domingo, 18 de setembro de 2016

Design de Interiores nos EUA

          Muitas pessoas ao decorrer deste ano mesmo me pediram para escrever sobre Design nos EUA e quais as principais diferenças entre os EUA e o Brasil em termos de Design. Em primeiro lugar, eu tenho uma ideia de como é projetar no Brasil mas não saberia dizer exatamente como funciona pois, afinal de contas, nunca trabalhei como designer no Brasil. No Brasil, meu último emprego, como os leitores sabem, foi de professor de matemática na Escola Carandá em São Paulo. No entanto, é possível ver claramente as diferenças entre esses dois países com respeito ao estilo e também quanto às lojas, sem falar no custo de decorar uma casa aqui e uma no Brasil. Mas não vamos partir para esse assunto depressivo, não é mesmo?

          Vale dizer que as construções variam também, assim como o estilo. No Brasil percebo já por muitos anos uma tendência moderna nas construções e também no design e decoração. O brasileiro gosta muito de branco. Vários clientes meus, ao primeiro contato pronunciam as palavras "moderno" e "branco", muito associado com o termo "clean" e "minimalista" que significa o mínimo necessário dentro de um ambiente. Se formos traduzir este parágrafo em uma imagem externa e interna, seria mais ou menos assim:




          E isso é ruim? Logicamente que não. Cada um de nós tem um estilo que nos atrai e que gosta mais do que outros e isso se deve por vários fatores como a casa em que cresceu, bem como a época em que viveu. Dito isso não é muito comum ver, nos EUA casas modernas com interiores modernos também, principalmente na Flórida. Há bairros e cidades onde esse tipo de arquitetura e design são mais comuns e mesmo em Orlando, aqui vizinho a mim, em Winter Park, várias casas antigas foram demolidas e no lugar, construíram-se casas modernas como essa. Na Califórnia esse tipo de construção é bem comum e no Brasil também. E a minha opinião qual é? Gosto deste estilo? Sem dúvida nenhuma é um estilo muito bonito, mas mesmo nesse ambiente acima, podemos detectar alguns pontos ou falhas em termos de "design". Vamos primeiro deixar claro que decorador não é designer e arquiteto, embora seja "designer" pois o termo traduzido seria "projetista", este não tem, no curso de arquitetura nem aqui, nem no Brasil, um estudo aprofundado sobre design de interiores, princípios do design, história do interior design, mesmo dentro das cavernas que foi o primeiro tipo de design na história da civilização. O curso de design oferece em 4 anos, um estudo aprofundado do interior das construções, desde casa até hospitais e como o ser humano se comporta e sente as características do ambiente ao seu redor.



          Na foto acima, um ambiente monocromático (monotone em inglês) dá para perceber que o sofá da sala não é confortável. O assento está deveras longe do encosto o que fará com que o corpo fique quase deitado no sofá, com a coluna encurvada e o pescoço virado para frente. A não ser que você tenha mais de 1,90m de altura e somente menos de 10% da população tem, essa é a posição que irá sentar neste sofá. Os dois assentos, mesmo o sofá como as cadeiras estão posicionados um à frente do outro. Se quiser assistir TV terá que virar sua cabeça 90 graus ou 45 graus o corpo e 45 graus a cabeça. A Tv está posicionada distante dos assentos. Para cada tamanho de TV há a distância mínima e máxima para assistir confortavelmente, bem como a altura em que é posicionada. Outro fator é que sem o auxílio de cortinas e black outs, a luz das grandes janelas torna difícil visualizar o que há na TV, a não ser que seja noite. Percebeu? É bonito na foto, mas não é "functional". Não é funcional, não funciona para o objetivo proposto. Uma outra palavra que não combina com esse interior e que quase todos nós buscamos é a palavra "aconchegante". Aliás o branco tem pouco de "aconchegante". Também a palavra monotone (um só tom) tem uma derivada monótono que você sabe bem o que é. 

          Outro fator a considerar é que esse tipo de ambiente "casa" com o estilo arquitetônico da propriedade. Mas seria um erro fazer um ambiente desses dentro de uma casa com estilo arquitetônico tradicional. Ao entrar na residência sentiríamos que algo está errado e não saberíamos dizer o quê.

