sexta-feira, 4 de julho de 2014

Cachorro com Medo de Trovão e Fogos de Artifício



          Recentemente temos tido um problema com o Dexter. O medo dele de trovões e fogos de artifício tem ficado pior com o tempo. Quando ele veio pra casa, com 10 semanas notamos que ele tinha medo de barulhos. Por exemplo, o medo do caminhão do lixo e outros caminhões que passassem na rua. No mesmo mês, começaram a construção de uma escola a uma quadra daqui de casa e toda vez que ele ouvia os sons de martelo ou outras coisas ele corria para a porta, querendo entrar em casa. Não havia o que ajudasse. Eu pensei que ele melhoraria com a idade. Por exemplo, o medo do caminhão do lixo passou à medida que ele vê toda semana o caminhão do lixo passar, da janela do escritório. No entanto, o medo de trovões e fogos de artifício tem ficado pior a cada dia que passa.

Dexter é um Cocker Spaniel Inglês
Quando veio pra casa, ele tinha 10 semanas

            No mês de Junho tivemos terríveis tempestades em Orlando. Chegou a um ponto que o coraçãozinho dele bate tão forte que tenho medo que ele vá ter um ataque. Ele também respira como se tivesse corrido por um quilômetro. A veterinária disse que é um ataque de ansiedade/pânico. O quê fazer?

            Os leitores sabem que eu sou um "animal lover". Sou também bug (inseto) lover, etc. Eu até salvo abelhas, bezouros e outros insetos que caem na piscina! Imagina eu ver meu cachorro sofrendo desse jeito sem poder ajudar. Eu costumava abraçá-lo e falar com ele durante a tempestade, mas mal sabia eu, que este tipo de comportamento só faz piorar a fobia que ele sente destes barulhos.

            Hoje, 4 de Julho vai ser o pior, pois os fogos já começaram durante o dia. Ele sequer quer ir ao quintal brincar ou fazer pipi. Por isso acordei hoje e tive a ideia de ir pesquisar sobre isso na internet. Gente...bendita internet! Como vivemos tanto tempo sem ela?

Para o Dexter não vai ser Feliz coisa nenhuma... :-(

            Neste site aqui, de todos os que li, encontrei os melhores conselhos para tratamento da fobia. Eu não quero dar ao Dexter nenhum tipo de medicamento pois eles tratam a consequência e não a causa do sofrimento dele. Deve haver coisa melhor e há. Mas o interessante e preocupante é que a fobia de barulhos, se não tratada só tende a piorar e é o que está acontecendo com o Dexter no momento.

            O site inclusive comenta, o que eu desconhecia, que há um número enorme de fugas de cachorros e gatos durante festividades, principalmente fogos de artifício. Um cão pode pular uma cerca de 1 metro e meio se estiver com um ataque de pânico. A seguir as dicas de O Quê Fazer e do que não fazer se seu cão sofre de medo de fogos de artifício ou trovões:

            1- Crie um lugar seguro.

Compre uma casinha com porta, ou faça uma cabana para ele. Algum lugar que ele possa se esconder durante os ataques de pânico. Se ele tentar se esconder debaixo da cama, deixe. Abra inclusive a porta do quarto para que ele possa se esconder. Jamais deixe seu cão sozinho no quintal durante festividades onde haverá fogos de artifício e jamais na chuva ou tempestade. Sinceramente? Deixar o cachorro na chuva é crueldade. Aqui na Flórida é considerado "abuso" e a pessoa pode ter o animal tomado por autoridades e posto para adoção.
A ideia aqui é cria um "esconderijo" onde ele ou ela se sinta seguro. Quanto mais tecidos melhor pois eles abafam os sons vindos de fora.



            2- Crie outros sons.

Coloque uma música ou som de TV médio-alto que confunda os sons da tempestade ou dos fogos.

            3- Distraia seu cachorro.

Brinque com ele ou faça atividades que ele goste. Alimente-o (se puder, porque o Dexter nem quer comer nem nada) ou dê recompensas enquanto brinca com ele quando perceber que ele vai começar a ficar ansioso. Se não conseguir distraí-lo ou se ele ou ela começar a ficar muito ansioso, páre o processo. Não vai adiantar.

            4- Treine seu cão com o método "Modificação do comportamento".

Tome cuidado. Se não feito direito este método pode piorar a situação do cão. Falo deste método mais adiante.

            5 - Feche todas as janelas e cortinas.

Feche todas as possíveis passagens do som como janelas e portas. Cortinas absorvem o som também. Se tiver, é bom fechar.

            6 - Consulte o veterinário.

Pode ser que seja preciso algum medicamento para ajudar o tratamento. Mas lembre-se, o melhor é o treinamento associado com a medicação. Com o tempo, se treiná-lo bem, ele ou ela não precisará do medicamento.

O Quê Não Fazer:

            1- Não faça carinho ou agrade o cachorro durante os fogos ou trovões.

Haja NORMALMENTE! Agradá-lo ou fazer carinho, segundo os especialistas em comportamento animal só agrava a fobia. Ele interpreta como sendo um perigo real e a situação pode ainda piorar. Pode chegar a um ponto que ele até se machuque ou machuque outros por causa do medo.

