sexta-feira, 22 de maio de 2015

Como os Brasileiros se relacionam no Exterior?


            Este, caro leitor, é um assunto delicado. Há uns anos eu escrevi um post sobre preconceito contra brasileiros nos EUA, ele se encontra aqui. Mas nunca antes havia escrito sobre a relação entre os brasileiros e sabe por quê? Porque eu não tinha contato com a comunidade brasileira até começar a trabalhar na Drim Properties. Hoje, já 2 anos depois e também munido de acontecimentos nesses quase 6 anos que estou aqui, posso dar a "minha opinião". Portanto, o leitor pode discordar, contanto que o faça com educação.

            A minha primeira experiência com brasileiros em Orlando foi com um amigo da irmã de uma grande amiga minha. Em visita a São Paulo ele foi simpático, passou o telefone e pediu para eu ligar para sairmos. Uma vez aqui, saímos em grupos duas vezes e nunca mais ele atendeu meus telefonemas. Inclusive me "deletou" do Facebook. Eu nunca tinha sido "deletado" da vida de alguém antes e confesso que a sensação não é das melhores. O fato é que eu não consigo saber o que eu fiz de errado, mas eu, só consigo pensar em uma coisa. Eu cheguei a comentar com ele que estava precisando trabalhar, mesmo que ilegal, pois meu dinheiro para a faculdade estava acabando. Logo depois disso ele cortou relações comigo. Uma vez ele comentou que todos os amigos dele eram americanos, que ele não se relacionava com quase nenhum brasileiro.


            Se esse foi o caso, essa foi a primeira vez que eu sofri discriminação nos EUA e foi de um brasileiro. A verdade é que há uma classe de brasileiros aqui que evita brasileiros e que não "se mistura".

            Uma vez conheci uma brasileira na faculdade e ela me disse que o problema dos brasileiros é que é difícil encontrar um deles que queira ajudar. Depois com o tempo percebi que essa garota era um "problema" e percebi por que ela disse que os brasileiros fugiam de qualquer contato com ela. Ela tinha um coração enorme, mas doidinha, coitada. Sempre em meio a confusão na escola. E o pessoal que ela se associava não eram o tipo de americanos que queremos para amigo dos nossos filhos...

            Neste momento é melhor começarmos a fazer uma separação das coisas. Há o brasileiro que está nos EUA legalmente. Ele pode ser rico ou não, empresário ou empregado, mas o fato é que ele está legal. E esse brasileiro pode ser tudo: Legal, chato, arrogante, canalha, explorador, super gente boa, honesto, desonesto, amigo, traíra, etc. E há o outro brasileiro, aquele que não está em situação regular com a imigração, ou seja, ele está no país ilegalmente. Há também nesta classe gente de todo tipo. O fato de uma pessoa estar ilegal não significa que ela é desonesta e criminosa. Ninguém sabe os motivos pelos quais fizeram alguém ficar ilegal no país. No entanto há uma certa tendência nestes dois grupos.



            Há uma incidência maior de "golpes", "furtos" e outras coisas mais, entre aqueles que são ilegais do que entre os legais. Deveria ser o contrário não acha? Aquele que está ilegal deveria ter medo de se deparar com as autoridades, mas não é o que acontece. Há brasileiros ilegais que "aprontam" por assim dizer. E por, na maioria das vezes, as vítimas desses golpistas serem os brasileiros em situação "legal" (a língua tem um grande fator nisso), desenvolveu-se um certo preconceito contra o brasileiro ilegal. A sociedade americana discrimina, de qualquer maneira, os ilegais por ter "medo" deles. Eles têm medo do sujeito que veio com as mãos na frente e a outra atrás e não tem nada a perder. E o brasileiro legal, pegou esse medo também. E para falar a verdade, não é tão sem motivo assim. Mas é claro que há experiências ruins entre os dois grupos, tenho certeza que alguém vai comentar.