Em uma casa no estilo American Colonial seria um
erro fazer ambientes ultra modernos

       Nos EUA, há diversos estilos de construção e o moderno deve ser o menos construído. Principalmente pelo custo. Casas modernas custam, pelo menos, o dobro do valor por pé quadrado, do que uma construção tradicional quase em qualquer estilo. Mas o moderno dá status, dá idéia de caro, de "riqueza", de sucesso, de bom gosto, etc, claro, primeiramente difundido pelos filmes de Hollywood. Por esse motivo muitos desejam ter este tipo de construção e design, não tanto pelo conforto, mas pela beleza e pelo status. Casas ultra modernas têm mais a ver com o status que proporciona do que com o aconhego que a família sentirá dentro da residência. Dá uma impressão que o proprietário é no mínimo uma pessoa sofisticada, inteligente, acima da maioria. Será?

           Até este ponto conseguimos definir a principal diferença. A grande maioria dos brasileiros gosta do moderno e branco enquanto a grande maioria dos americanos, agora, opta pelo tradicional contemporâneo. O que seria o tradicional contemporâneo? Aqui vão algumas fotos:





          Há alguma dúvida de que estes ambientes são aconchegantes? Sim, é o tipo de design que faz você não querer sair de casa. Sua casa é o melhor lugar do mundo e a pessoa deriva prazer da beleza, funcionalidade e "aconchegância" (inventei agora rss). Os som são abafados e absorvidos pelos diversos tipos de tecido e texturas. Cortinas filtram a luz externa e não agridem a visão. Não há contraste e seu rosto não franze por causa do excesso de luz. As camas, cadeiras e sofás são confortáveis e o design feito para estatura da maior parte da população. Tudo foi pensado inclusive aonde sentar para amarrar os sapatos. As pessoas só percebem a falta de um banco ou cadeira quando têm que sentar em uma cama alta para calçar os sapatos.

          Não fica nada barato fazer ambientes assim. Dá para ser criativo e economizar em muitos pontos, mas projetar tetos, paredes, molduras, lareiras, janelas etc pode custar caro pois a m-d-o nos EUA não é cara e sim "valorizada". Quem trabalha bem e é profissional quer receber bem pelo que faz e merece mesmo. Se achar que um profissional é caro, imagine quanto custará um amador depois do resultado imperfeito?

         Por esse motivo há uma diferença principal entre Brasil e EUA. As lojas tem móveis tradicionais, tradicionais contemporâneos e quase nada de moderno. Há pessoas que vão até Miami para poder visitar lojas e comprar móveis modernos para suas casas. Como eu já disse antes aqui no blog e repito sempre para meus clientes, "gostar de decoração e achar que tem bom gosto, todo mundo acha". Mas colocar tudo junto em uma casa só é preciso um pouco de teoria aprendida em cursos específicos. Há inúmeras coisas a considerar, a saber, cor, luz natural, artificial (há 5 tipos), circulação, segurança, funcionalidade e por aí vai. Uma contagem simples dos livros sobre design que tenho nas prateleiras da minha sala e que tivemos que estudar na faculdade são pelo menos 30. Há sim o fator bom gosto e talento, mas grande parte é teoria mesmo. 

Somente este livro, tem 700 páginas e estuda
em detalhes a circulação dos ambientes

          Há em Orlando uma loja de móveis modernos chamada Scan Design. Um sofá nesta loja pode custar 10 mil dólares. Uma cadeira, 3 a 4 mil. Com orçamento pequeno (geralmente é o caso) fica inviável comprar móveis nessa loja. É claro que ao adquirir um imóvel em Orlando, os brasileiros tentam comprar o melhor imóvel possível que podem pagar, mas quando chega na hora do Design e decoração, praticamente o dinheiro já acabou o orçamento é muito pequeno. Uma boa decoração e design deveria ser entre 15 e 20% do valor do imóvel para fazer algo médio-alto padrão. Mas a maioria que compra um imóvel de 450 a 500 mil dólares quer decorar uma casa toda com 35 a 40 mil que é menos de 10% do valor do imóvel. E não dá pra fazer? Sim, claro que dá, mas não vai ficar do jeito que a pessoa "imagina". 

Na Scan Design de Orlando dá pra comprar móveis
para se montar uma casa igualzinha a dos Jetsons

          Especialmente para as casas de locação de temporada, o que são 90% dos casos em que minha empresa é contratada, é preciso fazer algo que a maioria gosta, não especialmente o cliente. Se o cliente só vai usar a casa dele 10% do ano, então o seu gosto deveria ser 10% do design e 90% dos outros clientes que usarão a casa, se a finalidade é alugar e fazer com que o imóvel se pague e ainda sobre um pouco para a família vir passar as férias nos EUA. Na prática é o contrário. O cliente deseja 90% do seu gosto e não quer se importar com o que a maioria gosta. Por exemplo, americanos e europeus não alugam casas modernas e brancas, que é o que o brasileiro quer. E os brasileiros querem casas brancas e modernas o que não há muitas disponíveis no setor de locação. Se fizer uma decoração para um tipo específico, perde-se o resto da clientela em potencial. Por isso é bom fazer neutro. 

