quarta-feira, 28 de setembro de 2011

A Diabólica Comédia Americana Roast

Eu sempre achei que algumas pessoas não sabem a diferença entre “rir comigo” e “rir de mim”. Nossos amigos riem conosco, nossos inimigos riem de nós; é o que sempre acreditei. Quantas vezes eu não fui alvo de comentários maldosos e “brincadeiras” de mau gosto por parte de invejosos ou inseguros? A psicologia explica muito bem o que há por trás dessas brincadeiras. Até que toda essa minha teoria, aprendida em anos de terapia, foi posta à prova na primeira vez em que assisti a “comédia” (se é que se pode chamar assim) Roast. Roast é para quem consegue sabe levar na esportiva.

Alguns comparariam Roast com o Pânico brasileiro, mas eu vejo uma semelhança e uma diferença crucial. A semelhança é que ambas são de extremo mau gosto. A diferença é que no Roast, os “agredidos” estão ali de livre e espontânea vontade e não são pegos em portas de bares e festas pela equipe ridícula do Pânico. As únicas vezes que assisti a este infeliz programa foi pra ver o repórter Vesgo apanhar das celebridades. Aí sim é muito engraçado.


No Roast uma celebridade é convidada a sentar-se no "trono" enquanto outra celebridade tem de 5-10 minutos com o microfone livre e sem censura para dizer O QUE QUISER do convidado e das outras celebridades - vale tudo. As coisas que são ditas realmente poderiam causar uma terceira guerra mundial se esses insultos fossem trocados entre governantes. Brincadeira perigosa. O mais interessante é que ninguém liga, nem mesmo o agredido e todos riem. Em meio aos insultos, algumas palavras carinhosas de reconhecimento (geralmente no começo e no final) são ditas ao convidado, principalmente por este ser, como eles dizem, um bom esportista.

Reação de celebridade aos ataques...
o importante é saber rir de si mesmo

Celebridades sendo atacadas no Roast de Donald Trump
O convidado senta-se no meio do palco em uma bela cadeira. Do lado esquerdo, celebridades são apresentadas pelo anfitrião do programa e já de cara recebem um insulto. Uma a uma, essas celebridades vêm ao microfone e despejam insultos, verdades, mentiras, boatos e outras coisas a respeito das outras celebridades e por fim dirigidas ao convidado. "Vale tudo"...e a ordem é rir e não se ofender (se é que isso é possível). No final, o microfone é do convidado, daí é a vez dele insultar o anfitrião e os convidados – a melhor parte.
Roast de Pamela Anderson
No final é a vez do convidado descer a língua nos outros
Acredite, é considerado uma honra ser convidado para ser malhado no Roast. Quem aceita tem que entrar na brincadeira. E eles entram...se matam de rir, no entanto, alguns abrem um sorriso meio sem graça, porque o que é dito ali é forte. É a loucura americana levada ao limite e nesse ponto eu tenho que concordar que o americano sabe rir de si mesmo, reconhece suas loucuras, seus devaneios, estravagâncias e ri do próprio ridículo e em rede nacional.
Eu estava dormindo contente e feliz quando comecei a ouvir gargalhadas vindas da sala à meia noite e meia. Era o Robert se matando de rir assistindo Donald Trump ser malhado no Roast. Fui lá assistir um pouco e fiquei em estado de choque. Achei que estava sonhando...Primeiro por causa dos insultos, depois por ver Trump morrendo de rir com as piadas e por fim por ver como um amricano (Robert) se divertia com show.
Donald Trump chegando ao Roast
Para você ter uma idéia, vou escrever algumas das coisas que me lembro. Nem todas porque algumas dá vergonha de escrever...

Uma das atrizes de Greys Anatomy diz a Charlie Sheen:
“Após anos de abuso do estômago, rins e fígado eu fico impressionada que a única coisa removida de você foram seus filhos” (referindo-se à perda da custódia dos filhos) e a platéia “ahhhhhhhhhhhhh”
Atriz de Grey's Anatomy atacando Charlie Sheen

Charlie Sheen em Roast
Ela disse também “Espero que o Mike Tyson coma sua orelha!”. Mike Tyson fazia parte das celebridades esta noite e riu também. Inclusive quando ela começou a imitá-lo falando com a língua presa e em um inglês gramaticamente incorreto.