            No entanto, como dito anteriormente há brasileiros ilegais de todo tipo. Eu me relaciono com um há anos que nunca me deixou nas mãos! Em quem eu confio plenamente! Mas eu tenho um certo cuidado. Vou te dar um exemplo. Logo no começo, quando comecei a morar aqui, perguntei na Perfumelândia, se havia trabalho para mim lá. A moça com quem conversei disse: "Aqui está o telefone da minha mãe. Fale com ela que ela arruma um emprego pra você". Eu liguei para a senhora e conversamos por uma hora ao telefone. No dia seguinte ela quem me ligou e sabe para quê? Para me oferecer um emprego? Não, para pedir meu carro emprestado. Nem se quer habilitação americana ela tinha. Quando eu disse que não poderia fazer isso ela me perguntou se eu poderia levá-la em alguns lugares. Como eu fazia faculdade todos os dias, não era sempre que eu poderia levá-la aos lugares. Depois ligou pedindo 100 dólares emprestado. Foi aí que eu cortei relações com ela. Hoje me sinto meio culpado. Talvez ela estivesse mesmo precisando de ajuda, ou talvez seria ela uma golpista?


            Acho que nunca vou saber, mas a verdade é que há brasileiros nos EUA esperando uma oportunidade de dar um golpe em alguém. Movido por esse sentimento tipicamente americano da compaixão (é bem comum aqui) o Robert decidiu por minha causa, contratar uma faxineira brasileira no prédio que ele trabalhava. Para ajudarmos a mulher eu recomendei ela como faxineira para uma das anunciantes das casas de veraneio do blog. Pois bem, a "senhora" foi pêga pelas câmaras de segurança do prédio, colocando tuchos de papel higiênico nos banheiros do lobby e ninguém estava entendendo porque eles entupiam todas as semanas. Foi também pega pelas câmeras, mexendo nos papéis da mesa do gerente do prédio, roubando documentos, dinheiro e também mexendo nas bolsas dos funcionários. Na casa da anunciante, enquanto limpava, ela abastecia seu carro com "coisas" da casa. Não é triste isso? E a moça estava no país legalmente.

            Há também histórias de excelentes brasileiros como a Daniella e a Denise. Duas brasileiras que conheci através de relações de emprego e hoje eu não vivo sem as duas. Conheço também outros brasileiros, legais e ilegais, que são pessoas honestas e trabalhadoras. Portanto, tem que conhecer antes de julgar.

Na na na...cuidado, aqui tem câmeras por todo lugar...

            Mas há um certo tipo de brasileiro aqui que é, na minha opinião, o pior de todos. Aquele que explora seu próprio povo. Aquele brasileiro empresário que sabe que os ilegais precisam trabalhar, mas que sem documentos têm que se sujeitar ao salário mínimo e muito trabalho. Na cabeça dele ele é bonzinho pois dá emprego a essa gente. Mas na verdade, ele é tirano pois obriga, ameaça e explora seus funcionários de várias maneiras. Estes trabalham 12 ou mais horas por dia. Oitenta ou mais horas por semana e recebem o salário mínimo de 8 dólares por hora. E sofrem nas mãos desses patrões. Nas lojas, têm 15 minutos de almoço, não podem sentar-se e trabalham um dia inteiro enquanto a lei americana é que, a cada 4 horas de trabalho é obrigatório o descanso de 15 minutos. Eu tenho mais medo desse brasileiro do que o pobre ilegal (nem sempre tão pobre assim).

80% dos trabalhadores das lavouras da Flórida são
imigrantes ilegais.

            Uma vez, almoçando com meu cliente milionário no Kenee's Point, condomínio de classe média alta e ricos de Windermere, encontramos uma família brasileira no restaurante. Uma mãe com dois filhos. Meu cliente rapidamente puxou assunto com a moradora pois ele adora ouvir a opinião dos outros e havia acabado de adquirir um imóvel de 2 milhões de dólares no condomínio. Ele ficou estupefato e eu também quando ela disse que não tinha amizade com ninguém no condomínio, que não conhecia ninguém e que não fazia questão de conhecer, "principalmente brasileiros". Só se relacionava com a família. Há este tipo de brasileiro em Orlando também, já vi mais de uma vez. Eu fiquei com pena da senhora, porque quando os filhos se vão e o marido arruma uma esposa com a metade da idade dela o que sobra? Não são os amigos? Porque alguém não quer ter amigos? Aliás amizade aqui é coisa difícil. Se conseguir, dê valor. Outro exemplo é de uma conhecida minha que sempre que precisa de serviços, tenta contratar brasileiros para "ajudar". E infelizmente, na maioria das vezes ela se dá mal. Quando por exemplo contratou um pintor brasileiro que pintou porcamente a casa dela e manchou todos os pisos de madeira e rodapés e se mandou. O outro que ela contratou para arrumar o ar condicionado, brasileiro em estado legal, sumiu com o dinheiro e não efetuou o serviço.

