sábado, 30 de março de 2013

Impressões do Brasil



          Por 2 semanas eu estive em SP para visitar minha família depois de 3 anos e 4 meses que estou nos EUA. Preciso confessar uma coisa. Quando meu pai me disse para comprar a passagem eu não estava nem um pouco com vontade de ir para o Brasil. As notícias que vejo na internet me fazem ficar com "receio" de visitar o Brasil. Uma vez lá em SP o receio já tinha passado e eu fiquei muito contente de ver minha família e amigos, muitos dos quais, nem pela internet eu tinha contato. Muitos não teem Facebook ou mesmo MSN. Ir na escola que eu trabalhei por 7 anos foi muito emocionante. A coordenadora da escola me agarrou e não me soltava. Me levou para a sala dos professores onde abracei os antigos colegas e amigos e de repente, a sala estava lotada com ex-alunos, todos querendo abraçar o antigo professor. Fiquei emocionado com a recepção. A gente não tem noção do quanto influencia a vida das pessoas.


Alunos e professores na recepção que fizeram pra mim no
Bar Genuíno na Vila Mariana

          Eu acho que cada um de nós vê o que quer em qualquer situação, não concorda? Por exemplo, eu conheço gente que só vê os aspectos bons do Brasil e "escolhe" ignorar todo o resto. Gente que só vê o que há de ruim nos EUA e "escolhe" desconsiderar todo o resto. Nesses 15 dias vi gente assim, mas eu estava disposto e aberto a ver o bom, o mau, o bonito e o feio. A pergunta que mais ouvi de todos foi: "E aí? Lá é melhor que aqui?". Pergunta difícil de responder embora isso seja bem claro na minha mente. Difícil porque se eu dissesse que é melhor estaria mentindo. É melhor em alguns aspectos e pior em outros. E se dissesse que é pior, percebi que alguns ficariam ofendidos. Também não queria dar uma de "metido" porque eu sei que muitas pessoas gostariam de viver em um lugar melhor mas simplesmente não teem essa opção como eu não tive por muitos anos.

          Se eu fosse descrever SP com uma palavra essa seria a escolhida: "Caos". São Paulo tem quase 1,5 milhão de carros a mais de quando saí de lá em 2009. O trânsito piorou drasticamente e não vejo solução ou melhora para a situação. O número de motoqueiros duplicou pelo que pesquisei. Antigamente eles eram até educados quando você abria passagem. Agradeciam, businavam, faziam sinal com a mão. Hoje se você não sai do caminho gritam, chutam seu espelho (o que aconteceu comigo). Fazia 3 anos que não via acidentes (nunca vi um em Orlando, embora haja acidentes, é claro). Em São Paulo, em 15 dias, vi 3 acidentes e pessoas mortas deitadas no meio da rua, o que pra mim foi chocante. Eu não escolhi ver isso, simplesmente isso apareceu na minha frente. A agressividade dos motoristas no trânsito de SP é incomum. De cara percebi que meu jeito de dirigir aqui nos EUA não me levaria a lugar nenhum em SP. Mesmo porque é raro quando alguém lhe dá passagem. É preciso mesmo, enfiar o carro e seja o que Deus quiser!



Invasão de motoboys no trânsito de SP

          Qualquer lugar que se decide ir em São Paulo, é 1 ou 2 horas de trânsito. Até desanimava, pensar que tinha que ficar sentado dentro do carro por tanto tempo. Em 15 dias passei mais horas no trânsito do que em 3 anos em Orlando. Lugar para estacionar era o próximo problema. Estacionamentos caríssimos. Um almoço na Paulista com minha amiga Rose e família saiu por 72 reais, sendo que desses 35 foram só 3 horas de estacionamento. O resto foi gasto com um prato de comida e uma sobremesa, sem bebida (que meus amigos pagaram pra mim. Obrigado Rose, Fernando e Anelize!). Aliás, os preços no Brasil subiram demais e eu tenho a impressão, pelas pessoas que conversei, que os salários não acompanharam. No bar Genuíno na Vila Mariana, onde amigos fizeram uma festa pra mim, gastei 46 reais em um pequeno sanduíche, um refrigerante e um chop pequeno. Quase caí de costas quando o caixa disse 46 reais. Outro inconveniente foi o fato de o bar fazer somente uma comanda para a mesa inteira. Segundo a gerência, comandas individuais não eram mais aceitas, porque as pessoas saíam sem pagar. Então todos tiveram que anotar em um papel o que consumiram e no final foi um pé no saco difícil arrecadar a quantia exata de cada um, parte por causa do troco. Passeando no Shopping Morumbi em busca de algumas lembranças, saí de lá de mãos vazias porque me neguei a pagar por coisas que realmente não valem. Não vi nada que valesse a pena, por menos de 75 reais. Tênis custando 1000 reais. Ovos de páscoa (de 5kg) por 975. Comprei depois um de 400gr por 42 reais na Cacau Show. E nem vou comentar os preços dos imóveis, que na minha opinião ficaram imcompráveis. Sorte de quem comprou há 10 anos. Minha amiga pagou por um apartamentdo de 120 metros quadrados na Vila Mariana em 2005, 350 mil e vendeu no mês passado por 1 milhão. Um milhão?? Com certeza meu antigo salário no Brasil (que não era ruim) e que segundo meus colegas, aumentou 5% em 4 anos, não daria mais pra manter o padrão de vida que eu tinha.

Não interessa que é da Kopenhagen. Um ovo de
chocolate por 1000 reais é um absurdo.


          Engraçado que com 99% das pessoas que conversei, um insatisfação geral era percebida. As notícias não ajudavam também. Os irmãos Cravinhos (assassinos) libertados da prisão (veja aqui), os políticos do mensalão fora da cadeia. O presidente da comissão de Direitos Humanos, Feliciano (racista e homofóbico) falando que "negros são amaldiçoados e a Bíblia é quem falou", pode? Uma pessoa neste posto, se falasse uma coisa dessas aqui se "aposentava" no dia seguinte. Percebi também, sem querer ofender ninguém, uma sociedade atrasada. Piadinhas sobre homossexuais se vê em todo lugar. Nas conversas, na TV (nos programas de humor), no Facebook. Ainda é uma coisa "que não se pode falar abertamente" segundo um amigo meu me disse em um café que tomamos em um bar. "As pessoas sabem, mas não querem ouvir. Existe ainda muito preconceito" ele disse. Aqui também existe, mas não nesta dimensão. Fiquei chocado com o programa "Mulheres Ricas". Embora copiado do americano "The Real Housewives" o conteúdo é completamente diferente. Enquanto no programa aqui elas tentam se passar por boazinhas (e a gente sabe que não são), no programa brasileiro elas fazem e falam o que querem. Menosprezam e fazem piada das classes inferiores, ostentam de forma ofensiva, "jogam água na areia em um país de sedentos", e o povo gosta.  
Apartamento do meu irmão André no Morumbi. Muros de 30 metros de altura
"protegem" os moradores da violência de SP.

Quem tem dinheiro, protege-se como pode :(

          Vi e ouvi muitas outras más notícias que dariam para escrever um livro como aumento da violência em SP bateu record, prejuízo de empresas famososas, a fábula que a Dilma e comitiva gastou para ver a posse do Papa com dinheiro do povo, etc, etc, etc. Vi um número incrivelmente triste de cachorros nas ruas, o que me fez muito mal.  Notícias boas também ouvi como por exemplo, os novos direitos das empregadas domésticas. Uma vitória para essa classe que tanto trabalha em São Paulo.
            Passar dois dias no interior com a minha mãe foi um alívio da loucura de SP. Águas de Santa Bárbara é linda, tem uma beleza natural maravilhosa. Vi até um Tucano, acredita? Lembrei da minha infância nessa cidade e como fui feliz, solto, livre sem medo de assalto, vivendo em uma casa. 

Quantas vezes desci esse rio em bóias feitas de camara de trator! O percurso
é de 3 horas até a cidade...

A mamãe!!



Balneário de Águas de Santa Bárbara

          Nem tudo foi negativo, é claro. Eu sou brasileiro e quando me irrito por causa das condições da minha cidade e do meu país, isso é evidência de que amo meu povo. Se não, porque então ficaria contrariado? Amo mas não sou cego. E acho que ver e reclamar é dever de todos os cidadãos. Algumas das boas experiências da minha viagem foi conversar com estranhos (algo que não se faz muito por aqui). Nós temos o povo mais amistoso do planeta e eu posso dizer isso pois já estive em muitos países. As pessoas em geral são gentis e sorridentes, conversa-se com qualquer um em qualquer lugar. Outra coisa foi notar como a nossa gente é bonita e magra! A única pessoa obesa que vi foi a Mama Brusqueta na gravação do programa Mulheres que fui com o André. Achei nossa gente um pouco mal educada, quando se fala de "fila" ou respeito pelo espaço do outro. Neste sentido estou mais acostumado aqui. No aeroporto de SP pessoas cortavam a minha frente, me empurraram, bateram com o carrinho no meu calcanhar e nem sequer pediram licença ou desculparam-se.

Meu irmão Chefe André se preparando
para a gravação. Ele vai de 15 em 15 dias apresentar
um prato no programa Mulheres da Gazeta. A próxima
vez é nesta segunda feira


A Kátia é um amor de pessoa!!

          Por essas e outras eu voltei com um misto de emoções. Queria que o meu país fosse mais educado, respeitasse os direitos de todos sem exceção, fosse limpo, tivesse preços justos e qualidade de vida para todos. Fiquei alegre e triste ao mesmo tempo. Adorei ver amigos e parentes. Meus pais, irmãos, tios, sobrinhos, cunhadas e outros. Estou até agora sem saber se meu desejo era o de viver perto dessas pessoas no Brasil ou se queria que todos se mudassem pra cá. Já nos últimos dias ansiava a traquilidade de Orlando. O ar despoluído, o trânsito fácil, a vegetação, os bichos, os pássaros no meu quintal. Principalmente, todos os que amo aqui também, família, amigos e meus dois cachorros, Annabelle e Dexter. Hoje estou quebrado depois da faxina de ontem, de desarrumar as malas e de cuidar dos cachorros. Mas, à medida que olho pelas janelas sem grades da minha casa e vejo o gramado banhado pelo sol da Flórida, as casas sem muros e cercas eletrificadas, os esquilos, a limpeza das ruas, penso que aqui é meu lugar por enquanto. O futuro quem pode dizer?

128 comentários:

  1. O preço de TUDO no Brasil também é o que mais me deixa chocado. Desde restaurante até bobagens como lâmina de barbear. Por outro lado, fica feliz por você ter destacado o direito das empregadas domésticas como uma notícia positiva. Se você ler os comentários dos leitores nas notícias relacionadas, a maioria está reclamando. Dizendo que vão pagar muito e as empregadas não fazem o serviço direito. Acho que agora vão começar a realizar que ter empregada doméstica é artigo de luxo. Tá na hora da classe média começar a lavar a sua própria roupa suja.