            2- Não coloque seu cachorro em uma gaiola.

Eu nem vou comentar isso porque colocar o cachorro em uma gaiola ou coleira é algo realmente inaceitável. Eu já arrumei briga e até perdi amizades por causa disso.

            3- Não puna o cão pelo comportamento ou medo.

Precisa falar alguma coisa? Se alguém já sentiu medo, medo mesmo, se tiver um pouco de empatia pode imaginar o que o cão passa nestes momentos. Animais sentem medo, ansiedade, alegria e tristeza como a gente. Não o tranque no closet ou no banheiro.

            4- Não tente expor seu cão ao barulho colocando ele para ver os trovões e raios ou mesmo os fogos de artifício.

Segundo os especialistas, isso agrava mais o problema. Eu mesmo tinha pensado que se fosse para melhorar eu ficava com ele lá fora na chuva, mas pelo que li, isso pode causar danos sem reparos ao animal.

Modificação do Comportamento

            Especialistas em comportamento animal garantem que se, feito com paciência, em algumas semanas ou até mesmo meses é possível amenizar a fobia de barulhos ou até mesmo curar o cão do mal. Outros nomes para este treinamento são "Desensibilização" ou "Condicionamento Contrário.

            O método consiste em expôr seu cão aos poucos a sons que ele tem medo. Por exemplo, o Dexter não tem mais medo do caminhão do Lixo pelo fato de que vê todas as semanas pelo menos 3 vezes. Duas do caminhão de lixo e uma vez pelo caminhão dos reciclados.

            - Comece com sons de Fogos de artifício ou trovões em um volume bem baixo. Veja qual é o volume que ele nota, que chama sua atenção, mas que não seja assustador.

            - Durante as sessões da "terapia" faça com ele sua atividade favorita ou algo que cause prazer a ele (o cão, cansei de escrever ele ou ela). Correr pela casa, brincar, jogar bolinha, jantar,  etc. Coloque alguns ossinhos no bolso e recompense de vez em quando. Se ele começar a ficar com muito medo é porque o volume está muito alto.

            - A cada sessão aumente um pouco mais o volume. Só troque para o próximo volume quando o cão já não se importar mais com os sons do volume anterior. Isso pode demorar um tempo, mas se funcionar, você pode até mesmo ter salvado a vida do seu cão. Alguns cães morrem durante ataques de pânico.

            - Pare a sessão se o cão ficar com medo e se esconder. Comece de novo depois, um outro dia em um volume mais baixo e vá aumentando durante as sessões.

           - Há um colete à venda nos EUA chamado Thundershirt (camisa de trovão). Você pode ver aqui. Há um porém. Segundo o que li, é melhor não agradar o cachorro ou fazer carinho. No entanto, este colete diz dar a sensação de um abraço. Será que funciona?

http://www.thundershirt.com/
            Durante o processo, o cão vai começar, aos poucos, associar os sons com algo prazeroso como brincadeiras ou "treats" (ossos ou o que for que você dê para ele comer). O tratamento pode durar algumas semanas ou até mesmo alguns meses, mas pode realmente funcionar. E se não funcionar?

            Se nada funcionar, está na hora de consultar um especialista em comportamento animal e fazer terapia com ele J Já que você não quer fazer terapia você, prefere gastar o dinheiro em um par de tênis novos, dê este presente a seu melhor amigo. O treinamento do Dexter começou hoje e foi muito bom. No futuro contarei o resultado...

Nas palavras do Criador de todas das coisas escritas na Bíblia:

"O justo preocupa-se com a vida do seu animal de estimação...mas o agrado dos ímpios é cruel"



             Eu encontrei no Youtube dois vídeos fantásticos para o treinamento. Há muitos outros, escolha o que achar melhor.


Trovões e chuva


Fogos de artifícios


 
Eu sei que a foto está borrada mas eu adoro essa foto.
A Annabel não tem medo de nada, pode?
          

            

14 comentários:

  1. Ola Renato,adorei seu post,hoje mesmo o meu pequeno Kell quase teve um treco,tadinho,teve muito foguetorio aqui em Belo Horizonte,pois o Brasil ganhou,morro de do mas o post da muitas dicas legais,valeu.
    abraços

    ResponderExcluir
  2. Opa Renato tudo beleza? Adorei o post incrível como sempre ! Gostaria de saber se esta acompanhando a Copa dai dos EUA esta torcendo pro Brasil??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, claro!
      Até meus amigos americanos estão torcendo para o Brasil!
      Abs

      Excluir
  3. Olá, Renato. Meu nome é Dinorá Simonetti e achei seu post Incrível! Hoje aqui foi o jogo do Brasil e o nosso Thorzinho estava apavorado. Coloquei-o no sofá, junto conosco e ele continuou "arisco", ficando assustado até mesmo se fôssemos colocar a mão para agradá-lo! A gente sente muita pena e fica sem saber o que fazer, realmente só pensamos em abraçá-lo. Aprendi mais um pouco e vou por em prática. Valeu muito! Abçs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também fiquei bem espantado com as dias
      abs

      Excluir
  4. Olá Renato, eu tinha um cachorro que tinha pavor somente de fogos,na epoca do natal e ano novo o cachoro ficava em panico ,mas eu e meus pais faziamos o que agora descobri ser errado,ficar com ele no colo tentando acalmar,até que no dia 31/12 durante os fogos ainda de tarde ele ficou tão nervoso que desmaiou,fomos correndo atrás de um veterinario de plantão que recomendou um calmante porque como ele já era muito velho (12 anos) treinamento não ia ajuda,pelo menos com o calmante e ficou mais calmo!Abraços!