            Para concluir, o objetivo de eu escrever este post é para mostrar aos brasileiros que fogem de brasileiros que há sim muita gente boa, honesta e amiga, legalmente no país ou não. E para os que acham que o fato de ser brasileiro já qualifica a pessoa, tome cuidado pois nem sempre é assim. Depois de ser vítima de alguns, é preciso ser realista mas não pré-julgar ninguém. 


            Se alguém me peguntar "em que situação se define você"? Eu acredito que eu sou aquele brasileiro que está em situação legal, que trabalha e tenta ajudar a quem puder sem olhar que tipo de visto está estampado no passaporte. Mas que pergunta sim qual ele é, porque pode sobrar pra mim e neste país se vai para a prisão sim! Eu converso com todo tipo de gente e não faço distinção das pessoas por classe social, situação econômica ou mesmo cultural. Tenho papo para qualquer churrasco. Mas não me relaciono com pessoas mau educadas, grosseiras, rudes, barraqueiras e que não têm respeito para com o próximo, seja de que nacionalidade for. Alguns brasileiros trazem estes maus hábitos com eles nas malas. Aquela atitude de "eu em primeiro lugar", enquanto aqui, o bem comum é que está em primeiro lugar, não o da própria pessoa. É um conceito que alguns nunca aprenderão...

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Transporte em Orlando, Nova Iorque, Las Vegas, Miami e Los Angeles



          Eu sempre recebo emails de brasileiros que vêm passar férias nos EUA perguntando sobre transporte em Orlando, Miami, Nova Iorque e outras cidades. Às vezes as pessoas não querem dirigir ou só precisam de motorista para alguns destinos específicos. Até um tempo atrás eu não conhecia alguém ou uma empresa de confiança que fizesse o serviço na cidade. Existem vários brasileiros que fazem o serviço, mas eu mesmo nunca tinha usado e não conhecia ninguém para recomendar até que um dia recebo um email do Ricardo Cornetione, que possui uma empresa de transporte em Orlando e atende outras cidades como as citadas no título do post.

          O Ricardo é  muito simpático, sério e profissional. Me ofereceu um serviço de transfer para o aeroporto para "testar" a eficiência da sua empresa. Então aproveitei que tinha uma viagem para Nova Iorque e combinei com ele um transfer da minha casa ao aeroporto. O carro chegou em casa, 5 minutos antes do tempo combinado e o motorista simpático me levou até o aeroporto. Foi uma experiência ótima. O motorista conhecia a cidade, me levou ao aeroporto sem stress, sem atrasos e o carro estava em ótimas condições, inclusive muito limpo.

          Por esse motivo, aceitei o Ricardo como anunciante no blog. Caso não saiba, eu visito todos os imóveis que anunciam no blog e testo todos os serviços para poder recomendar. Eu estava curioso a respeito do Ricardo. Falamos ao telefone várias vezes e ele mesmo me contou a sua história de sucesso nos EUA. E como não podia deixar de ser, sucesso não vem à toa e sim é o resultado de muito trabalho sério e dedicação.

          Nas palavras do próprio Ricardo "Estudei Admnistração e Teologia e vindo do interior do estado de São Paulo cheguei para morar nos Estados Unidos para fazer, durante 5 anos, missões religiosas. Nesse tempo muitos amigos pediam ajuda para preparar suas viagens aos Estados Unidos. Como o tempo os pedidos eram tão numerosos que após cumprir o tempo na missão oficializei uma pratica que estava tomando muito tempo.. Continuo com os trabalhos com a igreja como vocação e faço uso do talento que Deus me deu que é cuidar das pessoas , na área do turismo também. A agência obteve um crescimento acelerado a partir do momento que abriu uma representação no Brasil, em Brasília e desde então tem conquistado a simpatia e confiança de centenas de viajantes que nos deram o privilégio de sermos incluidos em seus planos"

          A Path Travel Vacation é uma agência de viagens completa. Eles fazem o planejamento da viagem, as reservas de hotel, carro, venda de ingressos, seguro viagem, etc. Eles possuem um um destacado  serviço de recepção nos principais destinos dos Brasileiros nos Estados Unidos, tais como: Miami, Las Vegas , Los Angeles, Orlando e New York.

