domingo, 13 de junho de 2010

Continuação...

Terminei o último post perguntando “...será que vale a pena? Não seria melhor eu desistir e começar um curso normal de inglês de um ano, pelo menos? O que você faria no meu lugar hein?”

Quem me conhece já sabe a resposta. Não, não desisti do curso do TOEFL. Afinal eu tive que fazer uma prova pra saber se era “apto” para o curso do TOEFL. Se eu passei no teste, porque desistir agora? Claro que meus companheiros de classe não facilitaram as coisas. Consegue imaginar que em 16 aulas ninguém falou mais do que o necessário um com o outro? Ninguém conversava, todo mundo mudo, cada um por si, Deus por todos.
Fui em todas as aulas(menos uma, maldito incendio na Santo Amaro!), fiz 80% das lições de casa, frequentei o curso extra de pronúncia(o melhor que já frequentei!) e fui nas aulas de laboratório. Resultado: No dia do teste estava confiante porque sabia que tipo de prova faria. Dos 15 selecionados pra fazer a prova do TOEFL aquele dia na Cultura Inglesa, 3 tinham frequentado um curso preparatório. O resto, foi com a cara e a coragem. No intervalo, muitos comentários do tipo: “Essa prova é impossível!?”. Não é impossível gente! Precisa estudar ne?

Duas semanas depois, vi meu resultado ‘online’. 93 pontos! OMG! (Oh My God!), uma coisa a menos pra me preocupar. Agora tinha que correr atrás do GRE (general record examination). Outra prova nos moldes do TOEFL mas para pessoas graduadas. Um teste em inglês com questões inclusive de matemática. Essa prova eu fui com a cara e a coragem e....claro, não passei. Foi por pouco... Depois fiquei sabendo que a minha faculdade não exigia esse teste. Ufah...! Dane-se voce GRE.

A UCF (Universidade Central Florida) não aceitou minha “application”(solicitação). Alegaram que pra fazer o curso de mestrado em matemática eu tinha que ter “bacharel” em matemática. Eu só tinha a licenciatura. Tentei de todas as maneiras convencê-los de que a licenciatura é superior ao bacharelado, mas não adiantou. Ótimo!! Essa era a desculpa que eu precisava pra NÃO ir para a matemática novamente. Agora eu podia escolher um curso legal em algo que eu realmente estivesse motivado!

Como eu sou um apaixonado por reformas, design, mobília, estilos, arquitetura, etc acabei escolhendo o curso de Bacharel em Design de Interiores. Meu pai falou: "Voce vai ser decorador?" hrrrrrrrrrrrrrrrr quase matei ele! OMG
Achei na internet uma faculdade em Orlando. IADT – International Academy of Design and Technology. Preenchi o formulário ‘online’ e surpresa! Me ligaram no dia seguinte no meu celular!!?? What the hell???

Conversei com o “advisor” e ele me deu os passos pra continuar com a minha “application” (solicitação). Lista de documentos em mãos comecei a minha longa trajetória de 1 ano pra deixar tudo pronto. Traduções juramentadas do histórico escolar, diplomas de faculdade e traduções comuns de todo o resto, inclusive do currículo, carta do banco, carta do meu pai dizendo que ele ia me ajudar a pagar o curso (So no papel, infelzimente... :(  ), e mais algumas coisas.
A faculdade exige que você comprove que tem dinheiro suficiente pra cursar o primeiro ano sem trabalhar, visto que após o primeiro ano você pode trabalhar em qualquer lugar. Por isso comecei a trabalhar muito e a economizar cada centavo. Mudei para casa do meu pai parei de pagar aluguel.

Escuta só, quando vendi minha casa em 2006, mudei-me pro "Alto da Boa Vista" (bairro de grife, hein!) de caminhão de mudanças "Graneiro"....Agora, saí do meu bairro de grife com destino à "Piraporinha" de "carreto"....que destino... :-(
Dei quase todos os meus móveis para minha mãe e levei um pouco comigo. Após um ano já tinha tudo que a faculdade exigia e mandei num pacote ENORME via correio.

