiros que elogiaram muito a culinária brasileira. Embora a comida seja cara, é muito saborosa. Fui à feira, comi pastel lá (que não há igual em nenhum outro lugar), tomei caldo de cana, comig tutu de feijão, etc, etc, etc.

5- As pessoas estão muito insatisfeitas.

            Todo mundo reclama do Brasil, reclama de São Paulo, reclama do PT e reclama da Dilma. Eu ouvi um comentário que as pessoas que estão reclamando são os burgueses porque a situação da população miserável dos estados pobres melhorou 100%. Mesmo que isso seja verdade, e eu tenho a impressão que deva ter melhorado sim recebendo dinheiro do governo, eu tenho a impressão que não devia ser bem assim.

             Afinal não é a classe empresária que fornece a maioria dos empregos no Brasil? Não tem eles também que ficar satisfeitos com as ações do governo? Não são eles que pagam a maior parte dos impostos? Depois de anos e anos ainda continua a corrupção, a roubalheira descarada, a cara de pau dos políticos e da presidente. Quem achava que o PT era a última reserva ética do país teve que morder a língua. Há esperança? Eu não sou de direita, nem de esquerda, sou a favor do indivídulo, da liberdade e organização da sociedade. Mas cara de pau igual a esse governo atual eu nunca vi!

6- Os carros custam uma fortuna e são muito ruins.

            Não adianta dizer que nos EUA os carros são baratos pois os americanos roubam as riquezas de outros países. Eu me irrito quando, ao invés de defender o assunto em questão (que não há defeza) a pessoa acusa outra como desculpa, entende? Esqueçamos os EUA. Veja o preço de carros em países pobres como o Chile, Argentina e México. Custam a metade do que custa no Brasil. Como pode um carro Hyundai, super pequeno custar 50 mil reais? Setenta e tantas vezes mais que o salário mínimo do país!?
Carro bom mesmo que tenha todos os equipamentos necessários para a segurança, custa o preço de um apartamento. E a gasolina então? Eu quase caí de costas quando ao encher o tanque do carro, vi na bomba marcando 150 reais!!

7- O número de animais nas ruas diminuiu.

            Eu não estive na periferia desta vez nem em bairros muito pobres, o que acredito que deva ser a mesma coisa. Mas me pareceu que os brasileiros estão mais concientizados do problema e que diminuiu. Quase não ví cachorro de rua doente e mal tratado. Aqui em Orlando, só a título de curiosidade, eu nunca vi nenhum cachorro de rua. Quando um cachorro está na rua, nota-se imediatamente que está perdido.

8- Todo mundo quer te ver, mas eles querem que você vá até eles e não o contrário.

            Não é possível esconder que se vai ao Brasil. As pessoas tiram foto de você e colocam no Facebook. O programa te reconhece e avisa o resto do mundo onde você está. Fácil assim. Com tantos amigos em São Paulo não é fácil agradar a todos. Todos querem te ver, mas querem que você vá até eles. Precisaria ficar mais de um mês no Brasil para poder visitar a todos. E sabe, quando você faz uma reunião para que todos se encontrem, pouca gente vai. Por causa da grande dificuldade de se desolcar na cidade, os paulistanos estão se isolando em casa com a família direta. Se tiver que pegar o trânsito ou o metrô pra ver o amigo que não vê há muitos anos é melhor deixar pra próxima vez...triste né?

9- A burocracia é insuportável.

            Eu tinha que fechar duas contas correntes e foi uma verdadeira missão impossível. Enquanto aqui em Orlando com a carteira de motorista você saca dinheiro da sua conta em qualquer agência do seu banco ou mesmo faz um cheque adm de milhares de dólares, no Brasil, no Itaú, a carteira de identidade não é mais suficiente. Era preciso carteira de identidade, impressão digital cadastrada, o Token (aparelho gerador de senhas) que esqueci no Brasil, etc. Eu disse à gerente. Quando eu saí daqui em 2008 podia-se sacar com cheque avulso. Agora é preciso identidade, impressão digital, token e daqui uns anos o que mais? Provavelmente teste instantâneo de DNA. Tive que ir para PQP na agência que a escola que eu trabalhava tinha conta, fechar a conta e sacar o dinheiro. E lá foi ainda mais outra ladainha...