          Hoje, a agência conta com vários carros, inclusive uma limousine para atender aos clientes em grande estilo. Em todas as cidades seus passageiros são recebidos por uma equipe formada de brasileiros bem qualificados e aptos para servirem seus passageiros em suas diversas necessidades. Seja qual for o tamanho do grupo, a Path Travel Vacation está pronta para planejar a viagem e receber a todos com muito conforto e segurança.


Telefones:

- Estados Unidos
Nova Iorque 908-2673373


- Brasil:
São Paulo 11-32301195
Rio de Janeiro 21-39585634
Brasília 61-81197705

Testemunho de Clientes

















Ricardo Cortione proprietário da Path Travel
e sua família

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Demi Moore coloca apto à venda em NYC

           Um certo dia todos nós morreremos, é inevitável. Mas para uns será um pouco mais difícil deixar esta vida do que outros. Especialmente para aqueles que tiveram uma vida espetacular como Demi Moore. Nos tempos modernos, morar em uma torre só dela em Nova York com vista para o Central Park, se não é coisa de rainha, pelo menos de princesa certamente é. E desta vida não se leva nada, outro fato inevitável. Quem decidir passar a vida ajuntando, saiba que a um certo ponto, vai ter que dar tudo de mãos beijadas a alguém. O "outro lado" (seja lá qual for pois cada um diz uma coisa), não aceita na bagagem, apartamento, carro, relógios ou ações. 


             Talvez por este motivo a esperta Demi Moore resolveu desapegar já. Talvez a falta de dinheiro? Ela não tem aparecido em filmes por um bom tempo. O fato é que a cobertura triplex situada no endereço 145-146 Central Park West, entre as ruas 74th e 75th estará no mercado por 75 milhões de dólares, 232 milhões de reais aproximadamente.  As despesas mensais da cobertura giram em torno de 20 mil dólares. Se eu só fizesse esta venda, poderia me aposentar do real estate. A comissão para quem realizar a proeza, se for vendida mesmo por 75 milhões de dólares, é $ 2,250,000.00. Dá mesmo para aponsentar. Mas não pense que eu iria me aposentar para ficar sem fazer nada dentro de casa, que é o sonho de 90% dos americanos. Eu iria continuar os estudos com mestrado em arquitetura, depois doutorado, etc. 

             Ah e eu esqueci de citar. Da varanda da torre sul, vê-se a torre norte que pertence a nada menos que Bono, vocalista do U2. Era a cereja do bolo que faltava, fala a verdade? Mas nem isso foi suficiente para impedir que Demi colocasse a propriedade de 650 metros quadrados no mercado imobiliário. 

    Veja as fotos da espetacular cobertura. Não é necessariamente o meu gosto, muita madeira, mas se cair nas mãos de alguém talentoso, pode ficar espetacular. Boa semana!





A outra cobertura triplex pertence a ninguém menos que
Bono, vocalista do U2





sábado, 11 de abril de 2015

Montar um Closet nos EUA

     Já faz um tempo que meu closet me incomoda profundamente. Aqueles aramados que vêm nas casas americanas enchem de pó e até gordura que vem da cozinha. Por que? Porque o ar condicionado pega o ar da casa, passa pelo filtro e distribui para o resto dos ambientes. Mesmo com o filtro sempre passa algo e após anos e anos, os aramados picam pegajosos. Alem do mais, precisava dar um "de-clutter" (desentupida) no closet, doar muitas roupas e "coisas" e organizar melhor. 

         Eu esqueci de tirar uma foto do "antes" :-( Mas você não imagina quanta tranqueira pode caber em um pequeno closet de 1,5m por 1,20...


Eu não gosto dessa mobilia cor de laranja com esses postes.
No futuro vai tudo para doação.


Daddy what's happening?



Eu aí curtindo meu ataque de asma...