    Outro fato interessante é que aqui nos EUA a gente não paga imposto no combustível. A gasolina no Brasil é 60% mais cara só por causa do imposto. Mas o motivo pelo qual não pagamos imposto, bem... daí já são outros 500.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Fábio, muita gente estava falando isso mesmo. Que ia ficar caro, etc...O amigo do meu pai tem 2 empregadas! E vai demitir uma porque vai ficar caro. Realmente, aqui nos EUA empregada é artigo de luxo.
      Abração!

      Excluir
    2. Os preços realmente são inacreditáveis! A primeira vez que voltei ao Brasil em 2007, eu fui às compras com a minhas irmã, comprei um monte de coisas "Brasileiras" pra trazer pra cá. Ano passado, ela me levou no shopping e eu quase caí de costas... como pode as coisas terem quintuplicado de preço em 4, 5 anos? Eu perguntava para as pessoas e elas pareciam "sem noção", me dizendo entusiasticamente que o Brasil estava crescendo como um foguete e as coisas estavam mais caras, mas as pessoas podiam pagar sem problema algum... Eu acho é que o Brasileiro está se endividando cada vez mais e nem percebe!

      Abraço,

      Carol

      Excluir
  2. É... eu sei bem o que vc está falando... Moro em SP desde que nasci e posso afirmar com segurança que um terço da minha vida foi no trânsito... realmente é caótico!

    Quando meu noivo, que é americano, veio pra cá e a gente teve que pegar um taxi... ele ficou tão irritado, mas tão irritado com o trânsito, que ele abriu a porta do taxi em plena avenida Rebouças e falou que iria a pé; que o transito era realmente sem condições!

    Sem falar ao atravessar a rua... ele quase que foi atropelado milhões de vezes... por que ele acha que os carros tem que parar automaticamente para pedestres (concordo plenamente), coisa que raramente acontece aqui.

    Também como vc aspiro para que meu Brasil seja "mais educado, respeite os direitos de todos sem exceção, seja limpo, tenha preços justos e qualidade de vida para todos"

    O importante é não desistir do Brasil!!!!

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  3. Boa tarde meu GURU, quase fui no Genuino , para te conhecer ao vivo , mas quando abri a carteira só tinha 50 Dilmas , olhei no google maps , e vi o bar Genuinos , pensei . 50 dilmas não dá nem para pagar o estacionamento do barzinho rsrsrs .
    Fica para proxima abraço e boa sorte . te curto vei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que pena que vc não foi. Alguns leitores do blog foram, foi demais!!
      Abs

      Excluir
  4. Enquanto lia teu texto, ja com um no na garganta, comeca o Jornal Hoje, vi na manchete, um video com carros em alta velocidade, fazendo "pega" mesmo. Os vizinhos chamam a policia e a m.... da policia aparece no video ENSINANDO as pessoas, que deveriam ser detidas, a fazerem pegas sem chamar a atenção!!!! :(((( E as noticias estupidas continuam....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O pior pra mim, foi o motorista embriagado que atropelou o ciclista, arrancou-lhe o braço e jogou no rio. Ficou preso 2 noites, como pode?
      Bjs

      Excluir
    2. Essa Noticia do ciclista, já imaginei se fosse nos States.

      Excluir
  5. Olá Renato

    Que bom poder viajar e rever as pessoas queridas,acho que você foi até gentil com suas considerações finais sobre o Brasil.E me diz uma coisa, como estão os comentários por aí sobre o Bafafá com a Coréia do Norte?
    Um abraço
    Alessandra Haak

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, nem me fale. Ô gente doida esses coreanos. Espero que nada aconteça para o bem do planeta. Neste sentido concordo com os americanos. Arma nuclear nas mãos de gente louca devia tirar. Todos os países deviam fazer algo a respeito!
      Bjs

      Excluir
    2. Os North-coreans são malucos , em atingir os estados unidos... Pode até ser brabo , mas o tio sam sabe e muito se defender.

      Excluir
    3. Não foi o que aconteceu no Vietnã, nicholasmarlon. Lá os americanos tiveram que sair correndo quando os vietcongs invadiram Saigon, hoje Ho Chi Minh. E Renato, acho hipocrisia os americas acharem que armas nucleares devem ser tiradas das mãos de gente louca, logo eles que foram o único país que já usaram armas nucleares numa guerra. Todos os paí´ses que tem armas nucleares deveriam se livrar delas, incluindo o tio sam. Paulo.

      Excluir
    4. Paulo
      Eles usaram e se envergonham muito disso. Quando a gente mora no Brasil a gente tem uma impressão dos EUA moldada pela mídia e pela esquerda brasileira. Quando vc está aqui vê que muita coisa que ouviu aí não é verdade... Quer um exemplo? Eu só fui saber mesmo o que acontece dentro de Cuba depois que conversei com Cubanos aqui que fugiram de lá. Eles amam os EUA porque os acolheram. E nós brasileiros idolatramos Cuba e o Fidel...
      Eu gostaria sim que os EUA, o Japão, China e outros, se unissem, tirassem aquele maluco do poder e unifcassem a Corea para o bem de todos os coreanos.

      Excluir
  6. é, Renato....vc percebeu como eu me sinto cada vez que volto de Orlando. E tenho certeza de que não sou a única. E olha que o Rio é mais bonito (em alguns lugares )do que SP, mas sempre volto achando feio, sujo e mal cuidado. E o caos aqui no Rio se aproxima do nivel de SP. Engarrafamento a qqr hora ,em qqr lugar.
    E por isso fiquei tão encantada com o lugar onde vc mora!
    bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Leila. Depois de um tempo começa-se reclamar daqui também. O remédio é só passar uns dias no Brasil...infelizmente!
      Bjs

      Excluir
  7. Ai Renato, seu post me emocionou! Sou paulistana e vivi quase toda a minha vida lá. Sabe o que é amar uma cidade? Eu amava (amo?) SP, as pessoas de lá, as opções de lazer e etc... mas também não tem como eu não enxergar todas as mazelas da cidade, muito bem citadas por você. Poxa um lugar com tanta vida, a cidade mais importante do Brasil estar neste caos é mesmo de partir o coração. Também tenho saudade da minha infância, onde eu pude brincar na RUA, sem medo de motoristas loucos ou assaltos! Eu quero acreditar que todo o stress que o paulistano vive hoje é reflexo do que se tornou a cidade, ninguém mais tem paciência com nada, a "finesse" foi esquecida por muitos, porque nesta selva de pedra "é cada um por si e Deus por todos". Infelizmente. Abs!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sandra
      É muito triste, porque a gente quer acreditar que as coisas estão melhorando e quando se chega lá é o contrário. Hoje em SP tem trânsito a qualquer hora do dia ou da noite. Gente nos pontos de ônibus (lotado) às 10:30 da noite...triste mesmo.
      Bjs

      Excluir
  8. Menino você disse tudo ! Se São Paulo pudesse ser resumida em palavras rápidas , esse seu post diria tudo com certeza !
    E só prá constar , se eu fosse a Annabelle te deixava no cantinho da disciplina ! Que história é essa de viajar e deixar as crianças para trás hein pai desnaturado ???? Rs ... Bjs Lana

    ResponderExcluir
  9. Oi Renato, moro no Canada ha 7 anos e igual a vc estava com receio de levar my kids no Brasil sozinha. O husband tem um probleminha de panico de voar, o maximo q ele faz eh ir ate U.S.Nao conheco SP, vou sempre ate o sul (adoro) e Brasilia (terra do coracao). Foi impagavel, voltei regenerada, amada, colorida e meus filhos conheceram tudo que tiveram direito. Voltaram mais educados, como falar com pessoas(sempre digo q aqui sao iguais a bixo do mato, o cool eh nao olhar para ninguem. Sempre achei zumbis com iphone nos ouvidos e nem ai. Meu marodo notou a diferenca e ta no programa ir de 2 em 2 anos.Nao vale salientar os problemas do Brasil porque qquer brasileiro sabe de tudo. Se nao souber, a televisao grita o tempo todo e ate de outros paises. Um chines comete uma barbaridade e la vem a Globo dar detalhes do aconteceu na China...ufa, poluicao Sonora e visual. Mas se vc der um clique nisto..nao se permitir ouvir, o Brasil tem alguma coisa no ar que nenhum pais tem...aqui no Canada a vida corre boa, mas chata. Corre segura, mas com gente cheia de medos, corre saudavel, mas com uma enorme populacao de loucos e depressives. Nao eh mole, nao! So queria acrescentar, que no Brasil eu tenho passado e pessoas me abracando na fila da farmacia e eu nem saber quem eram...deixa qquer um feliz sem precisar de terapia. haha Eram colegas do 2 grau. abracos
    Marilia -B.C.-CA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marilia
      Que bom que vc voltou do Brasil regenerada. É muito bom sim receber uma dose extra de calor humano.
      Abração

      Excluir
  10. Repetindo rs... muito bom seus textos Renato com todos esses saia um bom vlog haha, estou a 1 mes aqui pela Florida, e uma diferença absurda, pra mim único ponto negativo mesmo e distancia da familia, e sobre falar com os "estranhos" ate agora n percebi muito isso, mesmo sem ainda saber falar bem inglês, falei com 2 pessoas na rua enquanto passeava.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Junior
      Sim, aqui se fala com estranhos sim, mas na maioria latinos, hispanicos. O americano é bem mais reservado. Jamais vai te dizer onde mora em uma conversa na fila do supermercado hehehe
      Mas exceções existem. O que você está fazendo na Flórida?
      Abração

      Excluir
    2. Então de primeiro plano vim para aprender esse bendito Inglês, mas eu gostaria de morar por aqui, estou com visto de turista posso ficar 6 meses e tem um processo de extensão do visto pra mais 6 meses, pretendo fazer isso, tenho familia aqui bem estruturada, por isso tenho essa oportunidade de ficar por aqui. Minha opção é estudar pra fazer o TOEFL ou casar com alguma gringa rsrs.

      Excluir
  11. infelizmente nos acostumamos com as coisa ruims do brasil ,e vamos achando normal ,roubalheira ,enganação tudo superfaturado ,os politicos donos do pais ,a violencia no transito , a lentidão da justiça ,os super salarios dos deputados e vereadores ,uma educação conto de fadas ,altissima carga tributaria ,transito cada vez caotico ,e continuamos achando normal ,pois acreditamos no pais do futuro que nunca chegará

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha
      Eu fiquei impressionado com a passeata para a saída do Renan Calheiros. No entanto, foi pequena. O brasileiro vota no BBB mas não assina uma petição para tirar um ladrão do governo. As pessoas tinham que ir para as ruas e quebrar tudo para o brasileiro ser levado a sério pelo governo.
      Triste né?
      Abs

      Excluir
  12. Renato, concordo com tudo que voce falou.

