segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Entrevista com Renato Silveiro Alves


          Quando teve a ideia de escrever um blog sobre estudar nos EUA, mal imaginava Renato que receberia tantos emails todos os dias. Assim como ele, muitos brasileiros têm vontade de estudar fora do país, mas encontram dificuldade em obter informações seguras a respeito do processo. O blog Um Brasileiro na Terra do Tio Sam recebe atualmente 1000 visitas diárias, já tem 1500 comentários publicados e respondidos e Renato recebe, em média, 5 emails por dia contendo dúvidas dos brasileiros. Pensando nisso, nosso entrevistado hoje é o dono do blog, Renato. Aproveitando um email enviado por uma leitora que contém dúvidas pertinentes, Renato resolveu respondê-las em forma de entrevista, assim fica mais fácil para outros que têm as mesmas dúvidas.

Em visita da faculdade a uma casa sustentável
Eu, minha amiga Gina e Sérgio (ambos americanos).

Olá Renato, Boa tarde.
Sou uma aspirante a estudante nos EUA e venho acompanhando seu blog a muito tempo. Primeiramente parabéns pelo seu trabalho no blog; é ótimo encontrar conteúdo importante e muito bem escrito de forma a prender a atenção do leitor (antes de ler seu perfil pensei que você tinha formação em jornalismo rsrs)...enfim quero parabenizá-lo assim como muitas outras pessoas já o devem ter feito!!!! Obrigada por manter o blog vivo e sempre com conteúdo atualizado.
Por acompanhar seus posts, percebo que seu ritmo de estudos é bem agitado, por isso envio minhas dúvidas na esperança de que talvez você tenha alguns minutinhos para me ajudar, mas ao mesmo tempo sei que talvez isto não venha a acontecer devido ao seu horário apertado. De qualquer forma continuarei imensamente grata por ter acesso ao blog e assim acompanhar os acontecimentos.
Estou planejando ir estudar fora em 2013, no inicio das aulas em setembro. Para isto comecei a realizar pesquisas, economizar cada centavo etc....
Estou na etapa de criar as listas e mais listas de "coisas para fazer", entre meus próximos passos estão:
* Buscar diploma da graduação na universidade
* Providenciar traduções juramentadas
* Estudar muitooo para o TOEFL e GMAT (medo!!!)
Minhas dúvidas na verdade são mais sugestões para que você escreva posts sobre estes temas se for possível, e assim ajudar não somente o meu processo de pesquisa como o de muitas outras pessoas. Seguem alguns pontos que tenho curiosidade em saber, veja se vale a pena aproveitar algum..rsrs

                  Obrigado pela visita e pelos elogios Angélica. Se você reparou, existe muita diferença na forma com que eu escrevo hoje e os posts que escrevi no princípio. Mas como alguém deve ter dito, a repetição é a mãe da perfeição. Fico lisongeado pelo seu comentário de que achava que eu tinha formação em jornalismo. Parabéns pelo planejamento. Planejamento é fundamental e organização ajuda e muito, como por exemplo, as suas listas que eu também fiz.
Vamos lá!

* Semestre Letivos (algumas universidades oferecem a opção de estudantes não assitirem aulas no Verão - (não sei se isto ocorre na Flórida né, são mais abençoados com o calor do que a costa leste). Isto ocorre na universidade que você frequenta? Como é o processo?

      O engraçado Angélica é que não se obtém essas informações até estar dentro da faculdade/universidade. Em quase todos os sites que visito, nem ao menos encontro o período de duração das matérias. Na minha faculdade o Term (termo) tem duração de 10 semanas. Ao final deste período tem-se uma semana de descanso. Uma vez por ano temos um intervalo de 15 dias que não coincide necessariamente com o verão. E como o ano dividido por 10 semanas não tem resultado exato, a cada ano, os "breaks" caem em datas diferentes. Onde eu estudo não há a possibilidade de não assistir aulas no verão. Mas há a possibilidade de ficar um termo "off" por ano. Muitos pegam o verão mas daí o curso atrasa em 3 meses por ano.Cursa-se 3 matérias por termo, no mínimo. Se você pode pagar mais pode cursar 4 e no máximo 6. As aulas têm duração de 5 horas da mesma matéria. A cada 50 minutos, 10 minutos de "break", o que nem sempre é respeitado. Meu professor de inglês, por exemplo, em 5 horas dava 2 breaks de 15 minutos. Para cada hora de aula assistida na faculdade, é esperado 2 horas de trabalho em casa, muitas vezes essas duas horas podem chegar a 4 ou mais. Como aconteceu na semana passada que passei 40 horas trabalhando no projeto final de Interior Design I. Algumas faculdades daqui de Orlando como Seminole State College, Valencia e UCF têm termos de 4 meses de duração.