      No Home Depot tem vários tipos de closet "faça você mesmo" como tudo aqui nos EUA. Logicamente não é aquela Brastemp. São feitos de aglomerado ou até mesmo de MDF. Se quiser, pode sim contratar uma empresa para vir, projetar e montar o closet feito de madeira maciça. Mas além do fato de que não agrega valor a casa, fica $$$$$. Mas antes de instalar, tinha que dar uma "arrumada" nas paredes que não foram tocadas desde a década de 60...coisa feia.





Foram retirados das paredes 82 pregos e parafusos
Dá pra ver a "buracaiada?"

Até que a casa passe por uma reforma total num futuro não
muito distante, dá pra levar desse jeito.
          Então decidimos fazer nós mesmos, eu e o Robert. Não preciso falar que tive um ataque de asma por 3 dias, mas o resultado ficou muito bom. Até me disseram: "Nossa, parece uma loja!" Nem tanto, mas ficou bom. A montagem é rápida!





O kit não vem com a prateleira superior que compramos
à parte por 25 dólares. Precisávamos de lugar
para colocar as malas de viagem
A prateleira foi comprada separada
Colocamos também um suporte de apoio nos cantos
    
        Gastamos 340 dólares com a parte de madeira, prateleiras e "pau de cabide" (nome inspirado no pau de self). Pagamos também 90 dólares no espelho e gastamos uns 40 dólares com tinta, pincéis e massa para tapar buracos. Fica a dica para quem quiser melhorar os closets de suas casas aqui nos EUA. É tudo muito fácil de montar e não precisa de ferramenta nenhuma. Uma furadeira, um martelo e o resto, as buchas e parafusos já vêm todas no kit closet. Eis o resultado final!






Consegue ver ao lado dos cabides 4 furos que o Sr Robert teimoso
fez no lugar errado? :/


E assim a vida vai ficando melhor e mais organizada.
Segundo o Feng Shui, "coisarada desanda" a vida...
Se livre das suas também!







quarta-feira, 1 de abril de 2015

Os Melhores Bairros de Orlando


            Há uma grande confusão entre muitas pessoas que falam de "Bairros de Orlando". Eu já vi várias listas "Os melhores bairros de Orlando" contendo Windermere (pronúncia é Windermír - por favor) entre eles. Acontece que Windermere é outra cidade, não é um bairro de Orlando. Não há muitos bons lugares em Orlando (cidade) para se viver. Na verdade, a cidade de Orlando é pequena com aproximadamente 260 mil habintantes. O mapa geográfico de Orlando abaixo mostra que não há muito de "Orlando" no que se diz por aí.



            Há outro motivo de confusão, devido ao fato de que, na Flórida há também uma delimitação de área chamada "Área Designada", que não é cidade, não é bairro, não é condado (pode ser chamada também de "área não incorporada"). É somente uma área que tem um nome designado que presta contas a um certo condado do estado da Flórida. Flórida é o estado. Dentro do estado há os "condados", dentro dos condados há as cidades e as áreas designadas. Orlando fica dentro do Condado de Orange (laranja) e a Disney, Kissimmee (pronúncia Kissííííííími e não Kissimíííííí), etc fica dentro do condado de Osceola.

O estado da Flórida é dividido em "condados"
Orlando fica no condado de Orange.
            Então neste post não vou falar somente sobre os melhores bairros de Orlando e sim sobre os melhores lugares para se viver na "região de Orlando". Daria para escrever um livro se eu fosse citar todas as escolas, elementares, fundamentais e médias da região. São dezenas de dezenas. 

            Eu irei colocar em ordem de minha preferência. É claro, se eu pudesse mesmo, viveria em Santa Bárbara na Califórnia. Mas não é pouco dinheiro que é preciso ter para morar na Califórnia, então vamos ser gratos com o que temos?

1- Windermere


            A cidade de Windermere fica por volta de 14 milhas do centro de Orlando. Se procurarmos no Google, é realmente pequeno. Uma pesquisa fora dos limites que você vê no mapa abaixo também consta como endereço Winderemere...vai entender? Ainda não consegui a resposta para este mistério. O fato é que Winderemere é uma cidade "de grife". É lá que estão as casas e mansões das celebridades, como por exemplo a casa recém adquirida pelo jogador de futebol Kaká, certo? Errado...a residência do Kaká fica em Isleworth que pertence ao Condado de Orange e não a Winderemere. Em 2007 houve uma tentativa de anexar Isleworth a Windermere e o condado de Orange lutou com todas as forças e ganhou. Afinal milhões de dólares em impostos residenciais estavam em jogo. Windermere mesmo tem menos que 3 mil habitantes.