10- As pessoas são muito amigáveis no Brasil.

            Mes passado viajando a Nova Iorque com meu irmão André percebi como as pessoas são mau educadas nessa cidade. Quase todas as pessoas estão com pressa e de mau humor. Talvez seja o inverno, vai saber? Mas o fato é que Nova Iorque é conhecida por ser uma cidade rude. Muito diferente das pessoas em São Paulo. Quase em todos os lugares fomos muito bem tratados. As pessoas sorriem e te tratam muito bem. Quando o feirante soube que o Robert era americano, ele escolheu o melhor figo de cada caixa, colocou todos em uma só e ainda deu um desconto de 2 reais na caixa. Essa é uma das coisas que eu sinto falta nos EUA. A facilidade com que se faz amizade no Brasil. Aqui é bem diferente...



As feiras no Brasil não têm
comparação!


Agradecimentos:


Elizete e Gilberto que nos hospedaram e nos ajudaram em tantas outras coisas.
Mazi, Salvador e Claudia que nos ofereceram delícias gastronômicas e nos ajudaram também em outras coisas.
Laerte e Márcia, amigos que emprestaram o carro pessoal deles para usarmos.
André e Tiago que nos receberam na casa deles.
Daniel e Carol que nos convidaram para o casamento deles.
Alexandre e Gislaine que pagaram o jantar caríssimo do Lellis Tratoria!
Gabriel e Giuliano que ficaram conversando com o Robert quando ninguém tinha paciencia ou coragem de usar o inglês.
Todos os amigos que compareceram à reunião de turma da Escola Carandá.

Muito obrigado!

Elizete e Mazi cuidaram muito bem da gente :)



quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Morar em Orlando


            Em Outubro de 2014 eu escrevi este post sobre Investir em Orlando. Neste post eu expliquei muitas coisas sobre o mercado imobiliário americano que, alguém que pensa em investir em Orlando, precisa saber antes de investir.

      Principalmente depois das eleições no Brasil e a vitória do PT, aumentou consideravelmente o número de emails de pessoas interessadas em vir a Orlando para uma longa temporada, ou mesmo para ficar definitivamente. Embora eu saiba algumas coisas, saiba o leitor que, como corretor eu não posso dar informações sobre imigração. 




 Para estes assuntos é preciso:

1- Muita pesquisa

            A pessoa já leu o site da embaixada dos EUA no Brasil, principalmente a seção "imigração" inteira? Sabe todos os tipos de visto e talvez qual se encaixe melhor na sua situação? Já visitou blogs e sites de imigração? Já leu livros de quem veio e registrou o caminho? A grande maioria esmagadora que me procura não fez pesquisa. Simplesmente repete o que ouviu de fulano ou ciclano ao qual perguntou sobre o assunto. Sabe aquela brincadeira de telefone sem fio? Quando a história chega até mim já está completamente distorcida e misturada.

            Também quem deseja procurar emprego nos EUA, pouca pesquisa fez. Acha simplesmente que é só mandar um curriculo para uma empresa americana. Uma pessoa com esse desejo precisa pesquisar vezes 2.

            Este blog tem vários posts sobre estudar nos EUA, imigração, carteira de motorista, etc. É só digitar as palavras chaves na caixa de pesquisa.

Eu montei um livro de pesquisas sobre os EUA quando morava no Brasil que tinha quase
1000 páginas impressas, lidas e marcadas com anotações. 

2- Consultar os respectivos profissionais de suas áreas.

            É imprescindível a consulta com um advogado de imigração se o desejo é emigrar. Ele é a autoridade, não eu, o vizinho ou mesmo alguém que fez pesquisa no assunto. Só ele vai poder dizer que tipo de visto se aplica em cada situação. Perguntas sobre impostos, abertura de empresas, é preciso consultar um contador e assim por diante. Agora se o assunto for bairros e imóveis, aí sim eu sou a pessoa indicada para o assunto.