Cada cartaz de apresentação desses demora 3 horas só para
montar. Sem contar os desenhos e fotos impressas. No final
do termo eram 6 desses para fazer.

* Em suas economias para estudar, você conseguiu o valor total do curso? Algumas universidades pedem o valor total, outras pedem para comprovar ter dinheiro para pagar um semestre. Como foi o processo na sua universidade? Estou economizando muito, mas tenho receio de não conseguir o valor total do curso, ainda mais considerando que tenho que ter uma reserva para emprevistos. Como você lida com isto?

          A minha faculdade exigia a comprovação de 1 ano de curso ou o valor total de 25 mil dólares. Eu economizei bem mais que isso e fiz um plano para só estudar por 4 anos com ajuda financeira da minha família no Brasil. Se não tivesse ajuda, faria como a maioria dos brasileiros. Arrumaria um trabalho na faculdade ou mesmo fora dela. Oportunidade é o que não falta. Mas não é coisa que se fala publicamente, entende?

* Cursos Extra - Cursos de verão ou cursos de inverno são comuns nas universidades. Você indica? Teve vontade de fazer algum?

          Sim, existem muitos cursos extras, mas tem-se que pagar por eles e, no momento, eu não tenho este extra para cursá-los. Além do mais, só as 3 matérias que curso tomam muito do meu tempo. Só tive vontade de fazer um curso extra voltado para cozinhas e banheiros, mas ainda bem que não fiz. Quem fez disse que não valeu a pena.

* O que é muito diferente do que você esperava em relação a estudar em outro país?

          O que é muito diferente é o ritmo. Enquanto meu último semestre na faculdade no Brasil eu cursei 13 matérias, aqui só faço 3 por vez. Outro fator é a dificuldade. É bem fácil ficar com A aqui, pelo menos na IADT. Não sei como funciona em outras universidades. Mestrados e Doutorados devem ser difíceis. Por fim, tive que aprender a escrever novamente. O sistema de escrita acadêmico americano é bem formatado cheio de regras específicas, como por exemplo, a redação de 5 parágrafos que todos sabiam na classe e eu nunca tinha ouvido falar. É tudo muito cheio de regras por isso foi importante fazer English Composition I e II novamente, mesmo tendo estudado bastante para o TOEFL no Brasil. Todas as outras matérias (inclusive english) exigem que se use a formatação MLA (Modern Language Association). E isso tudo eu tive que aprender sozinho.

* Atividades extra. Esportes, academia, exposições etc.... como você descreveria a utilização destes benefícios? Você utiliza? Quem não utiliza deve pagar as taxas mesmo assim ou somente quem pretende utilizar deve pagar?

          Somente quem deseja utilizar deve pagar. Eu nunca fui na faculdade, as pessoas que utilizam não me agradam. Eu frequentava o YMCA (ACM no Brasil) que é fantástico e barato. Eu pagava 45 dólares por mês com direito a tudo menos aula de natação. No entanto, podia usar a piscina. O YMCA tem inclusive saunas, que eu aprecio muito. Infelizmente, mesmo no Brasil, não consigo pertencer a uma academia por muito tempo, mas pretendo voltar em Janeiro.


Enfim...essas são algumas sugestões do mundo acadêmico que gostaria de ver no blog e claro, curiosidades do dia a dia estão entre minhas preferidas....comidas, curiosidades, lojas...passeios, cultura, costumes e afins.
Desde já agrdeço a atenção.
Atenciosamente,
Angélica

           You are welcome Angélica. Infelizmente não tenho tempo para dar uma atenção exclusiva a nenhum leitor porque são muitos os emails que recebo todos os dias. Algumas pessoas acham que meu blog é balcão de informações. Não se identificam, não dizem olá, por favor, obrigado e alguns ainda precisam das informações URGENTES. Estes eu não respondo, às vezes nem publico. Outras pessoas pedem informações específicas. Outro dia recebi um email de uma senhora perguntando sobre uma cidade ao norte. Quais os melhores bairros, melhores restaurantes, escolas, índice de criminalidade, transporte público e uma porção de coisas. Contei e eram 15 perguntas no total. Acredito que ela gostaria que alguém pesquisasse para ela. Por isso ofereci meu serviço de consultoria. Informações desse tipo levam horas, senão dias para pesquisar. Ela se quer retornou o email. No entanto, na maioria das vezes, recebo emails de pessoas educadas como a Angélica, que leu o blog, os posts e os comentários e tem dúvidas que são pertinentes e que ainda não foram respondidas no blog. Estas eu publico e respondo... se souber.