Windermere é só o que se vê em destaque no mapa.
Mas residencias ao redor têm endereço Windermere também. 

            Mas quando você está em Isleworth, Lake Buttler e região, tudo alí é chamado de Windermere. Até condomínios em Winter Garden levam o nome Windermere blá blá blá. Todos querem um pedacinho do nome para poder dizer "eu tenho casa em Windermere" ou eu "moro em Windermere...tá?".

            Não é à toa. É um lugar maravilhoso de se viver. Entre as BMWs, Audis e Mercedes que deslifam nas ruas arborizadas há muito mais do que carros e gente bonita. Há educação, civilidade, respeito, limpeza e ordem. Há muitos condomínios com portaria pois quem tem posses, gosta também de privacidade e prefere que o trânsito seja somente local, de moradores.

            É lógico que as escolas são A. Como 51% do IPTU vai para a escola pública, imagine o tipo de escola que se tem por alí. Mesmo assim, muitos milionários têm seus filhos em escolas particulares de Orlando, que são, em número, infinitamente menor que o número de escolas públicas. Sabe o número de assassinatos em Windermere de 2001 a 2012? Zeeeeeeero!

Esta residência em Isleworth já pertenceu ao jogador de Golf
Tiger Woods


2- Winter Garden


            Este é fácil. Você clica neste link aqui onde eu já escrevi sobre Winter Garden. Winter Garden é, em parte, uma Windermere mais barata. O mesmo tamanho de casa em Winter Garden, paga-se 100 mil dólares a menos do que em Windermere. É também muito organizado, limpo, ordeiro, etc, com a diferença que se alguém não consegue viver sem glamour, não vai gostar. É a medalha de prata, entende? Infelizmente quem ganha medalha de prata, só sabe chorar porque não pegou a de Ouro, afinal, na disputa, pela de ouro, quem perde fica com a de prata. Mas está na hora de sermos agradecidos pelo que temos e Winter Garden, na minha opinião, é um dos melhores lugares para a classe média viver, talvez no mundo.

3- Dr. Phillips


            A classe média alta e alguns ricos moram em Dr. Phillips. Dr. Phillips é uma Área não Incorporada. Não é bairro de Orlando, mas acho que se alguém quiser chamar de bairro que mal tem? Melhor do que contar a história inteira de Área não designada e tal...    
    
            Dr. Phillips é perto de tudo. É perto do centro, é perto da Disney, é perto do comércio, da International Dr, dos outlets, do Millenia Mall, etc. É muito bom viver perto de tudo mas há um catch22 (pegadinha, como se diz aqui). Há também trânsito, aglomerado de gente, de carros, etc. Sem dizer no fato de que é um excelente bairro rodeado de bairros não tão bons assim...mas é morar no que de melhor a cidade e grandes aglomerados podem oferecer.

            As escolas são muito boas, tem excelentes restaurantes por perto e algumas communities (bairros dentro dos bairros) parecem extraídas de cartões postais.



4- Winter Park

Rollins College Winter Park

            Winter Park é famoso agora em Orlando. Todos que visitam a cidade, querem conhecer. A "culpa" se deve ao Amauri Jr. que fez um programa só sobre Winter Park. Depois o Renato, aquele metido do blog do Tio Sam escreveu vários posts sobre Winter Park e aí o povo todo "descobriu" o lugar.

            Winter Park é bem mais antiga, tem até linha de trem que passa no meio da cidade. Tem de tudo por lá. Winter Park também tem ruas pobres, gentalha barraqueira, mas tem áreas de mi-lio-ná-rios, com casas realmente impressionantes. É uma cidade bem charmosa, vê-se uma classe média trabalhadora, de mãos na massa mesmo, pelo fato de se ver inúmeros comércios, escolas, faculdades, etc.