            Algumas perguntas, nem o advogado ou o contador saberão te responder. Por exemplo, como validar um diploma de arquitetura nos EUA? Neste caso, a pessoa precisa pesquisar bastante pois é muito provável que alguém já fez e registrou na internet. Aliás, por curiosidade, eu digitei no google "como validar diploma de arquitetura nos EUA" E o resultado foi 47.200 entradas. Tem que pesquisar e não ficar procurando respostas prontas de outros. Informação errada pode custar muito dinheiro ou mesmo estragar todo um processo de imigração... Acredite!

            E quais são as minhas credenciais para ajudar o cliente brasileiro a comprar um imóvel em Orlando? Eu vivo em Orlando desde 2009. Já desempenhei trabalhos em diversos cantos da cidade, já visitei diversos bairros e cidades ao redor e acima de tudo eu sou pesquisador. Até o momento, desde que me tornei corretor, já vendi 31 propriedades em pouco mais de um ano, ou seja, já passei pelo processo inteiro 31 vezes e todos os meus clientes estão satisfeitíssimos.

Além de ser corretor licenciado na Flórida eu sou também Realtor
membro da associação dos Realtors uma entidade com alto código
de ética de trabalho nos EUA. 

Imóvel para Morar ou para Férias?

            Um típico email que eu recebo de clientes brasileiros começa assim: "Olá Renato, meu nome é (...) e eu moro no Brasil. Queremos adquirir um imóvel em condomínio fechado em Orlando que possa alugar para temporada e que tenha boas escolas ao redor pois nos foi informado que as crianças só podem estudar na escola do bairro onde vivem". Aí vem a cereja do bolo: "Nosso orçamento é entre 50-100 mil dólares. Ouvimos dizer que Dr. Phillips e Windermere é bom. Pode nos ajudar?"

            Claro que posso, mas meu papel é também o de educar o cliente que só conhece a "Orlando turística" e não sabe como funciona o mercado imobiliário nos EUA.

            Em primeiro lugar, não é todo lugar aos arredores dos Parques Temáticos que é permitida a locação para temporada. A cidade de Orlando não permite a locação de temporada, com duas exceções somente. Dois condomínios que realmente nem vale a pena citá-los. Somente Kissimmee, Clermont e Davenport permitem o aluguel de temporada SE o imóvel não estiver em um condomínio residencial que tenha restrições de aluguel. Então, mesmo em Kissimmee, Clermont e Davenport (próximo aos parques da Disney) existem também condomínios que não permitem aluguel de temporada. Então, encontrar uma casa de férias que possa alugar por temporada em Dr. Phillips e Windermere, ou mesmo Orlando é impossível.

Condomínios com portaria como o Keene's Point em Winderemere não permitem
locações de temporada. Casas entre 490 mil e 4 milhões de dólares.

            Em segundo lugar, as melhores escolas localizam-se em lugares como Orlando, Winter Park, Winter Garden e Windermere, Lake Nona além de mais alguns outros lugares da região. Nenhum destes lugares permite a locação "short term" ou temporada. Portanto não dá para conciliar a casa de férias e aluguel de temporada com boas escolas. Geralmente nas áreas turísticas e de locação de temporada as escolas públicas americanas são abaixo da média.

            Dito isso a pessoa precisa decidir. Imóvel bem localizado, em bairros com boas escolas ou­ imóvel para férias e locação? Uma vez decidido isso vamos ao último ponto.

            Não há imóveis em bons condomínios, bons bairros, com portaria, por 50-100 mil dólares. Poderíamos resumir assim:

10 a 50 mil - Bairros abaixo da linha da pobreza (Escolas F)

51-100 mil - Bairros pobres e classe média baixa (Escolas D e F)

101-200 mil - Classe média baixa e classe média (Escolas C e D, talvez B)

201-300 mil - Classe média e média alta (Escolas B e C)

300-500 mil - Classe média alta (Escolas A e B)

500 e acima - Classe média alta e ricos (Escolas A)

Há poucas exeções...Mesmo em um bairro de classe média que tenha escola A a população que frequenta a escola talvez não seja das melhores, infelizmente. 