O anfitrião falando com Donald Trump “Quem no mundo tem um sorriso de lábios fechados que mais parece com a cara que fazemos quando alguém peida?” E o pior é que a camera focalizou Donald e ele tem mesmo... Aff
O anfitrião Seth MacFarlan

Trump com cara de quem cheirou e não gostou
Uma das celebridades falando com Donald Trump “Donald ganhou tanto dinheiro, dormiu com todas as mulheres americanas. Mas como é muito rico foi comprar prostitutas do leste europeu” referindo-se à esposa de Donald que ESTAVA NA PLATÉIA! Ela riu também!?

Marlee Martin (a atriz de “Quem somos nós?”) que é surda disse a respeito de si mesma “Eu vou me comunicar com ajuda de um intérprete em língua de sinais porque me disseram que quando eu falo, o som que sai da minha boca parece o da mulher do Charlie Sheen com o pau na boca” (desculpe essa eu tinha que contar...)
Marlee Martin em reação à piada feita
sobre sua deficiência auditiva.
E por aí vão os insultos, todos riem e ninguém se ofende. Você pode assistir o último episódeo com Charlie Sheen no youtube dividido em 13 partes.

Eu sei que gente civilizada rompe muitas barreiras, como por exemplo a do orgulho. Eu me orgulho muito de dizer que minha mãe e a mulher do meu pai são amigas.  Eu acho o máximo, porque diz que guardar ressentimento dá câncer sabe? Se é assim, então os americanos são definitivamente evoluídos, principalmente os que participam do Roast.


Roast Charlie Sheen parte 3 onde Kate Walsh ataca outras celebridades e Charlie Sheen. Já no começo ela diz ao anfitrião que a única diferença entre ele e a prostituta presa no armário é que, eventualmente, a prostituta "saiu do armário" (referindo-se a ele como gay que não saiu do armário). Como ela faz o papel de médica no seriado, ela dá o diagnóstico de cada celebridade...funny.
:-0

domingo, 25 de setembro de 2011

O que Fazer em Orlando?

Além dos parques e das compras, é claro...
Muitas pessoas vêm a Orlando visitar os parques, encher o carro com sete malas de compras e voltar para o Brasil. Ainda por cima depois, tem a coragem de dizer “Fui visitar os EUA”. E eu sou um deles que já fez isso :-)

Então não posso atirar a primeira pedra... Afinal, com os preços absurdos cobrados no Brasil, quem não quer aproveitar e comprar coisas que aqui custam até 1/5 do preço ou menos? No entanto, aqueles que querem realmente dizer que conheceram os EUA e aprenderam algo da sua cultura têm de fugir dos parques e outlets. Um “colega” meu no Brasil veio a Orlando e visitou 15 parques em 3 semanas. Perguntei a ele “E o que mais de Orlando?” ao que ele respondeu “não sei” ???

Para começar vê-se poucos americanos em outlets. É terra de, praticamente, brasileiros. Muitos vão aos outlets, pagam 1/3 do preço que pagariam no Brasil e saem contentes. Porém, saiba que americanos geralmente não compram nos outlets e shoppings por considerar que os preços são altos. E são mesmo! Se você quiser saber onde comprar realmente barato visite a minha página compras.

Visitando um site famoso sobre viagens ao exterior, uma leitora contribuinte deu-se ao trabalho de escrever sobre Orlando. Fiquei decepcionado pois o texto todo girava em torno dos parques e das compras e o melhor restaurante eleito foi Red Lobster. Are you kidding me? (Tá brincando?) Red Lobster é quase um fast food e eu já fiquei doente comendo lá. DUAS VEZES! Por insistência da Louise.