    As pessoas no Brasil são mais emotivas e festivas. Mas sinto falta de mais atitude, mas pulso para não ficarem deixando passar tanta injustiça. Também há um lado muito primitivo na cultura brasileira. Quem da minha geração não assistia à "Os Trapalhões" e ouvia coisas ridículos como mulheres serem chamadas de "bicho bom", "é boooooaaa !". "Rapaz, eu fico doidão com mulher boa !" Tãããão baixinho esse humor, tão popular. E que "Aquele alí ? Sei nao ! Escamoteia !"e o figurante ou personagem levava um tapa no pé do ouvido. Incrível ! Programa de humor para a família incentivando desprezo e agressao física a mulheres e homossexuais. Tinha piada contra negro ("tição"), aleijado, anão e até criança ("pouca altura" e sei lá mais o quê).

    As pessoas deveriam ser mais contidas em seus comentário, muitos brasileiros fazem comentários ridicularizando traços pessoais. Também julgam muito pelas aparências. Minha mãe quando eu estou no Brasil se acha no direito de chegar ao meu lado e sussurrar quantos quilos eu ainda deveria perder, isso 6, 8 vezes por dia. E que deveria alisar cabelo (hellooo !!! meu cabelo só ganha elogios fora do Brasil !). Há uma pressão generealizada de como as pessoas devem se vestir, ter os cabelos, celebrar seus casamentos, ou gostar de certos aspectos culturais. Casao contrário voce é "esnobe", "um tímido coitado", ou "ridículo" e digno de pena.

    E por outro lado os brasileiros não tem prática de se organizar para cobrar melhoras para sua comunidade. Há uma lentidão generalizada em muitos aspectos. Também se contentam com pouco. "Ah, o Lula tirou 20 milhoes da miséria". Eu penso: "Ué so isso ??? Porque não melhorou a vida de 40, 60, 80 milhoes ? Roubou rabilhões também por outro lado."

    Sabe que eu compro praticamente nada quando vou ao Brasil ? Comprei uma vez dois livros que não achei pela Amazon e uma latinha de pomada minâncora. Meu marido gosta muito de comprar t-shirts no Brasil e alguns sapatos. O estímulo ao consumo desenfreado é algo generelizado no Brasil. Sabe que Pascoa aqui na Holanda é badalada como decoração rstica, com galhos retorcidos que se compra a dois, 5 euros no máximo. Voce leva pra casa e decora com mini ovinhos, fitas. Tudo muito simples e delicado. Os ovos são dados apenas a crianças pequenas, e são pequenos. As Páscoa é concentrada na família, poucos amigos. Um brunch ou almoço tardio. Tudo muito equilibrado. Ninguém trabalha duríssimo nessa vida pra torrar grana em ovos de centenas de euros, ou fantasias carnavalescas ou presentes de Natal caros.

    Enfim, adoro ir ao Brasil e deixar meus kids com meus pais no interior. Não tenho coragem de circular com eles pelo Rio de jeito nenhum. Uma loucura as grandes cidades. Com meus pais eles vao ao parquinho, festinhas de priminhos ou conhecidos, à piscina, a praia no litoral. Falam que comeram coisas diferentes como "cachorro quente de carne moída"(!!!), maria mole, bananada e croquete de camarão. Se entopem de pão de queijo, ovinho de codorna, cajuzinho. Eu visito um par de pessoas no Rio, em Niterói, e talvez alguma cidade brasileira nova pra mim. Delícia. Afs, eu reclamo de barriga cheia mesmo, não tenho jeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana
      Obrigado pelo lindo comentário. Eu concordo com você. Aqui em casa, meus amigos e eu nos tratamos como os brasileiros se tratam. Abs e bjs. Fazemos barbecue e outras coisas. Comemos arroz com feijão e pudim de leite condensado. Vamos a festas e tudo o mais. Aos poucos estou fazendo bons amigos, mesmo que demore mais que no Brasil. Mas o lado calmo, tranquilo, limpo organizado, etc e tudo o mais que você falou é o que me faz realmente querer ficar por aqui.
      Beijão!

      Excluir
  13. Renato! que bom que esta de volta! Acho importantissimo pessoas como vc passar suas ideias, somos pessoas de sangue doce, mas prescisamos olhar com olhos de observadores, eh legal pessoas amigas nos cercarem de carinho, eles recebem sim estranhos como se fosse amigos a mil anos! So fico muito triste com o ser humano que nao ve que os menos favorecidos tem sim o direito de expor suas ideias. Como vi esta semana um artista simples, expodo varios problemas do brasil, e as pessoas, ridicularizando-o! O brasil tem problemas sim, e cego eh aquele que nao quer enchergar. Voce eh uma pessoa muito bem esclarecida tenho o maior prazer em ler seus comentarios! Abracos . marciaf56@yahoo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcia
      Sim, temos que ver o que é errado e apontar. Obrigado pelos elogios!
      Abração

      Excluir
  14. Renato: você alegrou minha manhã de Páscoa. Que bom que você voltou para a civilização. Agora estou torcendo para que você consiga ficar por ai e que seja muito feliz em sua profissão. Moro no interior do PR e por aqui tb está muito dificil de se viver. As pessoas já não tem educação, não estudam, não lêem, o transito é horrível, violência e drogas. E estou falando de uma cidade média, de interior, colonizada por italianos e alemães. Tudo está carissimo, em especial comida. Tomate a 7, 8 reais o quilo. A inflação voltou. O Brasil não tem mais jeito.
    Parabéns pelo seu blog. Felicidades
    Maria Tavares

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria
      A cidade da minha mãe vai pelo mesmo caminho. Uma cidade com 10 mil habitantes já não se pode deixar as roupas no varal e sair de casa. Quando se volta não tem mais nada. O carro agora tem que ser trancado, a porta também. A juventude, a maioria se perdendo no maldito crack. Tudo isso junto em uma cidade de 10 mil habitantes!
      Obrigado, desejo o mesmo a você
      Abração

      Excluir
    2. Um país que joga bombas atô~micas em outro não pode ser considerado civilizado, o Brasil tem muitos problemas, é fato, mas nunca assassinou 120.000 pessoas em 3 dias como aconteceu em Hiroshima e Ngazaki, fora os que desenvolveram doenças por causa da radiação. Estude mais História Maria. Luiz.

      Excluir
    3. Luiz
      VC está errado. É civilizado sim. Eu quando penso na Alemanha, não julgo a Alemanha e os alemães de hoje pelos 6 milhoes de judeus que eles mataram. Nem tampouco julgo os japoneses pelas atrocidades que fizeram ou qualquer outro povo de qualquer país atual pelas ações dos que os governavam há mais de 50 anos. Há muito justiça aqui inclusive para estrangeiros e imigrantes. Não tenho nada contra você e gostaria que você pensasse nisso: Muito pior é o governo do Brasil que não se importa com o bem dos seus próprios cidadãos!

      Excluir
  15. Caro Renato,

    Imagino o choque cultural ao qual você foi submetido em São Paulo( no Brasi, enfim. Um conselho de coração: não volte para cá , você não se acostumaria e provavelmente iria se arrepender. Estou me preparando para deixar o país também, e olha que moro em Campinas e aqui sou considerado "classe média alta"... No Brasil não dá, congresso , judiciário, educação, impunidade, etc . Fique aí nos States, o Obama precisa de gente boa como você! Abs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado César
      O Brasil, por enquanto, só para visitar. Não acho que no período da minha vida as coisas irão chegar no ponto que são aqui. Acho que precisaria de 1 século.
      Abração

      Excluir
    2. Só tem puxa - saco nesse blog. Roberto.

      Excluir
    3. Roberto
      Acho melhor você procurar outra coisa pra ler...

      Excluir
  16. Olá, Renato,

    meu nome é Patricia e, por conta de uma proposta de trabalho para meu marido, me mudei pra Orlando com minha família "de mala e cuia" em Janeiro desse ano. Ainda nos lembramos muito do caos paulistano (palavra exata pra descrever a cidade!), mas pelas notícias que andamos lendo parece que as coisas já pioraram desde que saímos de lá. Sem dúvida os brasileiros são mais amistosos e informais do que os americanos, mas estava ficando inviável (pelo menos para mim e minha família) ficar em São Paulo. O custo de vida, o estímulo ao consumo, a violência e o trânsito infernal realmente não valem a pena, e não parece haver chance de melhora pra esses aspectos. Estamos em fase de adaptação, mas só de sair da loucura e da sensação de insegurança do Brasil, já está valendo muito a pena!
    Obrigada pelo blog - virou leitura obrigatória pra mim desde que fiquei sabendo que ia mudar pra cá, e já me tirou um monte de dúvidas!

    Um abraço,

    Patricia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Patrícia
      Que bom saber que você e sua família estão se adaptando a Orlando. É realmente uma terra maravilhosa e vindo com trabalho então, tudo fica mais fácil. Desejo a vocês toda sorte do mundo!
      Abs

      Excluir
  17. Deu uma tristeza ler seu post, amigo. Não porque discordo de você, mas sim porque sei que é verdade. Infelizmente :(. Já passei pelo cúmulo de estar com minha irmã e ser assaltado no domingo. Na segunda o mesmo cara assaltou minha irmã em pontos opostos da cidade. Você acredita?

    Fora isso, gostaria de acrescentar o valor da saúde. No Brasil é mais barato, porém se você tem uma doença crônica e precisa de supplies sempre,é inviável! Pesquisei as questões relacionadas ao problema do marido e fiquei chocada com os valores! Aqui, pagamos $65/mês (juntando com o aparelho) e no Brasil seriam R$12000 pelo aparelho+ R$1700/mês. Sem contar o plano de saúde caríssimo para quem tem doença crônica no Brasil (aqui nos EUA, a nova lei da saúde proibe isso). Só para lidar com essa questão de saúde do marido, seriam por baixo R$2500. Embora ele seja médico e tenha competência para ganhar bem, esse valor fica inviável!!! Sem contar com o estresse de trânsito e assaltos que piora imensamente a saúde dele. Infelizmente, voltar para o Brasil dexou de ser uma opção. E olha, eu fico muito triste com isso. Você sabe, morro de saudade de tudo no Brasil, voltaria facilmente, mas chegou em um ponto que as coisas negativas estão pesando muito mais para gente e agora é aproveitar a oportunidade de ser expatriado, procurar um bom lugar para morar e tirar o melhor da situação,né mesmo?

