domingo, 5 de março de 2017

Um Dia na Corte Americana


       Eu tenho um cliente que comprou uma casa em Celebration para férias da família e se tornou amigo também. Ele não comprou a casa comigo, mas foi o meu primeiro trabalho como designer. Peguei a casa dele aos pedaços, que eles compraram do Brasil sem sequer visitar o imóvel, reformei e decorei em 21 dias. Foi, no mínimo, uma tarefa interessante. Você pode ver o post que falei a respeito aqui.

           Ele usa a casa só para férias e o resto do ano a casa fica fechada. Ele foi a uma viagem de negócios em Miami e na volta, correndo um pouco foi parado por um guarda que pediu sua carteira de motorista. Ele apresentou a carteira, mas como não estava com o passaporte o guarda entregou a ele uma intimação para comparecer à corte no dia 21 de fevereiro de 2017. Para quem não sabe, a carteira de motorista do Brasil é válida nos EUA com a apresentação do passaporte e pelo tempo que a imigração autorizou a pessoa a ficar presente no país. Se a imigração deu 6 meses, ele pode dirigir com essa carteira por 6 meses. Mas é obrigatória a apresentação do passaporte. 

A carteira Internacional NÃO É CARTEIRA DE MOTORISTA
É uma tradução da sua carteira. Só vale com a apresentação da carteira original
e com o passaporte. Nos EUA não é exigida para dirigir


          Como ele não fala inglês, ficou com muito medo de ir sozinho na corte para se defender e explicar exatamente o que aconteceu. Pediu minha ajuda e é claro que eu concordei. Só não sabia que a corte era perto de West Palm Beach! Saímos de Orlando 1as 6 horas da manhã para a audiência que seria às 9 em uma cidade chamada Okeechobee, que pelo jeito deve ser um nome indígena. 

           Foi muuuito interessante ter comparecido à corte americana. Em primeiro lugar, ao chegar, passar pela segurança, entramos na sala onde havia já umas dez pessoas esperando também. Na parte da frente da sala ficava o pódio do excelentíssimo Juiz, do promotor, dos advogados de defesa e ao centro havia um monitor que mostrava 4 indivíduos vestidos de roupas de presídeo, sentados, olhando diretamente para a camera, ou seja para nós. As audiências começaram com eles, e triste dizer, mas foi uma comédia. 




              Em primeiro lugar o Juiz chamava o nome do fulano e este ia para perto da camera. O Juiz lia a sentença para o tipo de trasngressão cometida e dalí começavam as considerações. O primeio indivíduo tinha batido no pai e estava preso. O Juiz informou o sujeito da pena de 120 dias de cadeia mais uma multa de 500.00 dólares. Fiança em 5 mil dólares. O promotor perguntou ao indivíduo se o mesmo saísse com fiança teria uma maneira de comparecer à corte em 30 dias, ao que o fulano disse que sim. Daí a pergunta ficava mais específica.
- "Você possui um veículo para comparecer à corte?" perguntou o promotor.
- "Sim", disse o fulano.
Em seguida a terceira pergunta mais específica:
- "Você possui um carro?" 
- "Não" disse o sujeito e o promotor perguntou:
- "Como você comparecerá à corte?" e o fulano respondeu:
- "Eu tenho uma bicicleta.. "

          Nessa hora eu fiquei com vontade de rir, mas enguli a seco a risada, pois já sabe né? Distúrbio da corte vem correndo um guarda e já põe algemas em você. 


          E assim foi para o segundo, terceiro, etc. No último sujeito que vimos pelo vídeo, na terceira pergunta, como ele viria à corte o sujeito disse "Andando..."

           Tivemos que esperar uma longa lista de lavação de roupa suja pública. Tudo quanto é tipo de gente, a maioria bem simples, bem mal vestida, alguns até sujos, hispanos, americanos e outros. Um caso diferente do outro, desde conduta desordeira, dirigir bêbado, bater na namorada, cuspir no caixa do banco, jogar lixo no quintal do vizinho, etc. Uma comédia digna de um capítulo de um seriado sobre a vida bandida. 

Bem parecido com a corte que fomos porém, a nossa
tinha um portão que separava a plateia da parte
da frente

          Finalmente o Juiz chama o nome do meu cliente/amigo e lá vamos os dois. Ao passar pelo portãozinho que dividia a platéida da corte, o guarda olhou pra mim e disse "Você volte para sua cadeira". Eu disse "Meu amigo não fala inglês" e ele me respondeu "Temos tradutor" ao que eu disse "Mas ele também não fala espanhol". O guarda olhou furioso pra mim e disse num tom mais alto: "Volte para sua cadeira agora". Lá volto eu, super bem vestido (ao contrário da maioria), humilhado, na frente do povo todo e sento na minha cadeira.