            A Highschool  mais famosa da região talvez seja a Winter Park High School com nota A. Na Park Avenue, só se ouve inglês e de vez em quando um português e mais nada. Gente muito simples talvez nem se sinta à vontade andando pelas calçadas da Park Avenue. Eu ouvi uma senhora brasileira dizer outro dia "Nossa, só tem Grãfino aqui" e ao olhar pra mim eu fiz cara de quem não entendeu. É um truque ótimo para ouvir o que as pessoas realmente pensam quando você está nos EUA. Eles pensam que você é americano e não entende o que eles dizem. Eu me divirto.

            Nas ruas dos bairros de Winter Park se vê árvores centenárias. Muito diferente de Winter Garden que é muito novo e as árvores das ruas e das casas ainda são muito pequenas. Já em Winter Park, a vegetação é tão abundante que em algumas ruas, as árvores impedem a entrada do sol. Além de tudo é um lugar bom para se viver, tranquilo, bem perto do centro de Orlando com boas escolas e faculdade Rollins College. Nos finais da tarde, os alunos da Rollins se encontram para Happy Hour no BurguerFi da Park Avenue.

               Fotos que eu tirei de Winter Park à caminho do banco, supermercado, etc. É como viver dentro de um Parque do Ibirapuera...











5- Baldwin Park

       
               Quem lê o blog sabe que eu moro à pedaladas de distância de Winter Park e Baldwin Park, porém não definitivamente em nenhum deles. Eu moro em Audubon Park. É bom, já ganhou prêmio de bairro modelo de 1996, mas hoje está meio caidinho. Precisa de um TLC. Mas nada como Baldwin Park. Baldwin Park é algo que você vê em filmes e séries americanas. Não existe fios expostos e postes só de luz. Em tempo de furacão, lá não acaba a luz, tá? É realmente muito bonito e organizado. Uma vez levei um brasileiro passear lá, na época que eu trabalhava de motorista de turista e ele disse: 

"A gente pensa que tem qualidade de vida no Brasil vivendo em uma mansão dentro de um condomínio fechado até ver isso aqui".

            Meu cliente e amigo Emerson também é loco por Baldwin Park desde que eu apresentei a ele. O sonho dele é morar lá num futuro próximo. Ele já até disse que moraria sem problema em uma townhouse (casa geminada) de 3 andares a poucos passos do supermercado Publix de Baldwin Park, onde fazemos nossas compras.

              Baldwin Park fica em volta do lago Baldwin (eu já vi jacaré lá ok?). São casas de lote zero ou não, geminadas ou não e que têm entre elas estabelecimentos comerciais, lojas, cafés, etc. É bem caprichado. Depois das 5 da tarde, é hora dos moradores caminharem na ciclovia de 5k ao redor do lago. Depois tomar um café ou "uns drinks" com amigos nos diversos restaurantes e bares dalí. Desde que foi construído por volta 2000, é muito procurado por jovens profissionais bem sucedidos. Os imóveis são caros, mesmo os pequenos. A semelhança com Celebration é devido ao fato de que os mesmos construtores que fizeram Celebration fizeram também Baldwin Park.

Naquelas construções bem perto do lago com um estacionamento
interno fica o Publix (supermercado) que eu frequento.
Essa rua dividida por um lago no meio é a New Broad Street


6- Celebration


            Celebration, entre os brasileiros é conhecido como "a cidade do Silvio Santos" e o motivo é que o apresentador brasileiro tem uma casa onde passa férias todos os anos na cidade. E é bom mesmo? Sim, Celebration é um charme com prós e contras. Os prós são as escolas, a organização, limpeza, educação dos moradores, nível social, etc. Os contras, na minha opinião, é que é muito turística. Nos feriados há um aglomerado de pessoas muito grande e consequentemente trânsito. É como morar em Campos do Jordão (SP). Durante o ano deve ser agradável, mas no Natal, Páscoa, 4 de Julho, pode-se demorar uma hora para atravessar o centro da cidade e não há vagas suficientes para estacionar tantos carros de tantos visitantes. Os restaurantes ficam lotados, as lojas são caras e também o valor dos imóveis.

            Celebration foi idealizada, projetada e construída pela Disney. Depois foi entregue ao condado que hoje cuida de tudo, inclusive do Hospital de Celebration. Isso estampou na cidade um selo "Disney" que custa caro pagar. Há desde pequenos apartamentos, casas geminadas até mansões. Se a "muvuca" dos feriados não incomodar, é um lugar muito bom de se viver para quem pode pagar o alto valor dos imóveis da cidade (e também os impostos residenciais!).