Para os sem noção...felizmente são a minoria :-)



19 comentários:

  1. Rê, o que eu adoro em você é o senso de humor!!!
    Esse " remédio" do final...impagável!!!
    Olha, eu admiro demais todo o seu empenho para fazer a faculdade aí em Orlando. Esse post vai ajudar muita gente!!!Mais uma vez, arrasou!!!
    Mil beijos

    Si

    ResponderExcluir
  2. Renato como sempre fantástico em suas explanações.

    Beijos

    Carol Satyro

    ResponderExcluir
  3. olá Renato.
    ADOREI o remédio!!! Menino vc me envia um pouco, preciso destribuir com urgencia no local onde trabalho.
    Continuo a afirmar, que vc poderia ser cronista.

    ResponderExcluir
  4. Re, tira uma dúvida. Eu sei que com o visto F-1 no caso de undergraduation não pode trabalhar legalmente no primeiro ano. Você colocou alí que não se divulga, mas que tem várias oportunidades para o pessoal que quer trabalhar para ajudar nos estudos. Quais são os bicos/trabalhos mais comuns feitos pelos estudantes por aí? E os estágios, como funcionam?

    Beijos

    Carol Satyro

    ResponderExcluir
  5. Carol
    Existem três opções de trabalho:
    - No campus da faculdade a partir do primeiro dia. Se gostarem de você, você já pode começar a trabalhar.
    - Pedir uma autorização de trabalho no escritório do seguro social. É possível obter mas tem que comprovar que sofreu uma reviravolta financeira imprevista (e como se prova isto?).
    - Trabalhar por no comércio de brasileiros ou hispânicos. Pode ser com limpeza, lojas de perfumes, de eletrônicos, restaurantes, supermercado, hotéis e qualquer outro tipo de comércio. Pode-se também fazer limpeza em casas ou baby "sister" (como eu vi escrito no supermercado brasileiro - gente é babysitter, tudo junto). Os trabalhos são de longas horas e paga-se o salário mínimo de 7.25/hora.

    Estágios são feitos com autorização da faculdade. Podem ser remunerados ou não e geralmente só podem ser feitos após um certo número de créditos. Na minha faculdade é só no último ano e deve ter duração mínima de 6 semanas. Mas varia de escola para escola.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. UHu!!!!Bravo, bravo...brilhante como sempre. Parabens !!!! Bj

    ResponderExcluir
  7. Oi Re (nao sei se posso falar com tanta intimidade, mas como te acompanho assiduamente ja me sinto sua amigakkkk) eu e meu marido estamos recebendo algumas informacoes de quem mora ai e uma duvida que fico e com relacao aos processos, e tudo tao rigido mesmo? Outro dia um rapaz me disse que uma crianca se machucou na casa do amigo dele e este foi processado ! Jura que o negocio e tomou, levou ??? Nao publique, e so uma observacao.

    ResponderExcluir
  8. Flávia, me desculpe mas achei válida a pergunta e gostaria de responder.
    Diferente do Brasil, nem tudo aqui acaba em pizza. É a moda americana de processar. Nunca ouvi um caso assim de amigos processarem outros porque o filho se machucou na casa de um deles. Isso já é loucura! Mas acredito que é má intenção mesmo.
    O que ocorre é que se você acha que sofreu algum dano, pode processar. Se você cair no Walmart por que o piso estava liso, molhado, com óleo pode processar.
    É uma maneira de ganhar muito dinheiro por aqui. Por exemplo, se um carro bate em você de bicicleta ou mesmo atravessando a rua você pode sair dessa com um milhão de dólares. É claro que quem paga é a seguradora do infrator.
    Já vi na TV uma velhinha que caiu no Walmart e pedia indenização de 300 mil. A câmera de segurança mostrou que ela gentilmente deitou-se no chão e começou a gritar.
    Outros que sofrem qualquer tipo de acidentes processam e recebem um bolo de dinheiro.
    Por isso nos sinais de stop as pessoas nem mesmo olham para os carros. Abaixam a cabeça e atravessam porque ser atropelado é quase como ganhar na loteria.
    Pais processam o McDonalds porque os filhos ficaram obesos porque comeram demais no restaurante...etc
    Enfim tem muita gente mal intencionada e muito advogado querendo receber também.
    Em alguns casos, por exemplo, é justo. Eu tive meu carro batido (parado) na rua 2 vezes em menos de 6 meses. Se fosse aqui poderia ter processado quem bateu por toda inconveniência, desvalorização do meu carro, dor de cabeça, prejuízo etc. Teria ganho o dinheiro para comprar um apto!!
    Abs!