    Quanto a questão das empregadas, eu fiquei feliz com a vitória delas. Na minha cabeçã não faz sentido todo profissional ter seus direitos menos essa classe, mas vi muita gente reclamanado no FB dessa nova lei. Porque, você sabe, lavar prato e limpar é cause de morte pelo mundo;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lorna minha amiga
      Foi com muita tristeza que eu observei esses aspectos do nosso Brasil. O pior Lorna é que em todas as rodas de conversas que participei só se fala de dinheiro, status e milhões em apartamentos cubículos. Ninguém mencionou em nenhum momento algo que fosse mudar a situação da violência do país, dos políticos, etc. Era só "isso é assim mesmo". Eu não queria ser pessimista e grosseiro no post, mas infelizmente não deu pra perceber que vá haver uma melhora em tudo aquilo. É uma máquina tão engessada e muita gente ganhando dinheiro com ela. Eu fiquei assustado com a violência, vi uma pessoa morta às 6 da manhã quando fui ao aeroporto com o corpo embalado em um saco metálico. Fora dois motoboys estirados na pista, etc. As pessoas simplesmente passam por isso e vão embora porque já se tornou comum. Pra mim que vivo aqui e nunca vi uma pessoa morta, ver corpos na rua foi chocante. Cachorros e gatos abandonados em todo o lugar procurando o que comer. Uma tristeza. A sensação de insegurança, a agressividade das pessoas nas ruas é algo que piorou muito em quase 4 anos. Não vejo solução a curto prazo e não me vejo voltando pra lá de jeito nenhum.
      Fui com meu pai no Sams Club e quase caí de costas quando o 1/2 carrinho de compras saiu por 562 reais. Os preços são um absurdo e o povo só pensa no novo I-phone 5, I-pad e I-pod e eu pensando I-que caralho de gente que não percebe essas coisas. A sociedade tão atrasada e os valores tão distorcidos, ai Meu Deus que tristeza.
      Enquanto aqui a gente procura preços baixos e se recusa em pagar o que não vale por qualquer coisa, pensamos na segurança e na tranquilidade, lá eu tive dificuldades em dormir por causa da música sertaneja alta do vizinho à 2 da madrugada e gastei centenas de reais com gasolina, estacionamento e comida. Falei pro meu pai que ia ligar para a polícia e ele disse que ligou diversas vezes e nunca sequer vieram ou retornaram o telefonema.
      Eu reclamo de Orlando às vezes quando vejo hispanicos fazendo sujeira ou se comportando como eles fazem nos países deles, mas hoje vejo que isso aqui, embora alguém tenha dito que é terra de ninguém, está anos-luz avançado com respeito às cidades do Brasil. Quem reclama da maneira como dirigem na Flórida, devia passar 2 semanas dirigindo em SP. Ouvi muitas pessoas dizerem que São Paulo vai entrar em colapso em alguns anos (por causa do número de carros). É trânsito a qualquer hora, até depois da meia noite. Pediram 1200 reais/mês para um plano de saúde para minha mãe. Como vamos pagar isso? Ela vai ter que usar mesmo o sistema público que vc sabe como é.
      Fico triste de minha família ter que ficar por lá. Queria poder trazer todos pra cá, mas infelizmente...
      Bjs

      Excluir
  18. Renato, eu estava esperando por este post. Eu tenho pensamentos muito, muitissimo parecidos com os seus e concordei 100 por cento com este post. Eu confesso que tenho tendencia a soh falar das coisas ruins do Brasil, e sabe quando me dou conta de que tb tenho que prestar atencao nas coisas boas? Quando escuto meu marido metendo o pau no Brasil. hehe. Mas concordo sim com voce em todos os aspectos que voce comentou. E como a Lorna, fico triste demais quando vou ao Brasil e vejo essas coisas. Muita gente pensa que eu odeio o Brasil por criticar e nao aceitar mais essas coisas, e preferir morar aqui. Mas eu NAO odeio o Brasil, e voce explicou exatamente como sinto, eu amo o Brasil e eh por isso que fico revoltada com essas coisas. Se nao fosse a violencia e o preco caro de tudo por la eu voltaria ao Brasil sem nem pensar duas vezes. Amo estar cercada de pessoas, de sair pra passear, a comida brasileira, a hospitalidade brasileira que acredito ser uma das melhores (se nao a melhor)... mas infelizmente esses problemas com relacao ao transito, preco alto de tudo, e violencia sao problemas que pesam demais na nossa decisao (nao soh na minha mas na do meu marido tb que viu isso quando esteve no Brasil ano passado) de continuar por aqui pelos EUA, ou quem sabe ate um dia ir pra Europa que eh o sonho do meu marido (e meu tb). Tem coisas que eu nao gosto aqui nos EUA mas no geral, o mais importante, como seguranca, preco razoavel das coisas, fazem com que eu ame morar aqui e nao pense mais em voltar ao Brasil. Infelizmente porque sinto muito a falta da minha familia. Eh complicado neh?
    Mas olha, sou como voce, meu tempo limite no Brasil eh de 10 dias, passou de dez dias eu ja fico louca pra volta, sinto falta de tudo aqui, e quando eu piso no primeiro aeroporto nos EUA eu sinto uma sensacao tao, mas tao boa, de alivio, de "estou em casa".... hoje, depois de 9 anos aqui, posso dizer, minha casa eh aqui!

    Amei ler seu post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nani
      É o que eu falo no post. Quem é patriota que reclame. Gente que só elogia e se cala diante da barbárie brasileira é a maioria no país!
      Porque a gente ama a gente reclama. E olha, deixar o país é também uma forma de protestar! Talvez a mais eficiente, pois o governo brasileiro morre de medo disso, tanto que não disponibiliza o número de pessoas que deixam o país e sim faz propaganda dos poucos que voltam.
      Beijão amiga!

      Excluir
    2. AMEI o "beijao amiga". Obrigada pelo carinho e consideracao comigo. Saiba que eh reciproco!
      Beijao pra voce tb amigo :)

      Excluir
  19. Que tristeza saber disso, apesar de ser verdadeiro. Fui a SP apenas 1 vez, e foi apenas 1 noite, entao nao tenho ideia do que seja isto.
    Moro em Belo Horizonte, e te digo que as coisas aqui estão caminhando para esta realidade paulista. Tudo que você disse existe aqui, claro, mas não tão "intensamente" como há ai. Por exemplo, acredito que o pior transito aqui, da Antônio Carlos, você demora umas 2h para cruza-lo de um ponto ao outro. É ruim, eu sei, mas deve ta melhor que ai em sampa.
    Nos bairros de classe melhor tambem há muros enormes o protegendo, e isto em todas as casas. É triste de se ver. Parecem verdadeiras prisões.

    Uma coisa que te digo é que se continuar assim, não vou querer criar uma família por aqui. Vou me mudar, e estou trabalhando para isto. É meio "covardia" minha dizer isto, mas não acho que as coisas irão mudar tão cedo.

    Otimo post, apesar de triste, mostra a realidade brasileira.
    Continue com o ótimo blog! Visito diariamente e é de grande ajuda!
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Douglas, como eu disse pra Nani, sair também é uma forma de protesto.
      Infelizmente a vida é muito curta pra ser mal vivida no Brasil pela causa da nacionalidade. Pode ter certeza que qualquer político, qualquer cidadão de bem faria o mesmo se pudesse. Talvez assim, as pessoas caiam em si e exijam uma melhora e transparências nas coisas. A bandidagem no Brasil está em todos os lugares, no bandido e na polícia, na prefeitura e nos políticos. Algo que poucos cidadãos jamais mudarão. Sejamos realistas...
      Abs

      Excluir
  20. De fato, Renato, seu posicionamento foi muito preciso. É complicado comparar estas duas realidades, porque são muito distintas. Mas é preciso que observemos, dentre tantas diferenças, o que é mais importante pra gente. Tem quem diga que a presença da família é indispensável, e que tudo o que acontece no BR é "aceitável". Tem os que conseguem viver numa boa longe da família, e que utilizam as ferramentas virtuais como forma de se aproximar, sem, contudo, ter este sentimento de falta e saudades tão fortes a ponto de atrapalhar a vida.

    Agora, o mais engraçado é como os que vivem esta oportunidade de morar no exterior nunca mais são os mesmos. Eu, por exemplo, vivi em Orlando entre 2000 e 2005, e confesso que este período eu jamais irei esquecer. E tudo na minha vida, após o regresso, foi comparar as realidades. Precisei ver que se continuasse assim, iria "estragar" ainda mais minha vida, ao querer viver uma realidade que aqui seria impossível. Foi exatamente o inverso do que você pensa hoje: quis trazer a realidade daí pra cá. E o que percebi é que não deu nada certo, e que não vale a pena.

    Até hoje vivo num dilema: voltar ou continuar aqui. Se voltasse, abriria mão de uma suposta estabilidade e de uma vida 'relativamente' acomodada, para arriscar em um lugar completamente diferente e ter de passar por provações que poucos brasileiros hoje em dia querem se sujeitar. Se ficar, continuaria vivendo uma vida em que você sente que não é aquela que você quer, num lugar que você insiste em amar, mas não consegue aceitar seus vícios e falta de estrutura.

    É difícil, mas percebi que faz parte da vida. Aqueles que dizem que nunca pensam, nem por um momento, em mudar a sua vida, estão mentindo. Poucos são os que tem coragem de arriscar. E esses poucos, meu Deus, sofrem com as consequências desta mudança (como nunca mais serem os mesmos...)

    É, para esses, nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. O problema é ir deixando a vida lhe levar...

    Evilasio Tenorio - evilasio@gmail.com

    ResponderExcluir
  21. De fato, Renato, seu posicionamento foi muito preciso. É complicado comparar estas duas realidades, porque são muito distintas. Mas é preciso que observemos, dentre tantas diferenças, o que é mais importante pra gente. Tem quem diga que a presença da família é indispensável, e que tudo o que acontece no BR é "aceitável". Tem os que conseguem viver numa boa longe da família, e que utilizam as ferramentas virtuais como forma de se aproximar, sem, contudo, ter este sentimento de falta e saudades tão fortes a ponto de atrapalhar a vida.

    Agora, o mais engraçado é como os que vivem esta oportunidade de morar no exterior nunca mais são os mesmos. Eu, por exemplo, vivi em Orlando entre 2000 e 2005, e confesso que este período eu jamais irei esquecer. E tudo na minha vida, após o regresso, foi comparar as realidades. Precisei ver que se continuasse assim, iria "estragar" ainda mais minha vida, ao querer viver uma realidade que aqui seria impossível. Foi exatamente o inverso do que você pensa hoje: quis trazer a realidade daí pra cá. E o que percebi é que não deu nada certo, e que não vale a pena.

    Até hoje vivo num dilema: voltar ou continuar aqui. Se voltasse, abriria mão de uma suposta estabilidade e de uma vida 'relativamente' acomodada, para arriscar em um lugar completamente diferente e ter de passar por provações que poucos brasileiros hoje em dia querem se sujeitar. Se ficar, continuaria vivendo uma vida em que você sente que não é aquela que você quer, num lugar que você insiste em amar, mas não consegue aceitar seus vícios e falta de estrutura.

    É difícil, mas percebi que faz parte da vida. Aqueles que dizem que nunca pensam, nem por um momento, em mudar a sua vida, estão mentindo. Poucos são os que tem coragem de arriscar. E esses poucos, meu Deus, sofrem com as consequências desta mudança (como nunca mais serem os mesmos...)