Na faculdade, meu professor de Literatura tem um ataque quando se fala em Disney, parques, etc. Segundo ele, é uma vergonha que Orlando seja conhecida somente por estas atrações frívolas. Eu sei, ele é radical. No entanto é uma pessoa de discernimento. Ele sempre diz que abomina a diversão artificial (parques) e ele tem razão. Mas o que fazer em Orlando então?

A cidade de Orlando é um charme em si. Alguém que só ficou em Kissimmiee ou nos resorts da Disney não conhece realmente Orlando. Talvez o aeroporto mas, alguns vêm de Miami. Quem quiser ver uma Orlando diferente, aqui vai um roteiro que a Paris Hilton jamais faria:

Um tour pelo centro histórico de Orlando. Pode-se fazer um tour de um dia inteiro por Orlando que inclui Lake Eola, Winter Park, Park Avenue, Rollins College, e a cidade de Celebration. Inclui um passeio de barco em Winter Park.





Um tour até o Kennedy Space (NASA) e aprender tudo sobre uma viagem ao espaço. O passeio também inclui visita às espaçonaves e um sorvete de astronauta.



Um mergulho com os incríveis e enormes Peixe Bois em Crystal River. O passeio é acompanhado de profissionais. Máscaras e snorkerls são fornecidos. Está incluído no preço um passeio de “air boat”


Passeio pelo “Everglades” um tipo de pantanal brasileiro na Flórida. A saída é de Orlando. Passa-se o dia inteiro em Miami, visita-se o Everglades e depois um  tour pela Ocean Drive pra conhecer os famosos hotéis Art Déco de South Miami Beach


Que tal um passeio em um Air boat? O passeio é em fazendas de crocodilos.


http://www.orlando-tours.com/?event=offer.detail&offerId=208

Uma visita ao Orlando Science  Center. O lugar é fantástico. Pode-se observar a Lua, o sol e diversos planetas do gigantesco telescópio. Tem ainda planetário e diversos filmes educativos. Imperdível!



Uma tarde no Lake Eola (centro de Orlando) nas Farmers Market e feiras de arte e bugigangas. O lugar é muito agradável e atrai muitas famílias e poucos turistas (eles provavelmente estarão todos na Disney!)




Aqueles que nunca foram ao Cirque Du Soleil no Brasil (afinal não são todos que têm 300 reais para comprar um ingresso) essa é sua chance. Em alguns dias específicos você paga até 50 dólares para entrar no circo. Vale a pena.


No museu Orange County Regional History Center você aprenderá sobre os 12 mil últimos anos da Flórida.  O museu fica em uma Courthouse de 1927 totalmente restaurada.


Não é preciso ir até Nova Iorque para assistir a uma peça da Broadway. Orlando também tem.


Por ultimo vou deixar a dica do Amway Center de Orlando. É possível consultar a programação com 3 meses de antecedência. Se você der sorte pode pegar um bom show. O local foi inaugurado recentemente e é impressionante. Que tal assistir um jogo de basquete da NBA? Mesmo quem não gosta de basquete é interessante ver. É um show a parte.



Experimentar a culinária americana também deve fazer parte do passeio. Para aqueles que gostam de comer bem, a página “comer” no início do blog tem boas dicas de restaurantes onde a única coisa apimentada é a comida. Afinal, McDonald’s e outras porcarias têm também no Brasil.

E você? Tem alguma dica de Orlando que gostaria de compartilhar conosco? Deixe seu comentário.

sábado, 17 de setembro de 2011

Passeando em Winter Park


Winter Park, ao contrário do que alguns pensam, não é um bairro de Orlando e sim uma cidade. Segundo uma estimativa feita em 2006, aproximadamente 30 mil pessoas vivem ali. A cidade é um charme, muito bem cuidada. Park Avenue, a avenida principal e mais badalada de Winter Park, é cheia de lojas, galerias de arte, restaurantes, sorveterias e tem também uma mini confeção caseira de chocolates que são expostos na vitrine como obras de arte.