    ResponderExcluir
  5. Lindas fotos!! A minha Rott me fez sair de apto por conta do medo e da latição do caminhão do lixo e até hoje ela late muito tanto quanto quando ouve fogos, imagina nessa época, ela quer sair pela porta porque acha que é alguém nos atacando,eu penso,rsrsrs e tento distraí-la procuro sempre está em casa nessas ocasiões e fecho a casa toda mesmo, pouco adianta, já a Chanel uma dalmata, se enfia embaixo da cadeira, só a cabeça, o corpo não cabe, ne? Vou adotar algumas dicas pra melhorar, pq é sempre uma preocupação quando saio e chove por exemplo...Tenho lido sempre ss/posts mas nem sempre consigo enviar comentario, Internet péssima. Bjs.

    ResponderExcluir
  6. Olá Renato, temos dois cães, Alfredo e Fuinha, o Alfredo é super tranquilo, quando tem tempestades com vento ele fica doidinho para brincar no jardim, não tem medo algum. Agora com a Fuinha nunca mais viajamos no fim de ano devido aos fogos de artificio. Ela tem muito medo dos fogos e de trovões, chega a ter convulsão. Nós ligamos a TV e o ar condicionado/aquecedor dependendo do dia para ajudar a abafar o barulho e colocamos os cobertores dela dentro de um armário que ela possa entrar, as vezes se temos caixa de papelão em casa também ajuda. E na hora que começa os fogos ou trovões nós cantamos (eu e meu marido) foi a forma que encontramos para ajudar ela.. (quem vê pensa que é uma casa de loucos!!!! Parabéns pelo cuidado com seus filhotes - Jussara-Blumenau-SC

    ResponderExcluir
  7. muito bom o post! Lembre-se da origem dos cães, eles peregrinavam e, ao menor sinal de perigo, se escondiam. Isso está até hoje no DNA deles, e o ideal é justamente o que vc escreveu: ter um "porto seguro", um local onde ele possa se isolar. O ideal é que o local seja realmente pequeno (o corpo do cão tem que "roçar" nas paredes para ele se sentir realmente seguro). Por isso, uma casinha pequena ou mesmo uma caixa de transporte sem a porta resolveria (acho que nos EUA isso é chamado de "crate"). Você vai ver que, com o tempo, ele vai passar mais e mais tempo neste local, em alguns casos mesmo quando a casa estiver cheia (não tenha ciúmes, rsrsrs, é normal!!!).
    Cães, não importa o tamanho, adoram ter um cantinho apertado para passarem tempos, principalmente quando estão com medo ou sozinhos. Por isso não é incomum encontrar filhotinhos recém-chegados na nova casa em baixo do fogão ou da cama.... é o mais perto do "aperto" da mãe que eles encontram.
    Com seres humanos não é diferente, repare que bebês pequenos, quando "empacotados", tendem a dormir melhor (apesar de hoje em dia acharem isso muito cruel, os bebes adoram!!). E mesmo adultos, quando está frio, prendem a colcha em volta do corpo como se fosse um envelope: isso dá a segurança que nosso subconsciente precisa para "relaxar". Abraço e tomara que seu filhote tenha superado esse medo!

    ResponderExcluir
  8. Boa tarde Renato! Muito legal esse post, tenho sorte, o pastor alemão que tinha durante a infância tinha era raiva de fogos, ficava correndo no quintal latindo pra cima tentando morder. Minhas duas menininhas nem ligam, é como se não tivesse acontecendo nada, porém, uma delas (a lhasa) consegue prever tempestades, ela fica doida uma ou duas horas antes de dar um chuvão.

    Outubro estarei por aí, posso te pagar um café? Abraço!

    Daniel

    ResponderExcluir
  9. olá Renato
    Fiquei com dó do Dexter. Minha Zara, é como sua Annabel, não tem medo de nada.E olhe,que no ano novo, o vizinho fez festa com direito a foguetório,e Zara (uma lady) nem deu bola para os fogos.
    Espero que o treinamento dê certo para o bem do Dexter.

    Abraços

    ResponderExcluir
  10. Harry (gato) tinha pavor de fogos e trovões. Mas nós já sabiamos que ele gostava de se enfiar no armário, no meio das roupas, e já deixávamos sempre aberto qdo sabiamos que haveria fogos, ou tempestades. A Mel tb tem medo, mas um pouco menos.
    Tomara que o treinamento resolva. Bjs

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...