    É, para esses, nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia. O problema é ir deixando a vida lhe levar...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc explicou bem Evilasio
      A gente não fica bem em lugar nenhum. Aqui com saudades (e eu nem tenho tanto da família porque nos falamos TODOS os dias pelo skype) ou aí incomodado. Na minha opinião e na minha situação prefiro o menos mal que é ficar aqui. Pelo menos o risco de morte é menor, o medo é imensamente menor e o stress nem se fala
      Abração e obrigado pelo comentário

      Excluir
  22. eu moro na europa ha 4 anos e a minha sensacao eh igual a tua!!!

    muitos brasileiros que conheco estao revoltados com a questao das empreg. domesticas!!! eles dizem que elas nao tem estudo e nao merecem ganhar mais!! nossa que raiva que da escutar isso....a escravidao acabou!!!!

    e outro assunto eh mostrar que comprou algo por status - eletronicos tenis e sei la mais o que!! tanto assunto mais importante!!! que tal separarem o lixo?? consertarem as calcadas? estradas? escolas? hospitais.....

    eu voltei do Brasil tao mas tao desanimada que nao da vontade de voltar nem para passear,,,,, :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu imagino
      Gostei quando vc falou sobre separar o lixo, cansertarem as calçadas. Que tal não jogar lixo no chão. Os Jardins em SP estava "aceitável", mas Santo Amaro, Brooklin e outros bairros de classe médias estavam muito sujos. Ou eu que nunca tinha reparado...
      Abs

      Excluir
  23. oie Renato.
    Que bom que vc viu sua familia. Mãe, pai, irmão. Mas é uma pena que vc tenha visto tanta violência. Mas infelizmente ela é fruto de diversas coisas, desigualdade social, sistema penal que não corrige, etc.
    O transito péssimo. A falta de educação do motorista e do pedestre também.
    A cada dia me convenço mais a largar tudo aqui, emprego público, estabilidade etc e ir pro canadá. Estou vendo informações para um mestrado lá. E começando a juntar grana.
    Adorei seu post. Que os patriotas que só vêem o que é bom e que escolhem ignorar o resto se danem.
    Sinto pelo país em que nasci e vivo. Mas já deu.
    Já fui assaltada duas vezes esse ano. CHEGA!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Regina
      O Canadá deve ser ótimo mesmo e a possibilidade de ficar então muito maior. O que você vai fazer com sua cachorra? Leva ela tadinha, se não no começo depois ok?
      Bjs

      Excluir
    2. Ah! Ela vai... EU viajei por tres dias num feriado local. E ela ficou na casa da minha mãe. Vc acredita que ela adoeceu? Se eu não leva-la ela morre eu tenho certeza.

      Excluir
    3. Eu sei! Vc me falou, por isso que eu perguntei...ela não pode ficar longe da mãe...
      :)

      Excluir
  24. Olá Renato, meu nome é José Neto, moro em Campo Grande, MS, e vamos duas vezes por ano à Orlando. Adoro a Flórida e sou apaixonado pela Disney, alem do Golfe, que faz da cidade um destino imperdível pra quem gosta do esporte.
    Como vamos sempre, conhecemos bem a cidade e suas atraçoes. Até que um dia ví seu post sobre o mercado municipal, que nao conhecia.Desde então, sou seu leitor assíduo, e sempre me socorro no Blog, que já virou pra mim fonte de pesquisa.
    Assim, tenho duas perguntas: tenho notado um crescimento dos preços no Outlets em todos os setores, principalmente nas lojas de golfe e nas franquias importantes como Nike e Adidas. A impressão é que o americano já percebeu que os brasileiros chegam dispostos a comprar pelo alto preço de tudo no Brasil e aumentam um pouco os preços. Assim, queremos ficar fora deste circuito, e fazer compras onde apenas americanos vão. Assim, a pergunta: onde comprar perto de Orlando, os melhores points para compras FORA de Orlando???
    Nunca fomos passar o Natal e Reveillon. Mas fomos avisados que a cidade fica simplesmente atulhada de turistas nesta época, sendo impossível até a visita a parques e restaurantes. Fale um pouco sobre isso, e nos diga qual época fica melhor, pois sabemos que o recesso dos americanos vai até o dia 02 de janeiro, em média.
    Agradecemos sua atençao e ajuda.
    Cordialmente,

    José Neto e Andreia - Campo Grande, MS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José
      Qualquer loja que vc vá que eu coloquei na página Compras, as coisas serão mais baratas. Se você for nessas lojas em pequenas cidades ao redor de Orlando também vai ser o mesmo preço. O que acontece é que depois de 2008 quando a economia afundou, todo o comércio foi obrigado a reduzir em quase 50% os preços. Agora que a economia está se recuperando os preços tendem a voltar ao normal. Note porém que quase não se vê americanos em Outlets porque é caro mesmo, embora se vasculhar vc acha promoções muito boas.
      Na International Drive 5259, atras do Texas de Brasil tem um mini plaza com Rebook, Tommy, Guess, CK e outras com coisas 50% mais baratas que no Premium Outlets ao lado! Vc vai ver que o estacionamento é estranhamente vazio, até hoje não entendo porque. A Rebook tem tantas promoções, tem uma promoção vitalicia que é compra um tenis e o segundo 50% do preço.
      Depois do dia 5 de janeiro eu considero a melhor época. Friozinho, tudo vazio, parques vazios, etc Maio, Setembro e outubro também.
      ABs

      Excluir
    2. Muito obrigado Renato, como sempre ajudou muito.
      Estaremos em Orlando de 22 a 30 de Abril.Se você estiver disponível, é nosso convidado para o jantar.
      Forte abraço
      José Neto e Andreia.

      Excluir
  25. Oi Renato, adorei o post! Só vou te dar uma dica: o aplicativo "passa régua" divide as contas certinho. :) Beijos!!

    ResponderExcluir
  26. http://www1.folha.uol.com.br/mercado/1255129-dono-do-facebook-vai-pagar-us-11-bilhao-de-imposto-de-renda.shtml

    Pelo jeito não é só no Brasil que os impostos são altos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. IR é alto para ricos. Tem tabela progressiva também. Mas no Brasil, além do IR alto, tem o imposto escondido nos produtos. Um exemplo é um microondas 52% de impostos. Cada produto tem um imposto diferente.
      Comida básica nos EUA não tem imposto e o resto é 6,5%
      Veja aqui:
      http://www.quantocustaobrasil.com.br/
      Tem uma calculadora na parte inferior direita
      Abs

      Excluir
    2. Mas aí existem impostos sobre herança e IPTU de 2% do valor do imóvel. O apartamento da sua amiga de R$1.000.000,00 na Vila Mariana pagaria de IPTU, se fosse aqui aplicado a regra dos EUA, R$20.000,00 de IPTU todo o santo ano.

      Excluir
    3. A única diferença é que com 1 milhão você compra aqui uma casa de 350m² de frente pro lado com garagem pra 3 carros, ar condicionado e aquecimento em uma cidade despoluída, sem trânsito e sem a violência de SP. Minha amiga pagava 1050 de condomínio o que dá 12600 por ano + IPTU. Se você contar o IPVA (que aqui não existe) + seguro do carro que é caríssimo em SP + outras coisas para se defender da violência, aqui sai até mais barato e com qualidade de vida infinitamente melhor.

      Excluir
    4. pagar imposto nao é problema colega, pq no mundo inteiro tem.
      como o renato exemplificou sobre a violencia
      acrescento que dose é alem de pagar imposto, ter que pagar mais para ter acesso a servicos que deveriam ser oferecidos "gratuitamente" por meio dos impostos pagos.

      Excluir
  27. Oii renato!! Que bom q vc chegou bem em Orlando! Fiquei super feliz em reve-lo! Nosso almoço estava uma delicia e foi um prazer te receber! To me achando pq vc me citou no seu blog!! Hahaha, vou contar pra todo mundo...Apesar da cidade estar um caos mesmo, venh nos visitar mais vezes,minha mae queria ter te visto tb! A tia Rose e eu sempre nos lembramos de vc com carinho, e dou mtas risadas das suas palhaçadas, do seu jeito q é unico! Grande beijooo, fica com Deus!
    Ane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Ane, que saudades de todos vcs...
      Pode se achar ok?
      Um beijão pra vc e toda sua família
      ;)

      Excluir
  28. Adoro seu blog e sempre acompanho, parabéns pelo trabalho.

    Também tenho um onde narrei as experiencias do meu intercambio nos estados unidos. Aproveito e venho aqui divulgar.

    http://leroleromeu.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. Ola

    Estive no Brasil este ano , e acho que vcs estao sendo muito generosos chamando soh de caos , o brasil no meu ver ja esta inabitavel , Sao Paulo eh o que a de menos pior

    A realidade eh que 50 mil pessoas sao assassinadas por ano!!! , destes soh em 8% dos casos alguem vai preso , muito mais q qualquer Guerra

    45 mil morrem no transito por ano!!

    etc , etc

    O governo PT dominou o pais e criou um sistema de desvio de dinheiro publico , onde tudo eh roubado , nao se ve seguranca , estradas ,calcadas , aeroportos, esta tudo um lixo.

    Quando a bolha imobiliaria brasileira terminar de implodir , acredito que o crime q ja esta fora de controle vai mais que dobrar

    Acho interessante que alguns aqui moram nos USA e nao entenderam uma das coisas que fez e faz o pais ser muito superior., Falo sobre esta nova lei ridicula das domesticas , que eh um absurdo assim como todos estes montes de "direitos" trabalhistas que existem no brasil , isso acaba com as empresas que sempre vao evitar o maximo contratar alguem pq sabem o custo de manter e de despedir.

    O que tem que regular emprego e salario eh o "Mercado livre" e empresas deveriam poder contratar de despedir sem qualquer restricoes , assim como eh aqui nos USA

    Lei das domesticas , puro pupulismo.

    Sobre os que falam aqui que norte Americano nao eh amigavel como brasileiro ,no meu ver tanto Americanos como Canadences sao muito mais familia e muito mais amigaveis q brasileiros. acho que vcs estao precisando abrir mais suas mentes pra ver a realidade

    Uma ultima sugestao , nao levem seus familiares norte Americanos para o brasil de ferias , vcs estao arriscando a vida deles por um sentimentalismo bobo , bandidos no brasil estao sempre atentos a pessoas falando ingles nas ruas , e as chances de algo muito serio acontecer sao muito grandes.

    Existem lugares maravilhosos no mundo pra visitar com seguranca , nao exponha seus entes queridos a violencia do brasil por causa de paozinho e sonho de valsa e sei la o que mais que brasileiro tem mania de achar maravilhoso e nao eh nada demais

    Abracos






    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o problema eh q muitos brasileiros tratam a empregada domestica como um objeto , propriedade da familia e pagam muito pouco!! entao essas leis sao fundamentais para que elas nao sejam abusadas.