Sapatos de salto alto feito de chocolates
Meu poder aquisitivo (no momento) me permite almoçar no Pannulo’s e talvez tomar um sorvete de blueberry na sorveteria across the street. O sorvete, por sinal é um dos melhores que já experimentei na vida. Nem mesmo na Itália encontrei um tão delicioso. Mas vamos um pouco da história.
Winter park, antes da virada do século XX era um resort de ricos industriais americanos. A cidade foi crescendo aos poucos em volta do resort. Chega de história.

Andando por Winter Park você nota que os ricos americanos gostam muito do lugar. É muito agradável. Todos os sábados e domingos tem a farmer’s market (feira de fazendeiros) onde pode-se comprar desde verduras, frutas, flores, plantas até mesmo cup cakes. A Park Avenue é “dog friendly”e em quase todas as portas das lojas você encontra potes de água para os cães de raça (a maioria) e os resgatados (SRD) se refrescarem. Madames desfilam com seus poodles e outros tipos de cães. Mas tem também gente comum como eu e alguns amigos brasileiros que marcamos um encontro em Winter Park esta tarde. Todos estes amigos, feitos graças a este blog.
Americano não come só hamburguer viu?



Cidade dog friendly
Por duas vezes ouvi outras pessoas falando português, almoçando na calçada, em frente ao fino restaurante. Do lugar onde estávamos, podíamos ver as crianças correndo no gramado do parque e também quando o antigo Amtrak (trem) passou. O lugar é lotado. Lotado de lojas, de gente bonita e educada. E se você tiver dificuldade em encontrar um lugar para estacionar é só lembrar do filme O Segredo ok? Faz um pensamento e a vaga aparece! Como no filme...

Com telhado em estilo francês o jornaeiro é daqueles que você põe
a moeda e tira um exemplar somente...e é o que todos fazem.

É claro que eu perdi um tempinho entrando em uma loja de artigos de cozinha. Meu irmão Chefe André Meana ficaria louco aqui nessa loja. No entanto, os mesmos produtos você acha 50% mais barato no Target e em outras lojas de Orlando.


Terminamos o passeio visitando uma loja que eu queria muito conhecer, a Restoration Hardware. A mobília exposta é totalmente feita de material de segunda mão. Madeira extraída de galpões, linhas de trem, etc. Vi também travesseiros e estofados feitos de tecido de saco de exportação de grãos. Mas não pense que, por esse motivo, a mobília é barata. Ao contrário, com estoque limitado e de peças únicas, é quase lógico que eles fossem custar os olhos da cara, como se preço caro tivesse alguma lógica. No entanto, tudo é uma questão de equivalência, não concorda? Para quem tem um milhão de dólares, dois mil dólares é o mesmo que 20 dólares para mim. E afinal, o que você queria? Você está em Winter Park...


 

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Annabelle e o Parque para Cachorros


A primeira vez que ouvi falar disso foi o ano passado quando eu estava caminhando em Baldwing Park e vi um monte de cachorros juntos em uma parte do lago Baldwing. Depois li os sinais “Dog Park” e achei interessante. Parei e fiquei observando os cachorros brincarem livres, sem coleiras e uns com os outros. O incrível é que fiquei quase uma hora e não ouvi quase nenhum cachorro latir e nenhuma briga entre eles. Seriam todos mansos ou talvez pelo fato de observarem outros cães eles sabem que não é pra arrumar confusão? Sei lá, o fato é que eu queria levar a Annabelle no parque mas estava com receio. E se um cachorrão atacá-la? É claro que eu entro no meio, mas não quero que ela se machuque de jeito nenhum. Finalmente consegui convencer o Robert a ir comigo. Dois contra um cachorro é definitivamente melhor.
Da primeira vez só fiquei observando
Já fazem 4 meses que a Annabelle (pronuncia-se Anabel) chegou aqui em casa e este mês ela completa 7 meses de vida. Dá pra imaginar? Uma coisa que só viveu 7 meses? Não admira tanta curiosidade... Ela está muito bem, mas como todo filhote apronta bastante. Sexta-feira passada eu gelei quando a Louise começou a falar Não! Não! Não! E ao chegar no quarto dela era “só pena que avoa...” A danada estraçalhou o travesseiro de penas da Louise. Ela deve ter sacudido tanto o travesseiro que tinha pena por todos os lados. Nem se via o piso devido a quantidade. Entupiu o aspirador de pó!