         Pensei neste momento, que perda de tempo, vim até aqui para não poder ajudá-lo com nada. O Juiz faz uma pergunta a ele ao que a tradutora fala ao meu amigo em espanhol. Ele entende, responde em português e a sujeita não entende. Ela diz ao Juiz, não entendi o que ele falou. Segunda pergunta, terceira pergunta etc. E eu parecendo uma coruja de olhos arregalados prestando atenção a cada palavra. Neste momento o excelentíssimo Juiz olha pra mim e pergunta:

- "O senhor está acompanhando o Sr. X?" e eu respondi que sim.
- "O senhor fala português?" e eu respondi que sim. Ao que ele disse, aproxime-se por favor. 


         Nesta hora eu olhei para guarda com cara "não te disse?". Vingado, levanto eu e vou para perto do Juiz. 

          O Juiz pergunta se ele se considera culpado, não culpado ou não contesta. (Guilty, not guilty or No contest?) E eu já tinha dito ao meu amigo para responder "No Contest". No contest significa que você não admite a culpa (pois ele tinha carteira de motorista), mas também não é "not guilty" pois se dissesse isso, teria que comparecer a outra audiência.
No contest significa que você não contesta a acusação. No caso dele a sentença seria 60 dias de cadeia mais a multa de 500 dólares. Havia sim chances de ele sair algemado, mas muito pouco provável. 


               O promotor perguntou se ele tinha carteira de motorista ao que eu respondi que sim. Ele pediu pra olhar. Daí perguntou porque foi intimado a comparecer à corte. Eu tive que perguntar a ele pois não podia responder por ele, mesmo sabendo a resposta. Disse que ele não estava com seu passaporte no momento. O juiz disse a todos que não entendia porque o guarda entregou a intimação então. Neste momento eu pedi licença para falar e disse: "De acordo com as leis da Flórida, a carteira brasileira só tem validade se apresentada com o passaporte, que ele esqueceu em casa"
E todos disseram: "Ahhhhhhhh" Viu seu guarda, além de extritamente necessário na corte ainda ensinei o juiz, o promotor e o advogado de defesa, a lei. Mais que vingado...

           Em seguida o promotor me perguntou. "Quem mora na residência em 800 Spring bla bla bla?" Eu disse "Ninguém mora lá, trata-se da casa de férias do meu cliente e eles moram no Brasil. A casa fica fechada na maior parte do tempo".

          O juiz chama o promotor e diz a ele que meu amigo viajava extensivamente e voltando pra nós, solta a frase: "The state is dropping the charges against you Sr, you're free to go" (O Estado está cancelando as acusações contra o Sr, o Sr está livre para ir). Nessa hora uma alívio,  assinamos uns papéis e embora dalí pelo amor de Deus. 


          Sem dúvida foi uma manhã super interessante. Não sabia que essas pequenas causas eram discutidas e julgadas em frente à todos os outros que estavam alí. Vi que o juiz, o promotor e o advogado de defesa eram muito compassivos das pessoas. Por ex, toda vez que o juiz pedia ao promotor a sugestão de pena por dirigir sem carteira o mesmo dizia: "A pena é que ele pague multa e tire a carteira de motorista" Nenhum desses casos teve o encarceramento como pena. Até mesmo um sujeito que disse que não poderia tirar carteira pois era imigrante ilegal, o promotor sugeriu o pagamento de uma multa no valor de 150 dólares. Vivendo e aprendendo, mesmo perto do 50 anos. Abs a todos!





           

14 comentários:

  1. Super interessante, mais uma vez. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Olá Renato, que coisa mais interessante, me lembrou que eu não ando com passaporte nos EUA. Mas fiquei pensando que nosso inglês meia boca não dá para uma audiência dessa não, o nervosismo não ia ajudar.
    Um abraço
    Alessandra Haak

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelo artigo! Informações úteis, precisas e relevantes.

    ResponderExcluir
  4. Renato, já estava com saudades de vc.
    Que bom que tudo acabou bem.
    Grande beijo

    ResponderExcluir
  5. Que final feliz! Segurei a respiração por um segundo ou dois. Adorei. Abraços!

    ResponderExcluir
  6. Renato como sempre suas postagens são excelentes!
    Estávamos com saudades dos seus textos.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Renato, bom dia.

    Tudo bem contigo por ai? Que susto esse, hein.

    Tenho uma dúvida e que acredito que esta também possa auxiliar aos seus demais leitores e seguidores.