      Excluir
    2. As maravilhas do Brasil só alguns conseguem ver. Pãozinho e sonho de valsa tem alí no mercado brasileiro
      Abs

      Excluir
    3. Mas se alguem tratar a empregada como objeto , ela pode sair e arrumar outro emprego , e a pessoa que trata como objeto vai ter dificuldades em achar alguem que aceite ser objeto

      Mercado livre regula melhor , governo corrupto populista , soh atrapalha

      Excluir
    4. concordo com que nosso colega de 1 de abril de 2013 06:57 citou.
      mercado livre funciona onde a cultura de explorar nao é louvada como no brasil.
      se nao tivesse as leis que chamam de populista, teriam empresas oferecendo emprego a troco de sexta basica.
      alguem tem duvidas disso?

      Excluir
  30. Bom Dia Renato

    Meu nome é Alan, sou brasileiro, corretor de imóveis e advogado, pós graduando em Direto Imobiliário, pela EPD( escola paulista de direito em são paulo),
    quero estudar inglês e morar nos EUA por alguns anos, não conheço o pais, você acha que consigo encontrar emprego nestas áreas , sabe me indicar alguém ou algum site que ofereça trabalho a brasileiros como consultor jurídico ou de investimento no ramo imobiliário brasileiro, pois tenho experiencia em realização de empreendimentos imobiliários, principalmente no interior de são paulo.

    Desculpe o incomodo

    Obrigado Alan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alan
      Para trabalhar nos EUA vc tem que visitar a página do consulado americano e ver os requisitos. Não é só arrumar uma empresa e vir. No caso de advogados precisa de licença e vc tem que passar por exames para conseguir.
      É difícil mas não é impossível. Acho que seria bom vc contactar um advogado de imirgração primeiro e se qualificar, depois correr atrás das empresas
      abs

      Excluir
  31. Ola Renato, tudo bem ?
    EU acompanho seu blog a mais ou menos um ano.
    Tenho muita vontade de morar ai mesmo que seja só para estudar.
    Estou querendo iniciar uma graduação na faculdade Ambra College, gostaria muito de uma ajuda sua tendo em vista que o metodo dela é EAD e no momento pra mim é perfeito pois tenho um bebe o que dificulta outro metodo.
    Gostaria de saber se voce conhece esse College, pois ele se encontra em Orlando, e diz que seu diploma é valido ai no EUA. Seria muito importante pra mim tendo em vista que ir estudar ai com um bebe de um ano seria impossivel.
    Desde já agradeço a sua atençao.
    Priscila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Infelizmente não conheço. Se vc tem vontade de morar nos EUA saiba uqe pra conseguir o visto precisa ser bacharel, o consulado não fala nada sobre o tipo da universidade. Infelizmente não posso te ajudar.
      Eu olhei na wikipédia a lista das faculdades sem certificação nos EUA e a Ambra está lá como American College of Brazilian Studies
      Da onde eles tiraram isso vc tem que pesquisar mais.
      Abs

      Excluir
    2. http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_unaccredited_institutions_of_higher_education

      Excluir
    3. Priscila e Renato, a Ambra (American College of Brazilian Studies) é uma instituição de ensino devidamente credenciada e reconhecida pelo Departamento de Educação da Flórida. Procure pelo nome American College of Brazilian Studies no site do Florida Department of Education: http://app1.fldoe.org/cie/SearchSchools/

      Excluir
  32. Como digo aqui em casa, "o Brasil é terra de gente selvagem". Porém, há pessoas de bondade e maturidades incríveis, mas elas são a minoria da minoria.

    Questionando a minha mãe sobre determinado assunto, ela me solta essa pérola: "você tenta ser certinho num país de gente errada". Nunca vou me esquecer desta frase emblemática. Não sou um brasileiro hipócrita, faço a minha parte, vou morrer fazendo, essa glória ninguém me tira.

    Poucos vão encontrar a luz, a grande maioria vai continuar na escuridão... Porque eles querem. Não querem evoluir.

    Tudo de bom pra você aí nos EUA, cara!

    ResponderExcluir
  33. Renato, sempre acompanho seu blog, mas até hoje não tinha comentado. Primeiro quero te agradecer por todas as dicas valiosas, passei dez dias em Orlando e me virei muito bom com as milhares de dicas que você deu aqui. Apesar do pouco tempo que fiquei aí, já foi o bastante para ter uma imensa vontade de morar em Orlando. Infelizmente a esposa nem cogita essa possibilidade...que sabe mais pro futuro!Por enquanto vou lendo seu blog e sonhando em morar aí!forte abraço!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. vc deveria viver com alguém q divide aspirações com vc. talvez vc e a esposa atual devessem estar casados com outras pessoas, e todos seriam mais felizes. boa sorte na sua jornada, e lembre q essa vida é única, portanto não deixe para amanhã e não a desperdice.

      Excluir
  34. Renato eu estava mto ansiosa com esse seu post, pq vou para o Brasil em maio, depois de um ano e meio nos U.S.A. E eu ja esperava as noticias ruins do nosso país. O que só aumenta a minha tristeza, assim como vc eu sou do time que reclama e mtooooo do Brasil, mas depois de morar fora, descobri que o faço pq o amo, e meu sonho é ver esse país progredir, ñ precisa ser um progresso de economia (logicamente isso é essencial) e ser tornar 1 mundo, mas se fosse um progresso na questão violencia, justiça e educação das pessoas ja me deixaria mto feliz. Poxa, o mais triste de tudo é que o Brasil, tem todas as ferramentas para ser um ótimo país, mas o problema é a grande massa dos Brasileiros, que ñ estão nem ai, são aqueles "patriotas" que ñ trocam o país por nada, mas ñ levantam o traseiro pra lutar por melhorias na sociedade. Apesar de tudo, eu estou decidida a voltar, eu sempre sonhei em morar nos USA desde de criança, mas NUNCA pensei que a minha adaptação aqui seria tão difícil. Eu estou longe de ser feliz aqui, como eu era na bagunça que é o Brasil, e olha que lá eu tinha uma vida bem dificil. Mas fazer o que, as vezes me acho fraca por querer desistir desse sonho, mas quando penso que esta afetando minha saúde vejo que ñ é tão simples assim. Aqui esta muito dificil encontrar emprego, eu aplico todos os dias (O que é um saco, aplicar pra emprego aqui, é ridícula algumas exigencias ate pra limpar um chão), a simpatia das pessoas aqui me parece mto robotizada (n eh uma critica e sim uma obsevação), n sai do basico, eu me sinto mto, mto, mto só aqui. Dar risada de coisas bobas me faz mta falta, contar como foi o final de semana pra um colega, tbem. Eu ando pelas ruas com meu cachorrinho, e sempre tenho a sensação de que estou no quintal do estranho, infelizmente eu ñ me encontrei aqui. A saudade da familia, da comidinha do Brasil, me da até saliva. E o tempo aqui frio n ajuda tbem. Aqui eh maravilhoso, mas infelizmente pra mim os pontos que me alegram são somente a segurança, a igualdade social e a tal da qualidade de vida. E eu sei que SEMPRE serei uma imigrante, isso ñ irá mudar em 10, 20 anos de moradia aqui, tbem me deixa triste o fato de mtos americanos serem racistas, aqui o grupo branco e negro realmente eh bem separado, isso me deixa mto triste e eu nem sou negra ñ teria pq me preocupar, mas fico triste a começar pelo o meu marido, que toda hora solta piadinhas sobre os negros, hispanicos e etc, e isso me deixa mto triste. Eu ñ estou generalizando, jamais, mas mtos americanos, tbem precisam evoluir e mto, começando pela a arrogancia, mente fechada e total falta de interesse pelo que ñ esta na zona de conforto deles. Nesse ponto eu fico com mta raiva, pq quando um estrangeiro vai pro Brasil, nós só faltamos estender tapete vermelho. Quando eu voltar pro Brasil, eu quero fazer a minha parte como cidadã, começando pelo o amor próprio, acho que o Brasileiro precisa se amar mais, e parar de tentar ver só o lado bom dos outros países (Q se define em bens de consumo p/ mtos), acho que quando começamos a trabalhar o amor pela a patria, cuidaremos melhor dela e lutaremos por ela. Abraços e mto boa sorte na sua caminhada. P.S: Mas hj em especial eu tenho vergonha de ser Brasileira, pelo o crime que o ocorreu no RJ, meu Deus quando isso ira mudar???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha nem sei seu nome, mas obrigado pelo longo comentário.
      Sabe, aqui também é assim com piadinhas etc. Mas no Brasil também tem. Tem piadinha de portugueses, de baianos, de nordestino, de negro e por aí vai.
      A adaptação é difícil realmente. Foi muito difícil pra mim no primeiro ano. Depois que eu arrumei amigos as coisas começaram a melhorar e hoje está ótimo. Eu acho que quanto mais você se esforçar para falar inglês perfeitamente, estudar, etc vc acaba se integrando totalmente na sociedade. Sabe eu não me vejo pejorativamente "imigrante" (embora eu seja). Eu me vejo um residente de nacionalidade brasileira e me orgulho disso. Sempre gera muitas conversas, além do fato que os americanos admiram quando uma pessoa fala mais de uma língua.
      Seu marido é americano? Ele vai voltar com você?
      Bom, 1 ano e meio é muito pouco tempo para adaptação. Especialistas falam no mínimo 2 anos ou mais. Espero que quando estiver no Brasil não se arrependa, eu recebo emails diários de pessoas contando que se arrependeram e não teem mais como voltar :(
      Tudo de bom pra vc, boa sorte que Deus ilumine seu caminho!
      ABs

      Excluir
  35. OI Renato!
    Que sensacao boa receber o carinho da familia, dos amigos e matar a saudade Mesmo com todas as noticias ruins ver nossos
    afetos eh priceless. Que bom que voce esta de volta, contando as novas para
    os teus leitores.
    Beijo grande
    Cinara