Eu achei esta imagem fantástica no Google images. Basicamente descreve Orlando e região.
Legenda:
Where should I live?: Onde eu deveria viver
Suburbia: Subúrbio onde se tem casas maiores, tranquilidade e menos agitação
Super rich people: Pessoas super ricas
Robberies & Poor People: Roubos e pessoas pobres
College Kids Safe Cheap: Jovens de faculdade, seguro, barato
Place to get shot: Lugar para tomar um tiro (Aonde fica o Florida Mall e Millenia Mall)
Disney Crap: Porcaria Disney
White People: Pessoas brancas (??)
Suburbia safe: Suburbio seguro, acessível $$$
Run down & Drugs: Ladeira abaixo e drogas (principalmente Poinciana)


            Portanto agora fica um pouco mais fácil de saber o motivo de um imóvel custar somente 45 mil dólares. Pode até ser uma mobil home ou um trailler em uma comunidade de mobil homes ou de traillers. Como se vê nos filmes. Eu não viveria em uma área assim a menos que não tivesse escolha. Orlando tem crime sim, tem roubo, tem violência doméstica, rapto, etc. Embora em uma escala infinitamente menor do que no Brasil, existe sim aqueles que não querem trabalhar e acreditam que tirar dos outros dá menos trabalho. Aliás eu não entendo a cara de espanto quando eu digo a alguns clientes que em um bairro de casa de 50 mil há crime. Alguns acham que nos EUA não existe crime.

            E porque só há boas escolas em bons bairros? Pelo fato de que 51% do IPTU das residências vai diretamente para as escolas dos bairros. As residências pagam de 1-2% do valor do imóvel em impostos para o governo. Um bairro de extrema pobreza não contribui muito para a escola. Mesmo que a escola fosse boa, que tipo de indivíduos frequentam esta escola? Certamente não é o tipo de indivíduos que gostaríamos que tivessem amizade com nossos filhos.

Escola A em Windermere

            Condomínos com portaria que aqui chamamos Gated Community começamos achar, em boas áreas, a partir de 150 mil dólares.

         E o que você sugere Renato? Eu sugiro a família decidir qual é o objetivo do investimento primeiro. Férias? Morar? Os dois? É possível os dois? Há uma possibilidade. 

            Em vista dos preços ainda estarem baixos em comparação a antes da crise de 2008, muitos queriam investir agora mas não podem se dar ao luxo de ter o imóvel fechado até uma possível mudança em 1 ou dois anos. Neste caso eu aconselho a comprar um imóvel de férias em um resort perto dos parques da Disney. Principalmente se o condomínio está em lançamento e com casas novas. Em uma futura mudança, a renda que este tipo de imóvel oferece, é suficiente para pagar as despesas dele próprio e também um aluguel para a família em um bairro "residencial" com escolas B e A. Mas saiba que, nem todo imóvel vai possibilitar a concretização deste plano. Quanto menor o imóvel, menor o investimento menor o lucro anual e vice-versa.

               Se a família deseja se mudar definitivamente há com certeza áreas residenciais que são tudo o que a família aspira quando pensa em mudar para os EUA.

Casa em resort fechado em Kissimmee que permite locação para temporadas.
Esta casa possui 5 suites, USD 419,000.00
Bancos americanos podem financiar 60% do valor para estrangeiros
em 30 anos com juros simples de 4-5% ao ano, se o cadastro for aprovado. 


            Para saber quais os melhores condomínios para aluguel de temporada e os melhores lugares para se viver em Orlando faça uma consulta comigo no renato@drimproperties.com e por favor, seja ético, trabalhe somente com um corretor. Nos EUA todos os corretores podem vender todos os imóveis disponíveis. Se não estiver contente com seu corretor, avise-o e troque de corretor. Não trabalhe com 2 ou 3 corretores ao mesmo tempo. Esta pode ser uma prática comum no Brasil, mas nos EUA é considerado quase uma fraude e muito provavelmente, porque as pessoas conversam aqui nos EUA, todos ficarão sabendo do fato. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...