         Por esse motivo, sempre que inicio um projeto, converso bastante com os clientes e os faço entender que o melhor projeto para uma casa de locação e férias é o tradicional contemporâneo aliado ao estilo "boutique hotel" que qualquer um pode pesquisar na internet. O estilo boutique hotel é o que vemos nos hotéis mais caros do mundo. Há o mínimo de estampas, não é masculino nem feminino e não vai a nenhum extremo. Agora se a casa é só de férias da família, pode-se então fazer o que quiser. Sempre pensando numa futura venda da propriedade é sábio não ir à extremos. As tendências são em quase sua maioria um erro enquanto a elegância nunca cai de moda. Um exemplo é o uso de papel de paredes. Enquanto no Brasil é moda, nos EUA é fato que casas que têm papel de parede são mais difíceis de vender pois além de ser muito pessoal é trabalhoso e custoso retirá-los de paredes feitas de drywall e quase sempre com texturas. Em termos simples o papel de parede "espanta" os possíveis compradores. O objetivo de todo designer, nos tempos atuais onde o dinheiro é curto, é criar um ambiente "timeless", não está associado a nenhuma época e também jamais parecerá velho ou ultrapassado. 

          Pouca gente sabe mas, o design e decoração de uma residência pode melhorar a qualidade de vida da família de uma maneira jamais pensada. A segurança, funcionalidade e beleza pode fazer que os proprietários não só tenham uma vida repleta de boas sensações dentro de sua casa, mas também um lar que dá orgulho em receber amigos e parentes. Eu acredito que o próximo post, pedido por muitos, será como funciona na prática fazer um projeto aqui nos EUA em detalhes. Desde a conversa com os clientes até a montagem da casa.

           Seguem algumas fotos de ambientes que eu projetei e montei junto com minha equipe. Não são necessariamente o meu estilo, mas o melhor dentro do estilo e gosto de cada cliente.






O quarto da Juju ;-)



















11 comentários:

  1. Samantha Figueiredo18 de setembro de 2016 14:42

    Parabéns pela postagem!!! Sou arquiteta e concordo completamente com tudo que vc disse. Parabéns pelos seus projetos, são todos sempre incríveis!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Samantha. Espero não ter ofendido quando falei sobre arquitetos. Meus professores, alguns deles eram arquitetos, eles que comentavam que o curso de arquitetura não se aprofundava no design
      Abração!

      Excluir
  2. Oi Renato, muito legal seu texto, gostaria que você comentasse sobre acústica nas casas americanas, já que são na maioria de drywall, vou te dizer que adoro cores e esse estilo clean , acho que fica bonito só na foto. Abraços,
    Cel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cel, vou comentar sobre isso no próximo post
      Obrigado!

      Excluir
  3. Renato

    Acompanho seu blog, desde o início.

    Você pode escrever sobre qualquer assunto e ainda
    assim despertar interesse dos seus leitores. (você sabe disso? não é?)

    O que você acaba de postar foi uma aula gratuita.

    Nos presenteie com outras dessas aulas, falando sobre materiais, dicas de aplicação...
    certamente não vai faltar assunto.

    Outra coisa, já pensou em dar aulas novamente ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu adoraria dar aula novamente. Acho que vou fazer mestrado para ensinar em faculdades
      Abs e muito obrigado pelo seu comentário!

      Excluir
  4. Parabéns Renato, excelente post e muito esclarecedor. Tradicional contemporâneo é um estilo q amo e acho q aconchego e funcionalidade sem dúvida definem esse estilo.

    ResponderExcluir
  5. Boa tarde Renato,
    Antes de tudo, parabéns pelo post...
    Eu acho simplesmente maravilhoso. Todas as fotos de seus trabalhos mostram o cuidado com os detalhes, beleza e lógico funcionalidade. Já havia percebido isso em outros tópicos. Gostaria eu de ter um olhar apurado como esse e lógico $$$$$.... (rs...). Se eu pudesse lhe contrataria para a decoração da minha casa, como não posso, só me resta sonhar, por enquanto e batalhar para chegar lá...
    Boa sorte!

    ResponderExcluir
  6. Linda em todos os lugares. Muito belas fotos.
    abraços

    ResponderExcluir
  7. Que máximo!
    Sou formada em Design de Interiores, mas nunca trabalhei na área. Amei o post sobre essas diferenças culturais no design. Muito bom!

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...