7- Lake Nona



            Lake Nona não é muito conhecida, mas está entre as áreas da classe média alta da região. A área localiza-se logo abaixo do aeroporto internacional de Orlando e é uma área que está em pleno desenvolvimento. Há boas escolas, hospitais e comunidades bem organizadas. A área está desenvolvendo um complexo grande na área da saúde com hospitais, faculdade de medicina, centros de tratamento de doenças específicas que serão referência nos EUA.

            Talvez seja bom o investimento em uma área que está se expandindo em um nível alto de residências, parques e comércio. A única desvantagem que eu vejo de viver em Lake Nona é a distância. Como todos os locais informados neste post, vai depender muito de onde a pessoa vai ter que trabalhar. Áreas mais isoladas é preciso pagar pedágios para usar as principais vias, que geralmente ficam vazias pois os americanos não gostam muito de pagar por coisas que existe a opção de não pagar. Por isso a I- 429 é vazia e a I-4 é lotada na hora do tráfego.





8- Hunters Creek



            Hunters Creek é a área preferida dos brasileiros e por quê? Eu poderia dizer que é uma área muito organizada, limpa e acima de tudo muito bela. Aliado a isso coloque o valor acessível dos imóveis. Também a proximidade aos parques, a Kissimmee e International Drive faz com que muitos brasileiros escolham a área para morar. As escolas são muito boas e tem-se tudo à mão. Há também um número elevado de imigrantes na região, mais do que em outras áreas, bairros e cidades mas em número menor do que Kissimmee e outros bairros e cidades da região.

            Hunters Creek é um pouco polêmico. Eu conheço pessoas que adoram e defendem com unhas e dentes! Até me xingaram na Fã Page do Facebook porque eu não citei a área não designada quando falei de Winter Garden. Há alguns porém, que não gostam. Os motivos que eles alegam eu não posso dizer nem repetir pois os corretores na Flórida não podem falar negativamente de nenhuma área da cidade sem serem acusados de discriminação contra raça, sexo, idade, origem, condição social, religião, etc.

            No entanto, como citei, há pessoas que adoram a área e não trocam por nenhuma outra da cidade.



Conclusão

            Na sua maioria, Orlando e região são muito bons de se viver. Há áreas a serem evitadas e isso pode ser encontrado em blogs e websites de brasileiros na internet. Agora que eu não sou mais um simples blogueiro, preciso tomar cuidado com o que eu falo rsss. Mas, como em quase todas as partes da Terra, há lugares a serem evitados e Orlando não é exceção. Há áreas realmente perigosas e ao contrário do que qualquer pessoa possa dizer, há preconceito. No entanto não seria um preconceito de "origem". Se a pessoa for educada, é bem tratada em qualquer lugar ou bairro bom da cidade. Mas em bairros pobres com maioria de uma certa etinia outros que não pertencem a esta etinia podem ser discriminados, entendeu? Converse com quem mora aqui.

            Por favor não fique ofendido se o bairro que você mora não apareceu nesta lista. Isso pode ter-se dado por três motivos. O primeiro pode ser que eu não conheça tal bairro ou cidade. Eu moro em Orlando há 6 anos e há áreas que eu nunca fui mesmo. O segundo motivo pode ser que eu não ache que seja relevante para o post pois citei as áreas mais diretas e próximas ao centro de Orlando. Por último pode ser que eu considero o lugar ruim mesmo e não moraria alí a não ser que não tivesse opções. E isso é a minha opinião e espero que respeite. Assim como eu respeito cariocas que escrevem pra mim dizendo que o Rio de Janeiro não é violento e um lugar muito seguro porque eles nunca foram assaltados. Got it? A mesma coisa São Paulo. Tem gente que ama e eu detesto! E nasci lá, posso falar!

            Se quiser examinar o índice de criminalidade de uma área pode usar este link aqui. Para ver as boas escolas da região, este aqui e também este aqui.

            Se estiver em processo de imigração e desejar adquirir um imóvel em Orlando e região, envie um email para renato@drimproperties.com

            Abs a todos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...