    ResponderExcluir
  36. Prezado Renato,

    Há alguns meses venho acompanhando teu blog, esperando ansiosamente suas publicações, que têm sido para mim um bálsamo aliviando minhas angústias e minha solidão. De que angústias e solidão eu falo? Daquelas decorrentes de se enxergar com clareza que as coisas estão muito erradas por aqui, mas perceber, com tristeza desoladora, que a grande maioria dos brasileiros, por mais que reclame de muitas coisas, parece colaborar para que as coisas sejam exatamente do jeito que são. E o pior é que muitos chegam a se orgulhar de nossos defeitos como se fossem grandes qualidades, o bom e velho "jeitinho brasileiro"!
    Desde que voltei de uma breve viagem que fiz com minha namorada aos EUA, em junho do ano passado, não estamos conseguindo nos adaptar aqui. Na realidade, já faz bastante tempo que estamos insatisfeitos, indignados e muito preocupados com as coisas por aqui, que parecem ir de mal a pior. Porém, a nossa breve estadia aí nos EUA causou-nos um impacto tão grande que, desde que retornamos ao nosso cotidiano no Rio de Janeiro, nosso sentimento de inadequação piorou muito e não passa um dia sem que comentemos a saudade que sentimos daí e o desejo que temos de poder viver a vida com a dignidade que percebemos neste país. Sim, a vida é muito mais digna quando se pode viver em casas sem muros, quando se paga preços justos e acessíveis pelo que se consome, quando se é atendido educadamente nos lugares que se frequenta, quando se vai a um shopping e não se tem que pagar estacionamento, e muitas outras coisas.
    Sabe, tenho refletido bastante sobre a nossa triste realidade brasileira, e as conclusões a que tenho chegado não são nada animadoras. Muito se fala da nossa cordialidade, mas eu questiono até que ponto essa cordialidade é verdadeira, ou seja, se é um verdadeiro afeto, ou se é apenas uma fachada sob a qual disfarçamos uma natureza muitas vezes egoísta, preguiçosa e descomprometida. Por que digo isso? Simplesmente porque se nosso comportamento aparentemente cordial representasse um verdadeiro respeito pelo outro, o país não seria a baderna que é. Aqui, o mesmo brasileiro cordial que vira teu amigo em uma noite de bate-papo regado a "choppinho" no bar, no dia seguinte é capaz de te enganar, jogar sujeira no seu quintal, descumprir acordos, passar na sua frente na fila, arrancar o espelho do teu carro e fugir deixando o prejuízo para você, infernizar sua noite de sono ouvindo música no último volume, e por aí vai. Que cordialidade é essa que não se manifesta em respeito ao próximo, à sua dignidade, à sua cidadania? Sinceramente, há mais respeito na aparente frieza de muitos americanos no que no falso calor de muitos brasileiros! Alguém que não seja muito dado a manifestações de afeto, mas que seja incapaz de perturbar-te o sono com o som que resolveu ouvir no último volume, é muito mais cordial do que um outro que é todo abraços, beijos e sorrisos, mas que na hora de respeitar o espaço do outro dá uma nítida demonstração de que, quando se trata de seu interesse, o outro que se dane.
    Por isso, acho que você faz mais pelo Brasil ao falar com sinceridade suas impressões do que todos aqueles que se dizem patriotas, mas no fundo colaboram para o país ser o paraíso da desordem, do desrespeito e do atraso. Precisamos acordar e não é nos vangloriando do carnaval e do futebol que daremos nossa contribuição para tentar tornar as coisas melhores. Somos aquela criança mal-educada que precisa de pais que a amem suficientemente para não lhe passar as mãos na cabeça, mas sim educá-la para a vida ensinando-lhe respeito e valores.
    Enfim, gostaria de te agradecer por escrever este blog que me traz um pouquinho dos EUA de volta à minha memória e que tem sido, para mim e para a minha namorada, agradável companhia a nos mostrar que não estamos sozinhos. Por mais que você até hoje não soubesse, você conquistou dois novos admiradores por aqui. Um grande abraço!

    Maurício G. Neto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maurício
      Você disse tudo em belas palavras. Nunca antes tinha ouvido um raciocínio como estes. Você tem razão, aquele que te abraça e é teu amigo hoje, amanhã te deixa acordado a noite inteira.
      Como disse minha terapeuta que eu fui visitar semana retrasada, temos que achar o lugar que combina conosco. Muitos nascemos em um lugar mas não nos temos afinidade com o modo como a maioria vive. O negócio é se encontrar e mudar.
      Existe muitas formas de vir pra cá. Ache a sua, planeje, trabalhe e venha. Eu achava que era impossível e hoje aqui estou.
      Seu comentário me emocionou
      Abração Maurício!
      ;)

      Excluir
    2. Prezado Renato,

      Obrigado pela resposta e por suas palavras, sempre tão gentis com aqueles que acompanham teu blog.
      Gostaria de te dizer que, se meu comentário te emocionou, os teus posts têm emocionado a mim e à minha namorada há um bom tempo, pela tua sensibilidade em descrever as impressões de "Um brasileiro na terra do Tio Sam". Quem lê teus textos com um mínimo de atenção, percebe em você uma pessoa educada e bastante sensível diante da questão da dignidade com que vida humana merece ser vivida (e animal também, que o digam Anabelle e Dexter! Rsss.). Nos identificamos com muitas coisas que você escreve e, como já havia dito em meu texto, ler teu blog nos dá a calorosa sensação de não estarmos sozinhos. Além da satisfação que nos causa ler tuas postagens, vemos também, pela área de comentários, que ainda existem brasileiros conscientes, capazes de valorizar o que é bom e belo. Desta forma, teu blog termina formando uma corrente positiva unindo diversas pessoas que, apesar de desconhecidas umas das outras, me parecem verdadeiramente comprometidas com uma vida de dignidade pessoal e respeito verdadeiro ao seu semelhante.
      Saiba que, ainda que não escrevamos com frequência, estaremos te acompanhando daqui como fãs deste excelente blog!
      Quanto a tuas palavras, agradeço também a recomendação quanto à procura de um lugar com o qual nos identifiquemos, e de fato está em nossos projetos viver em um país onde se possa sentir o prazer de respeitar e ser respeitado.
      Obrigado por dedicar-se a essa iniciativa que nos tem proporcionado agradáveis momentos de leitura!
      Um grande abraço e fique com Deus.

      Maurício G. Neto.

      Excluir
    3. Mauricio
      Leitores como voce e outros eh que fazem essa pequena brincadeira que eu comecei e nem me dei conta de onde daria continuar acrescentando aa minha vida e aa de outras pessoas tambem.
      Abracao no coracao!!

      Excluir
  37. Renato bom dia
    Primeiro quero dizer que você tem uma postura muito elegante e respeitosa, mesmo falando do Brasil. É fato que a gente se acostuma com essa selvageria e tudo o mais. Meu sonho é levar a minha família para fora daqui. Dia 19 de abril vou a Orlando a passeio, infelizmente, mas quero ver algumas casas. Conheci o Diogo que é o realter que eu contato através de você. Agradeço muito as suas informações, pois nós brasileiros, ao conversarmos com brasileiros que vivem no exterior temos a impressão que eles ficam diferentes, mais secos, mais distantes e não gostam muito de falar sobre a sua vida nos EEUU. Eu já tenho 65 anos e o tempo que me falta não é muito, mas meus netos tem possibilidades e eu gostaria muito que eles tivessem uma educação melhor e um futuro melhor desenhado. Miha procura que acabou achando o seu blog é devido ao fato de ter perdido o meu filho em 2012 que deixou 3 filhos pequenos, e esses são o alvo da minha intenção de mudança de vida. Vamos ver o que Deus me reserva. Por enquanto vou lutar para ver se a vida concorda comigo. Desejo a você tudo de bom e que v continue nos informando, nos dando detalhes, nos ajudando. As suas informações são muito valiosas mesmo. Good job. Um abraço fraterno Lucia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lucia
      Tudo de bom pra voc^e tambem espero que tudo o que vc aspira se realize.
      Abs!!

      Excluir
  38. Olá, Renato...
    Eu sou filho de estrangeiro. Meu pai foi obrigado a vir para o Brasil aos nove anos de idade, em razão de algumas coisas que meu avô fez. Precisou se transformar num "brasileiro patriota" e tanto ele como minha mãe brasileira tentaram me transformar em alguém patriota, com amor a pátria... Mas nunca conseguiram.
    Sempre me senti um peixe fora d'água e quis buscar um caminho fora do Brasil mas tive que enfrentar a oposição dos meus pais e as dificuldades inerentes à carreira que escolhi. Se tivesse conseguido buscar o melhor aprendizado aí, hoje estaria muito melhor. Mas ainda não está tarde demais para mim e afirmo que você, que é um pouco mais velho que eu, foi um enorme exemplo - talvez o maior - para acreditar que realmente não está tarde.
    Como o Maurício do post anterior, acredito que essa "cordialidade" do brasileiro é ilusória e falsa. Prefiro um verdadeiro respeito pelo outro a pessoas efusivas que te enfiam a faca pelas costas na primeira oportunidade. Talvez isso faça parte do pacote: essa alegria dionisíaca que só reflete um estado de embriaguez e anestesia de um lado, e do outro pessoas com plena consciência dos seus atos roubando tudo o que podem. E quer saber? O Brasil tem muitas diferenças de região para região. Já migrei da minha terra para uma cidade maior e penso que aqui as pessoas também acham "cool" não olhar para as outras. E estou no berço do samba e do carnaval.
    Minha esposa, que foi criada no interior, sofreu muito para se adaptar aqui e tenho minhas dúvidas se ela se adaptou completamente após quase 5 anos. Pelo menos hoje ela consegue sentir os pontos fracos da cidade "menos grande" de onde viemos, sendo que alguns deles me fizeram ir embora de lá.
    O Maurício tem toda a razão. Falou com uma lucidez incrível e sintetizou tudo: se as pessoas realmente tivessem todo esse carinho e respeito pelo próximo no Brasil, o país não seria como é.
    E as coisas não vão mudar por aqui porque cada povo tem o país que merece. O brasileiro só se organiza em torno de interesses particulares de um grupo e dessa forma o PT chegou lá após 30 anos.
    O que mais me entristece, Renato, é lembrar o quanto minha mãe tentou me encaminhar para um "grand monde"... Sonhava que eu fizesse concurso público e me transformasse num juiz de Direito cheio de status e dinheiro... Mas busquei outros caminhos. Sinto na pele o descaso pela educação... estou nos estágios finais da preparação para ser professor universitário mas periga que eu me transforme num desempregado com mestrado, doutorado com bolsa nota 10, trabalhos apresentados e publicações no exterior... Porque a universidade pública não abre vagas na minha área.
    Então eu vou embora... já comecei minha caminhada inclusive mas demora um pouco. Quero sair daqui certo de que pelo menos o direito de permanecer no meu destino enquanto eu quiser ou precisar eu vou ter... Vou levar comigo um pouco de medo de uma nova vida numa terra distante onde não conheço ninguém, mas sei que vou deixar para trás um país doente terminal mantido vivo na UTI... onde eu tenho poucas chances até mesmo de buscar a realização dos meus sonhos. Porque não sou "amigo do rei".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alex
      Muitas pessoas que conversei no Brasil disseram exatamente a mesma coisa que voce. Acho que muitos tem medo de sair e perder o pouco que conseguiu ajuntar em muitos anos. Eu vendi tudo e fiquei por um tempo na duvida se tinha feito o correto ou se tinha cavado minha cova hehehe
      Mas a gente se acha
      Abracao e boa sorte pra vc!

      Excluir
  39. Incrível post, muito bem escrito.
    Em relação a mim, estou "louco" para terminar minha graduação e tentar imigrar para o Canadá.

    Estou com uma ânsia incrível de sair daqui, mas não posso ainda. E eu adoro tecnologia (gadgets), então já viu, né?