Assim que Annabelle chegou eu comentei que queria castrá-la pois tenho más experiências com fêmeas de Cocker e câncer de mama. Pensei em comentar com a veterinária na primeira visita. Resolvi não levar Annabelle no veterinário e pagar para um vir em casa. Além de custar menos que a consulta no consultório, tem menos estress. O Robert já contrata essa veterinária por 18 anos para cuidar dos gatos dele (A Mabel tem 21 anos!) e ela é muito legal. A visita é 40 dólares (no consultório 60-80) e o que você precisar ela tem em sua caminhonete. Vacinas, remédios, shampoos, talcos, etc. Parece uma loja. Resolvi que ia comentar com ela a respeito da castração.
Depois de explicar o assunto, ela me disse que o melhor mesmo era operar a Annabelle o mais rápido possível assim a recuperação seria melhor. Ela quis marcar logo para o sábado. Preocupado com o custo, perguntei quanto ficaria. Ao que ela me disse que a operação toda ficaria 40 dólares. O quê?? Pensei ter ouvido errado. No Brasil pediram 350 reais para castrar a gata da minha mãe na universidade! Ou seja, feita por alunos assistidos por um professor. Fiquei espantado e feliz. O lugar não é um consultório particular. Chama-se SPCA (Sociedade para Prevenção de Crueldades contra Animais) É uma sociedade ou Ong, não sei dizer, mas por isso é tão barato. Todos os veterinários trabalham voluntariamente e você só paga o custo do procedimento e depois compra os remédios lá mesmo. Tudo correu bem. Annabelle veio com a barriga sem pontos externos, nem pareceia que tinha feito nada! No dia seguinte já estava pulando.
http://www.ohs-spca.org/
Voltando ao assunto do parque, fiquei contente de o Robert ter aceito o convite de ir comigo. Porque se um Pitbul resolver atacar, pelo menos o Robert tá lá pra ser mordido também. Solidariedade é tudo...No começo eu fiquei muito apreensivo. Os cachorros correndo eram enormes e as brincadeiras deles de mau gosto sabe? A Annabelle se comportou muito bem. Curiosa queria cheirar todos os cachorros e quando a gangue dos pitbuls (três) vieram correndo para se apresentar ela ficou quietinha e eles fizeram a “inspeção”. Depois de ficar com muita dó (a Annabelle era o único cachorro na coleira), resolvi soltá-la. Que cachorra fina que eu tenho... Ela olhou os outros cachorros fazendo a maior bagunça mas não se misturou. Eu falei “isso mesmo fia, não é porque late em inglês que não é má companhia”. Brincou sozinha, nadou um pouquinho (e eu não parava de pensar em jacarés!), cheirou tudo ao redor e não incomodou ninguém. Até mesmo uma mulher falou pro cachorro dela: “Hey, brinca com esse aqui que ele é muito comportado” Eu disse “essa aqui... é fêmea!”
Más companhias...

Entrada

Novos amigos?

Piscinão de Ramos - cada mergulho é um flash! kkk

Comportada, nadou sozinha, se divertiu bastante.


Bebedouro para os cães
Depois de nadar ela deu uma rolada básica na terra e ficou marrom. Mas não tem problema, o parque tem chuveiro, shampoo, sabão, tudo sem pagar pra vc cuidar do seu bichinho ou bichão. Dei um banho rápido na Annabelle porque, com o calor que fazia, é claro que ela ia pular na piscina ao chegar em casa...
Tem chuveiro, shampoo, etc para seu cão tomar banho
 Um vídeo da Annabelle nadando. Repare como ela coloca a cabeça dentro d'água...muito engraçado...
video

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...