segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Aguente se Puder - 10 Maus hábitos dos Americanos



            Depois que minha amiga virtual Ana Fonseca escreveu no Brazil com Z os 10 maus hábitos dos holandeses (que eu compartilhei no Facebook), eu fiquei pensando que é que me irrita aqui nos EUA. Não vou mentir, porque se você é leitor do blog sabe de uma coisa a meu respeito. Sou muito sincero sem ser mal educado. Se fosse para fazer esta lista do Brasil, era fácil. Ah se era...Até quem defende o Brasil nas redes sociais fala mal e se irrita constantemente. Outro dia um leitor do Facebook disse "que os que ficam no Brasil em vez de emigrar, estes sim são os inteligentes", então nós aqui que viemos, trabalhamos, ralamos, estudamos, nos formamos, montamos empresas, ficamos bem de vida, ajudamos outros brasileiros e temos americanos trabalhando para nós, somos todos burros. Quem decide imigrar para outro país "não é inteligente". Esse amor cego ao Brasil seria a primeira coisa mais irritante na minha lista.

            Então fiquei pensando o que me irrita aqui. Algumas coisas são muito claras, irrita mesmo, mas no geral a sociedade é bem educada, bem organizada e pra quem já nasceu, cresceu e viveu no Brasil não há muita coisa a reclamar. Mas eu achei dez aí que vou compartilhar com vocês. Eu coloquei na ordem que eu acho que mais irrita. Lembre-se: Não é uma regra geral mas uma coisa facilmente observável. Claro que muita gente que não faz nada da lista e há sim generalizações, etc. Vamos combinar uma coisa? Esse texto não tem como objetivo ser uma dissertação de doutorado ok? 

1- Arrotar na mesa ou em público.
            São poucos os americanos que arrotam por exemplo, em um restaurante. Mas se vê sim! Entre a família é comum. Eu já tentei de tudo aqui em casa. Cara feia, cara de nojo, ironias do tipo "como você é educado...??" etc. É um hábito que não sai, não tem jeito. E irrita demais! Vê-se pessoas de idade arrotando nas ruas de vez em quando. 


Em alguns restaurantes eu já vi sinais como este. Pra você ver que
a coisa é séria...

2- O desperdício.
            Em um país rico com abundância de quase tudo e tudo custando muito barato as pessoas não dão o devido valor às coisas. Como já disse anterioremente, se estão com frio ligam o aquecedor. Depois de 1 hora, ficou quente demais, ligam o ar condicionado. Ninguém põe blusa ou abre a janela. Uma pessoa vai fazer um café só pra ela e faz a cafeteira inteira. Toma duas xícaras e joga o resto fora. Você já assistiu ao filme "Little Miss Sunshine?" No começo do filme a família abre um pacote de saladas, quase ninguém toca nela e o pai joga tudo no lixo. É assim...Aqui em casa, toda comida de final de semana se faz como se fosse para 10 pessoas. Somos em 3, o resto vai tudo para a geladeira e para o lixo 5 dias depois. Eu já falei mil vezes. A desculpa é "ah eu não sei cozinhar para poucas pessoas" Hrrrrrrrrrrrrrrrr


Tradução: Uma família comum americana joga fora 10kg de comida
no lixo por mês! 15% de redução daria para alimentar
25 milhões de americanos por ano.


3- A maldita televisão.
            O americano é simplesmente hipnotizado por este aparelho. Não é incomum sentar na frente da TV de manhã, só levantar para ir ao banheiro, pois se come na frente da TV mesmo, e só sair de lá para ir dormir. Até mesmo em reunião de família se liga a TV e ficam todos olhando pra ela. No Natal aqui eu não aguentei, levantei, desliguei a TV na cara das 13 pessoas na sala e disse "We're gonna have to talk to each other" (nós vamos ter que conversar entre nós). A família só se encontra uma vez por ano e quando estão juntos vão ficar assistindo TV? Coloquei em uma estação de músicas de Natal e disse: "Let's talk!" Vamos conversar! Alguns não gostaram como o Robert e a Louise, mas cara feia não me intimida.



4- A sujeira dentro de casa...
            Como eu disse no post sobre as 100 curiosidades americanas, as casas dos americanos são impecáveis por fora, mas por dentro não é bem assim. Eu já entrei em casas impecáveis. Por exemplo, na época de faculdade, eu pintava apartamentos. Peguei um apartamento de uma executiva, solteira, de uns 40 anos que não tinha empregada. O apartamento dela era limpíssimo! Mas é a exceção, geralmente...Por isso você vê na TV a toda hora produtos e aparelhos que prometem reduzir para 1/10 o tempo que se "perde" limpando a casa. Eu sei que o que eu vou dizer vai ser chocante. Mas eu já entrei em casas de diversos americanos que não limpavam suas casas há anos... Você já entrou em um banheiro 2 anos ou mais sem ser limpo? Eu já, em vários! O alto custo de se ter uma empregada ou faxineira aqui também contribui para esse fato. 