    Saberia informar se, andar com uma cópia do Passaporte, do Visto e do carimbo de acesso na imigração (ao invés do Passaporte original, pois costumamos deixar no cofre em nossas viagens de turismo com a familia, devido a receio de perda ou furto.) é o suficiente para atender a uma possível solicitação, em caso de parada por um Policial?

    E acabei de me lembrar de um outro fato, não relacionado ao seu texto. Você soube o desfecho do caso daquele garoto brasileiro que foi morto em Winter Park? O que houve? Se os agressores foram presos? A mídia qui no BR não noticiou mais nada...Espero que os agressores não tenham ficados impunes, pois foi e é uma crueldade quaisquer tipos de agressão ou violência.

    Um grande abraço e tudo de bom

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A cópia do passaporte não serve, tem que ser o passaporte original segundo o site da embaixada. Mas acredito que vai depender é do guarda.
      3 adolescentes foram presos e agora estão aguardando julgamento.
      Abração!

      Excluir
    2. Renato, bom dia.

      Obrigado pela costumeira cordialidade e retorno.

      Um grande abraço, sucesso e tudo de bom.

      OBS: Provavelmente nos veremos aqui em SP, no evento que fará.

      Excluir
  8. Boa tarde, Renato!
    Como advogado, achei particularmente interessante esse seu texto. E você está com moral, hein, explicando as leis para o juiz e o promotor!... Hehehe...
    Ao ler o seu texto, fiquei um pouco triste pelo nosso Brasil. Em como nosso sistema é falho e burocrático. Uma situação dessas aqui... no máximo daria uma multa, pois os guardas não têm a sensibilidade de entender que, se alguém esqueceu um documento em casa, ele foi apenas um pouco desatento, e não um criminoso. A atitude do guarda dar a intimação para o rapaz comparecer em Juízo me pareceu acertada. E a humildade do juiz e do promotor mais acertada ainda. Aqui no Brasil talvez um juiz até se ofendesse se você tentasse fazer o que você fez (a não ser que ele mesmo lhe chamasse para esclarecer algo). Sem contar que se uma situação dessas chegasse ao Judiciário daqui, seria formado um processo judicial, que poderia demorar MESES ou até mais para ser solucionado. Tudo por causa das famigerada burocracia brasileira.
    Só uma dúvida: você sabe dizer o que poderia acontecer se o seu amigo simplesmente não comparecesse à Justiça? Fiquei curioso sobre essa possibilidade.
    No mais, desculpe o texto um tanto extenso. Sou fã do seu blog (vivo falando dos seus textos para a minha esposa). Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Olá Renato!! Espero que esteja tudo ok consigo. Vi nos comentários do post anterior alguém pedindo um post sobre univerisdade. Como é um assunto curioso tentei procurar e não encontrei os posts que tinha escrito. Será que me poderia indicar? Agradecia! E tirar algumas dúvidas? Como funciona a dormida na univeridade. Já ouvi falar em sorteio de dorm numbers. Para depois os estudantes, pela ordem concedida, escolherem o dormintório pretendido. E como são as propinas? mais ou menos quanto dicnheiro custa um curso? e como escolhidas as pessoas propícias a scholarship? as faculdades concedem bolsas de estudo para pessoas (não americanas/estrangieras) que pretendam estudar numa instituição de ensino? Agradecia uma resposta sua! B j s

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá
      Como disse no comentário é muito difícil um post sobre o assunto pois cada universidade ou faculdade trata do assunto do seu próprio modo.
      Política de dormitório, bolsas, cursos, preços, etc Cada uma é diferente. Não existe uma linha geral que sirva para todas.
      É preciso escolher o curso, depois as escolas. Entrar na página delas e ler o conteúdo e entender a política de cada uma. Eu escrevi sobre a minha faculdade mas ela nem existe mais
      Então o conselho que eu posso te dar é esse. Vá nos websites e pesquise as que escolher
      Abs

      Excluir
  10. Oi Renato.
    Estamos nos mudando para a Florida.
    Minha esposa é médica e precisará revalidar o diploma ou fazer uma especialização.
    Já lemos vários artigos e blogs sobre o assunto, mas as informacoes são sempre conflitantes!
    Vc conhece os procedimentos para médicos exercerem a profissao nos USA , ou poderia indicar algum tipo de departamento ?
    Abs
    Yuri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Yuri
      Procure quem está exercendo a profissão nos EUA.
      Há um blog chamado Aventuras na Magic City, da Lorna bittencourt. Eles vieram para os EUA e o marido dela fez todos os procedimentos para se tornar médico nos EUA.
      Ela é o caminho pra vc. Acho que no blog dela ela explica tudo
      Abs

      Excluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...