    Brasil, na minha opinião, vai ficar assim por muuuito tempo. "95%" do povo brasileiro só enxerga as coisas boas e fecha os olhos para as ruins. Mas para fechar os olhos para as ruins, elas têm que saber que estão lá, o que não parece ser o caso. Realmente acredito que muitos não tem a mínima ideia do que o país está passando... Como dizer aqui: "A ignorância é uma benção".

    Um dia eu comprarei um smartphone TOP sem ter que trabalhar quatro salários mínimos para pagar. Sabia que o Samsumg Galaxy S4, no modelo mais básico, vai sair por aqui a R$2,399. Acredita? Não? Vê aqui: http://www.gizmodo.com.br/precos-de-smartphones-high-end-no-brasil/

    Até mais. :)

    ResponderExcluir
  40. Boa noite, Renato !
    Parabéns pelo paralelo que você fez entre o Brasil e a Florida. Estive aí este Mês e confesso que a vontade é de não voltar nunca...uma pena , pois recursos é que não falta em nosso país.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem tudo pra dar certo, mas eh uma maquina dificil de mudar
      abs

      Excluir
  41. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  42. É meu caro Renato. É desanimador o misto de contradições que se tornou o país. Por um lado, o país retrocedeu uns 100 anos com a eleição de Lula e Dilma. A inflação está descontrolada a ponto de 1 kg de tomate custar R$ 9,80 em várias localidades. Você falou da violência em São Paulo. É fato. Mas você sabia que, proporcionalmente, é a cidade menos violenta do país???!!! Pois é. Em Brasília, cidade com apenas 2.5 milhões de pessoas, a criminalidade é quase o dobro da paulista. Tudo está mais caro no Brasil do que em qualquer outra localidade no planeta e os salários são aviltantes, como você bem sabe. É realmente triste vivermos em um país de pessoas que em sua maioria são cordiais e por outro lado termos um governo que nos desrespeita como pessoas e cidadãos.

    Abração!

    Marcelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo
      Pior é ouvir no facebook que o Lula é um ídolo nacional, que mudou o Brasil e o mundo, tanto que agora vai escrever para o New York Times. Francamente! O cara não escreve nem mesmo em português! Roubou o páis e nem vou continuar. O que mais me indgina é a aceitação cega e alienada da propulação brasileira...
      Abs

      Excluir
  43. Fala Renato,
    Cara, tu pegou leve com o Brasil nos teus cometários, né? Tens um blog e não queres te indispor com a brazucada...
    Fala sério, isso aqui tá um lixo!

    Quem me dera eu pudesse fugir da Bananaland...

    Parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vidal
      Não queria pegar pesado kkkk
      Abração!

      Excluir
  44. Boa noite Renato ,lendo este post e todos os comentarios , da uma angustia uma tristeza de ter nascido no Brasil , e o pior de tudo , ter que trabalhar feito um condenado para sestentar VAGABUNDOS e suas aposentadorias Milionarias ( deputados, governadores , filhas de desebargadores e militatares de alta patete as chamadas viuvas virgens , garçons do senado que ganham 14,000 r$ , ) por isso tudo aqui é caro , temos que pagar o bem estar dessas pessoas , no Brasil tem 37 ministerios 580 oitaenta deputados cada um pode empregar 90 amigos , e dionde sai o dinheiro para essa corja , bingo , do bolso da classe merdia Brasileiro , eu me rendo quero ir embora desta COLÔNIA MELHORADA.
    pena que não é tão facíl , como eu sinto falta de ser UM GRANDE IGUINORANTE , pois este não sofre , aceita e é feliz , GOD BLESS BRAZIL!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, não tem um emprego de garçon pra mim aí não??
      kkkkkk
      inacreditável...

      Excluir
  45. Renato parabens pelo post.
    Muitos falam mal do EUA, mas nao entendem que cada pais tem pros e contras. Há aqueles que dizem que EUA nao vale a pena pela crise. MaS no brasil, sempre teve crise e ainda assim sempre tive emprego(nao empregao como dos garcons de politicos).
    Dose é como nosso colega Tom citou, trabalharmos pra manter luxo da corja na politica. O brasil seria perfeito se nao fosse o cancer da corrupcao. Nao sei se viu o caso da dentista em sao paulo, os bandidos menores de 18 q fazem o quer e escondem atras de uma lei suja e por aí vai...
    vejo q os mais conformados, criticam aqueles que tem coragem de alcar um voo diferente.
    sucesso pra vc no EUA!!! pq onde a corrupcao nao é escancarada, sempre vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado
      Eu infelizmente fiquei sabendo da notícia com a dentista. Alguém disse uma frase assim: É preciso criar uma lei severa que puna estas pessoas e diminua a violência para o cidadão que paga impostos
      É uma vergonha!

      Excluir
  46. Olá Renato, eu sou a Sílvia que ama bater cartão aqui no seu blog para ler seus posts.... Amo seu blog, já estive em Miami e Orlando em Outubro/2012 e estou voltando agora em Setembro/2013 e acredite, estou toda confiante que essa minha segunda ida será mto proveitosa..... seu blog esta me ajudando mto, Parabéns e continue a escrever..... Ah ja entrei em contato até com a Leila, ficar em apto será mto melhor q em hoteis..... brigaduuuuuu, bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. OI Silvia!
      Tomara que sua viagem seja fantástica!!!
      Bjs

      Excluir
  47. Olá Renato, como vai?
    Estou há um bom tempo sem acompanhar seu blog e hoje estou tirando o atraso. Pena que em muitos assuntos interessantes eu perdi o 'time' de comentar.
    Em tempo, com relação aos irmãos Cravinhos eles ainda estão na cadeia. Por sinal, eles irão sair esta semana da cadeia por conta do indulto de dias das mães, mas terão que retornar. A notícia linkada por você é de 2005, quando eles e a Suzana ainda não haviam sido julgados. Eles obtiveram um habeas corpus na justiça e puderam responder o processo em liberdade. Posteriormente, eles voltaram à prisão após uma entrevista de Suzane ao programa Fantástico, onde estão desde a condenação.
    De qualquer modo, a saída dele é um afronta a qualquer um, minimamente, esclarecido.

    ResponderExcluir
  48. nossa, viu isso renato?

    http://carros.uol.com.br/noticias/redacao/2013/05/13/imprensa-internacional-descobre-que-carro-brasileiro-e-inseguro.htm

    "Carros fabricados no Brasil são mortais"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mauricio
      Quem nao sabe? Os carros não tem equipamentos nenhum de segurança como em outros lugares
      Vou ler depois
      obg!!!!!!!!!!!

      Excluir
  49. Olá Renato,
    Estou há 2 dias seguidos "devorando" o blog e é inacreditável o número de pessoas desanimadas com este país. Eu nunca morei ou visitei outros países, mas sempre trabalhei com estrangeiros pois sou fluente em ingles e espanhol. Nunca tive problemas com meus chefes estrangeiros (mesmo com os japoneses, indianos e coreanos) mas os brasileiros, estes sim sempre atormentaram o meu juízo, principalmente as mulheres. O fato é simples, a iniciativa privada não quer contratar pessoas normais que saibam fazer...querem colocar panicats, pois fica bem mais fácil e barato associar lazer e trabalho juntos. E isso fica tão na cara ao ponto da funcionária chegar ás 10, 11h da manhã e sair ás 17h, como assim? No final ninguem vê nada, ninguem sabe... O jeitinho malandrinho Zé Carioca está em tudo quanto é lugar, é deprimente...cada dia que passa meu mau humor, minha decepção e infelicidade diárias acaba contaminando as pessoas que eu gosto...Quem vai ser feliz assim? Pessoas sem educação, modos, sorrisinhos de felicidade e ilusão no país da Copa e Olímpiada...Estou torcendo todos os dedos que tenho e não tenho para estar bem longe daqui... Tudo caro, alimento, roupas, estudos e ainda vem o empregador e diz: seu salário não posso pagar só porque vc tem 2 graduações e 2 idiomas fluentes, não posso... Mas o garçom pode ganhar mais que eu? Desculpe o longo texto, mas a cada dia que passa viver no Brasil se torna um grande purgatório... se sua alma foi perdoada, junte seus medos, as fotos dos amigos, a do cachorro e VÁ EM BUSCA DA SUA DIGNIDADE.. Para finalizar a nossa Dilma e suas famosas bolsas, cria mais uma a do crack no valor de 1.092 reais, ou seja a família do viciado não precisa de 2 graduações e 2 idiomas pq é isso que estão tentando vender (este salário ) para quem é normal, trabalhador e qualificado...
    O último que sair, apague a luz, please.... Obrigada a todos e ao seu blog inenarrável...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mila é a margarina, que veio do milho, milá!!
      Nossa, assim que eu li seu comentário e vi seu nome essa vinheta "tocou" na minha cabeça.
      Muito engraçado seu comentário, muito triste também. Sim eu acho que chega um ponto que você vê que sua vida inteira não vai mudar essa máquina engrenada e a vida é muito preciosa para trocar pelo Brasil e muito curta pra sofrer por causa dele.
      Abração

      Excluir
  50. Oi Renato,
    Morri de rir aqui com a lembrança da margarina!! hahaha Quando não é isso, as pessoas cantam aquela música do Netinho: ôoo Milaaa, mil e uma noites de amor com você....
    Que bom porque assim, quando eu postar de novo vc vai lembrar logo de mim, né? rsrsr
    Pois é acabei desabafando e desabando com o Brasil também né, mas estou juntando os caquinhos do meu coração para colar numa pátria que me respeite em todos os aspectos. Acho que como você mesmo disse no post, a gente pensa que é difícil mas persistência, luta e foco para alcançar os nossos objetivos. Este blog é um bálsamo para aqueles dias que você pensa em desistir, aqui a gente recarrega as nossas baterias !!! Com seu senso de humor então, fica melhor ainda!!!
    Perguntinha: é muito difícil conseguir um sponsor nos EUA? algumas pessoas dizem que é muito difícil conseguir ainda morando no Brasil? Procede? Abraços da Menina da Margarina!

    ResponderExcluir
  51. Renato, sinceramente. Se eu fosse você, não faria mais textos sobre o Brasil. Você já viu que o país é uma bosta, que o povo é conivente e alienado, que a corrupção reina absoluta...
    Eu percebo que você só passa raiva.
    Continue fazendo textos sobre o USA, esse país maravilhoso em que você vive e que tanta felicidade te proporciona.
    Esquece isso aqui, meu irmão.
    O Brasil está condenado.

    ResponderExcluir
  52. Aqui no Brasil o que me entristece demais fora toda a corrupção, violência, são os animais nas ruas, nos EUA nunca vi nenhum e isso me encanta. Estou terminando um curso de banho e tosa e vou trabalhar em Orlando com cães. Como eu ainda não sei mas certamente entrarei como estudante e seja o que Deus quiser. Adorei seu blog, sempre ajudando a esclarecer muitas dúvidas. Abraços.

    ResponderExcluir
  53. olá vc conhece a ambra colkege? fica em Orlando

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...