5- O carro e o telefone celular.
            Páre no farol e observe os carros que cruzam. Oito entre 10 estão com o telefone nas mãos, é incrível! Embora somente este ano na Flórida foi propibido digitar mensagens e dirigir ao mesmo tempo, se vê todos os dias em todos os lugares. As pessoas prestam menos atenção, diminuem a velocidade, perdem o farol aberto pois não estão olhando pra frente, etc, etc, etc...


O pior disso tudo é que por causa do celular inúmeros acidentes
fatais acontecem nos EUA todo os anos. 

6- A informalidade na vestimenta.
            Eu acho nobre eles não se importarem com o que os outros pesam deles. Mas vamos combinar que até um certo ponto não? Bermudas e chinelos havaianos na formatura da faculdade? Camisa com manchas de cândida e furos na festa de Natal? Camiseta regatas no restaurante fino? Pijamas no supermercado? Aliás, saiu uma pesquisa que o homem americano só lava seu pijama a cada 13 dias e pasme, as mulheres a cada 16 dias! E quanto mais pobre pior fica...


Foto da minha formatura em 2013. Esse sujeito foi de chinelos tipo havaianas e
ao receber o diploma estava descalço. Alías o traje dele era bermudas e
regatas por baixo da beca. 


7- A falta de jogo de cintura.
            Eu não estou falando de jeitinho brasileiro. Mas de situações onde alguma mudança beneficiaria a muitos, mas segue-se ao pé da letra o que está escrito no manual. Não pode mudar, porque há um medo de que algo dê errado e más consequências sejam o resultado. Por exemplo: O rapaz que está na escada colocando as cortinas, não pode trocar uma lâmpada para você porque ele não é eletricista. A empregada que tem que sair da casa se houver um bebê dentro e a mãe precisa ir ao posto de gasolina por 10 minutos. Os montadores de móveis que não podem te dar um parafuso para você usar em uma outra mobília que não é da mesma loja que eles trabalham. Você não pode dar um cheque para alguém pagar alguma coisa, mas enviar pelo correio pode. Por exemplo, para pagar mobília para o cliente, somente eu posso ir pagar com cheque, minha assistente não pode levar o cheque na loja pra mim, mesmo o gerente da loja me conhecendo pessoalmente, sabe meu nome e já comprei lá mais de 200 mil dólares em mobília para diversos projetos. Cada dia aparece uma.

8- As pessoas que se aproveitam das leis.
            Tem uma raça desgraçada que tem um nhênhênhê insuportável. Aqueles que não querem trabalhar porque são minoria, porque são pobres, imigrantes, brancos, negros, hispanos, cubanos, dominicanos, portoriquenhos, indoutos, mães solteiras, porque são índios e a lista vai. Porque não se vêm chineses, portugueses ou até mesmo brasileiros reclamando que têm que ser atendidos em chinês ou português? Que querem o cheque do seguro social? Que querem food stamps? Que querem bolsa 100% na faculdade?  Que querem ganhar um A sem ter que fazer o trabalho ou a lição de casa? Porque arregaçam as mangas e vão trabalhar. Dão um chega pra lá nas adversidades e não esperam nada de ninguém. Ao contrário, tem um certo tipo de indivíduo que fica pesquisando as brechas na lei e os benefícios que podem tirar dela. No Youtube há vídeos de mães ensinando jovens moças a como fazer para ficar no Wellfare (bolsa família) pelo resto da vida sem trabalhar! Há gerações desde a avó até a neta que estão no wellfare. Eu presenciei na minha sala de aula, VÁRIAS vezes afro-americanos que chegavam atrasados, que não faziam lição, que não faziam trabalho NENHUM, que dormiam na sala de aula, que "colavam" e quando chamados à atenção diziam à diretoria da faculdade que estavam sendo discriminados porque eram negros!? E sabe o que acontecia com eles? Nada, absolutamente nada, passavam de ano porque ameaçavam processar por discriminação. Eu não estou falando de discriminação real, que com certeza deve ser punida, mas sim dos indivíduos que usam isso para obter facilidades ou o que quer que possam conseguir sem ter que fazer qualquer "trabalho".