Encontrei também a família que se ofereceu pra me hospedar. Muitos emails ida-volta pra combinar tudo direitinho. Direitos e deveres. Não fiz contrato porque nossas conversas estão todas registradas na minha caixa de entrada no computador. Qualquer coisa é só imprimir e esfregar na cara. hehehe

Dia de US Embaixada

Com todos os documentos, comprovantes, extratos bancários, declarações de imposto de renda, cartas da faculdade, formulário I-20, etc, etc, etc....me ‘danei’ pra embaixada...

As pessoas escrevem algumas besteiras em sites que eu vejo por aí como por exemplo: “Você tem que comprovar que deixará os EUA após o término do curso” Como é?? Como se comprova isso??
Outra: “Você tem que comprovar que tem vínculos com o Brasil, por exemplo, imóveis, filhos, esposa...” What the hell? Se fosse assim eu nunca teria vindo uma vez sequer aos EUA...

Até no site da embaixada tem escrito algo parecido. Mas a verdade é que, nas 4 vezes que eu eu fui até a embaixada para tirar um visto, renovar, etc, eu não tinha nada disso. Nunca me pediram tais documentos ou tais comprovações. Somente comprovante de renda, endereço e motivo da viagem.

Dessa vez a oficial gordinha só queria saber: Você tem dinheiro pra pagar o curso? Onde estão os extratos bancários?
Seu pai vai te ajudar? Ok, onde está a declaração de imposto de rende dele? SÓ!! Mais nada!! Eu não tenho imóveis, esposa, filhos, nem muito menos uma “prova” de que iria voltar. Em menos de 2 minutos eu já tinha meu “YES”.
Me 'danei' para uma loja da TAM...
Trabalhei como um escravo por dois anos pra economizar. Vou pra Orlando sem escalas!! Eu mereço!! “Repita sempre pra você mesmo: Eu mereço!” disse a minha terapeuta. Mas cuidado, não faça como eu. Não saia comprando por aí no cartão de crédito repetindo pra si mesmo “Eu mereço”. As consequências são terríveis…

Uma semana depois recebi meu passaporte pelo correio com meu visto F-1 com validade até dezembro de 2013.

Poucas coisas precisavam ser feitas: Vender o carro, resolver o que levar, organizar a partida, me despedir. Infelizmente não deu tempo de me despedir de todos os meus amigos. O tempo vôou. Fim de ano na escola. 13 alunos particulares pedindo aulas extras, morando na maravilhosa "piraporinha" apenas 20 km da escola. Acordando às 5 horas da manhã todo santo dia, indo dormir por volta das 11 horas da noite. Quando me dei conta já era dia 22. Minha partida seria dia 24. Trabalhei até dia 19!!
Posso ter ido pra Piraporinha de "carreto", mas agora eu estava indo pros STATES num vôo sem escalas. Tô vingado!

to be continued...

6 comentários:

  1. Só agora estou acompanhando sua saga. Muito legal/genial! Você devia ser, sim, patrocinado pelo Itamaraty, pelo roteiro informação com diversão.
    bejão

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade. Também estou dando umas risadas aqui.

      Excluir
  2. Renato, descobri s/blog no Top 100. Concordo com o Dênis, e sendo você professor estou vingada também, afinal viver aqui com esta profissão e ganhar pelo que pagam, nin-guém merece!!! Não, não sou professora, tive duas condenações,mas me livrei de todas,hahahaha Muito Sucesso, Sorrisos, Saúde e Sorte na terra que um dia ainda vou passar uns tempos, vou continuar colhendo dicas por aqui. Bjs Wilma

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Wilma!
    Tudo que realizamos começa um dia em um pequeno pensamento que se torna um sonho. Continue sonhando e 'realizando'.
    Sucesso e bj pra você também!
    R.

    ResponderExcluir
  4. Olá Renato. Moro na Suécia e cheguei a seu blog pela Karine (do ka.entre.nos). Parabéns! Muito bem escrito. Sucesso. Abs

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...