9- Comida apimentada e sem tempero.
            Quando eu não sabia nada dos EUA dizia que os americanos colocam pimenta na comida para disfarçar o gosto dos produtos químicos e industrializados. Que nada...o americano adora pimenta mesmo. Até mesmo em reuniões de família é preciso avisar com antecedência se você não suporta pimenta. No restaurante você diz que não quer nada com pimenta e mesmo assim a comida vem apimentada, pelo fato de que, muitos dos molhos já preparados continham pimenta. Você acaba se acostumando um pouco e cria uma certa tolerância depois de um tempo, mas certos pratos em certos restaurantes não é possível se comer. É preciso pedir NO PEPPER PLEASE!
            Nos restaurantes "bons" e quando digo bom, excluam-se os fast foods e os "chains" da vida como Red Lobster e Olive Garden, as comidas geralmente são temperadas. Mas nas casas dos americanos geralmente é só sal mesmo. Por exemplo, aqui em casa, antes de eu chegar não se tinha na geladeira cebola, alho, salsinha, coentro, pimentão, tomates só pra colocar na salada e outros temperos. O molho de tomate, tirava-se da lata ou da embalagem longa vida e só se colocava sal e pimenta. Hoje eles já colocam cebola, alho, salsa e outros temperos. Se quiser dicas de bons restaurantes visite esta página aqui.


Eles adoram pimenta...


10- O comer demais.

            Não precisa dizer que os pratos nos restaurantes são enormes. Geralmente para brasileiros que comem pouco dá para duas ou três pessoas. Eu fico chateado, até mesmo um pouco triste quando vamos comer fora e o Robert e a Louise recebem um prato gigantesco e comem tudo. Não faz bem...
Principalmente para a Louise que já tem uma certa idade e é obesa. Eu geralmente como metade do prato, peço uma box e se eu ver algum morador de rua dou para eles. Senão vai pra casa eu como no almoço do outro dia. No país da comida barata e abundante, a luta contra a balança faz parte da rotina de quase todo indivíduo.



Isso pode ser um café da manhã para uma pessoa só!

Um prato de jantar (geralmente por volta das 18hs)

24 comentários:

  1. Renato querido, muito obrigada pelo link para meu post no BZ. Classe !
    Bom, lendo seu post eu me diverti mas tb cheguei a seguinte conclusão: sociedade rica não é sinônimo de sociedade refinada quanto aos seus gastos, padrões de limpeza, asseio pessoal, desprendimento e comedimento.
    Abraços Rê - and keep posting !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ana pela inspiração. O original foi o seu
      abs!

      Excluir
  2. O que me impressiona assistindo os programas americanos na tv por assinatura:
    são aqueles programas de acumuladores:
    e as mulheres ( que geralmente não trabalham fora) que ficam o dia inteiro recortando cupons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhummm
      Mas no Brasil também tem viu? A única diferença é que aqui dá pra acumular mais fácil porque as coisas são baratas
      abs!

      Excluir
  3. Renato, sei que não tem nada a ver com assunto, mas nos Eua os empregos giram em torno do QI ? Já perdi uma ótima oportunidade de estágio em um supermercado grande porque a minha concorrente tinha QI eu estava bem mais preparado,mas ela levou

    ResponderExcluir
  4. Você sabe que a parte do arroto me estressa tremendamente. Aqui também tem gente que solta pum, NO TRABALHO, CONVERSANDO COM VOCÊ. Odeio!

    A falta de jogo de cintura, mais conhecido como falta de flexibilidade mental (que é um dos pilares da inteligência, diga-se de passagem) me irrita nas profundezas. Mas você sabe que aqui em Gainesville, eu não encontrei muito, já em Bham era complicado.

    E Rê, essa industria de viver as custas do governo é triste. Não é regra, mas tem família que é tão dissimulada que prepara a casa para receber as assistentes sociais e manter o dinheiro. Dá uma raiva!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lorna, que bom falar com alguém que vive aqui e sabe do que eu estou falando. hehehe
      Me irrita a ladainha do racismo e preconceito. Dá pra perceber na hora se é ou foi de verdade ou se é pra conseguir alguma coisa.
      Bj

      Excluir
  5. Olá Renato, estou querendo ir para os USA estudar ainda este ano, você sabe se uma faculdade de dois anos em design de interiores já da o direito do profissional exercer a profissão? Estou querendo muito fazer design de interiores e tenho duvida entre fazer um curso de 4 ou 2 anos. Meu medo é que quem faz design de interiores não tenha grandes chances de conseguir um visto H-1B, por nao ser uma area que necessite de trabalhadores de outros países.
    Obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernanda
      Você precisa fazer mais pesquisa...
      O H1-B só é fornecido para quem faz bacharel então nem precisa ficar na dúvida. Curso de 2 anos nem pode!
      Abs

      Excluir
  6. Tentei postar antes, mas não saiu. Não sei porque.

    Mas a verdade é que acho esse blog muito bacana. Acompanho sempre, mas tenho o costume de entrar, ler e sair. Mas hoje foi irresistível não comentar. Este texto é muito bacana, conta uma experiência de vida muito legal, que só quem vive no exterior é capaz de detalhar com tanta precisão.

    É uma forma da gente poder "vivenciar" pelas palavras de outras pessoas o nosso desejo de ter uma vivência internacional. Meio que um meio de "matar a vontade", só faltando agora a coragem.

    Muito bacana mesmo. Por isso que sempre venho aqui, e pretendo voltar mais vezes.

    ResponderExcluir
  7. Bom artigo, mas parece que o autor é muito condescendente com pessoas que, caso fôssem brasileiras, não ofereceria amizade. O americano casca-grossa é que age assim. Porque diabo tem que aceitar a amizade de pessoas porcas, ou obesos que comem como desesperados? Apenas porque são americanos? Estes são os losers da sociedade americana, vale mais estar sozinho socialmente e aos poucos construir amizade com pessoas mais adequadas. Quanto ao repugnante afro-coitadismo, isto está entranhado naquela gente, no mundo inteiro onde estão, nunca são gratos ou boas pessoas. Todos temos o direito de sermos um pouco conservadores e intolerantes, caso contrário, a escumalha liberalista destruirá tudo. Você saiu do Brasil , usou sua competência para se firmar em outro país e ainda atura gente sem nível? Está na hora de se tornar mais exigente em suas amizades, lixo é lixo em qualquer parte do mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo
      Se você me conhecesse ou conhecesse meus amigos jamais teria feito este comentário...
      abs

      Excluir
    2. Percebe-se Renato que essas pessoas são importantes para você. Principalmente a Louise.
      Nem preciso dizer que estou adorando o seu blog... Comecei a ler por uma curiosidade sobre lavar roupas em lavanderias e não parei mais de ler...
      Passei o link para uma amiga que foi para a Disney esse mês e ficou com muita vontade de ir embora.

      Excluir
  8. Renato, dessa lista acho que realmente irrita a sujeira nas casas(acho que sou meio maniaco por limpesa),e principalmente a Tv "reinando " em casa ,gosto de tv mas quando vem qualquer visita ou ela é desligada ou o som fica bem baixinho pra gente conversar a vontade.OBS: a uns anos fui a turismo em Miami com uma prima e o namorado dela que era americano ,ficamos hospedados na casa da famila dele que nos tratou muito bem ,mas quase tudo que vc citou acima eu vi acontecer,arrotos na mesa,deperdicio de alimentos e luz,a tv "reinando", sujeira em casa, etc , e aconteu algo inusitado: uma visinha da casa em que eu estava ,recebeu um tecnico de tv por satelite pra fazer a instalação, ela e o marido eram bem idosos deviam tem mais de 85 anos e pediu a instalador pra aproveitar e trocar duas lampadas da sala que estavam queimadas ,não é que o homem disse que não poderia por que poderia dar algo errado e ele seria culpado por isso,eu vendo a situação me ofereci pra trocar as lampadas ,eles ficaram tão agradecidos que no dia seguinte me presentearam com aquela famosa torta de maçã americana que até então eu só tinha visto em filmes e desenhos animados e era deliciosa! Abraço pra vc Renato.André!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que legal!!!
      Conquistou os velhinhos e ainda ganhou a famosa torta...

      Excluir
  9. Renato...
    As suas verdades tira qualquer ilusão que se tenha mas mesmo assim, só aumenta a vontade de sumir daqui (Brasil).
    É uma pena esse sentimento mas é a mais pura realidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Viky o bom e o mau existem em qualquer lugar. Em alguns lugares mais, como no Brasil e outros menos
      E por aqui eu vou ficando
      bj

      Excluir
  10. Oi Renato!
    Estou adorando o blog!
    Vc mora com quem ai nos EUA? Achei tão lega vc colocando: "aqui em casa".... num sei, axei bem brasileiro. Hehe
    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anna
      Eu moro com a minha família americana!
      Abs

      Excluir
  11. Nossa 2 anos sem lavar o banheiro?! Socorro!!!!Acho que a pessoa pode até vir a ter problemas sérios de saúde não? Tudo bem que empregada é caro , mas 1 horinha por dia dá pra ir limpando né, ainda mais com produtos e aparelhos que tem por aí... Afe!!!! Certeza que isso é o pecado capital da preguiça...
    Adoro seus textos, obrigada por nos presentear com leitura tão agradável.

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...