    ResponderExcluir
  9. Baby sister é de lascar!

    Adorei o remedinho, pena que não existe, mas quem sabe né?

    ResponderExcluir
  10. Renato, adorei o post. Aqui, RJ, agora até balcão de informação antes da sua pergunta se você não cumprimentar a atendente, ela o faz,rsrsrs Planejar viver/estudar por um bom tempo nos EUA é algo que sonho, e as respostas me foram úteis e todo seu blog, obrigada sempre por mantê-lo e eu sempre estou por aqui, viu?!!

    ResponderExcluir
  11. Oi Wilma
    Obrigado! Seja sempre bem vinda
    Abs!

    ResponderExcluir
  12. Olá Renato..
    Meu nome é Anna,sou de Sao Paulo,capital.
    Queria te parabenizar pelo blog,adoro as suas postagens,vc realmente é muito criativo e tem muito senso de humor,que é claro da um toque a mais nos posts.
    Assim como vc eu tambem gostaria de um dia viver o sonho americano..morar, trabalhar,estudaar..
    Infelizmente ainda nao sera possivel, pois ainda tenho uns projetos inacabados no Brasil..mas assim que concluidos, gostaria muito de conhecer a terra do tio Sam..
    E vc tem me dado informaçoes valiosissimas e ainda assim lendo os seus posts me faz parecer estar um pouco mais perto dos EUA..
    Mais uma vez parabens,e continue postando por favor..
    ADOROO kkk
    abçs

    ResponderExcluir
  13. Ana
    Tudo começa com um sonho, depois o trabalho árduo e o planejamento tornam o sonho realidade. Obrigado pelos elogios! Continuarei postando com certeza.
    Abs!

    ResponderExcluir
  14. Cara, é sempre um sonho ler sobre como as coisas são pro-ativas nos EUA em relação ao Brasil. Infelizmente mesmo estando longe você ainda é vitima de gente como essa senhora que descreveu, havida por abusar de você, um costume compartilhado por muitas pessoas no Brasil. Outro dia eu estava no supermercado e uma senhora me abordou querendo o meu carrinho.. disse que tinha direito porque era idosa, e que aquele carrinho era p idoso, não disse nem um por favor, e em quanto eu olhava ao redor procurando um outro carrinho para ela, sabe o que a infeliz disse e fez? Segurou no meu braço e disse: Você esta com preguiça de carregar as coisas! Um rapaz tão novo. Porra, vai abusar outro, perdi a paciência e sai andando, isso não tem cabimento, além de ser incomodado ainda sou chamado de preguiçoso... No mesmo momento pensei: Porque ela não vai abusar um funcionário? Coisas do Brasil, onde as pessoas são acostumadas a pedirem a mão e levarem o braço.

    ResponderExcluir
  15. kkkk
    Até imagino. Aqui também tem isso mas acontece pouco, pelo menos onde eu vivo. Eu desisti de frequentar o supermercado da periferia de SP onde vivi na casa de meu pai por um ano porque tinha briga todo dia dentro do supermercado! Todas as vezes que eu fui teve briga. Na terceira, prometi pra mim mesmo que jamais pisaria alí novamente...
    Abs

    ResponderExcluir
  16. Renato.Muito bom o seu texto.Bem explicativo e pé no chao.Recebo poucos e-mails desses mas sempre tem um abusado/a.

    Para o Sulamy.
    Pessoas assim existem em todo o lugar,meu caro.
    Se voce frequentar outros paises vera que todos os defeietos do mundo nao sao so brasileiros.

    ResponderExcluir
  17. Para Verdadeira Itália:

    Nem por um minuto acredito que todos os defeitos do mundo são oriundos do Brasil, na Itália mesmo pude testemunhar varias vezes esse fato, a questão esta muito mais ligada a educação pessoal que propriamente ao país do fato, logo se pode entender que educação não é para todos.

    ResponderExcluir

Etiqueta cai bem em qualquer lugar, até na internet. Seja educado ao comentar e perguntar. Olá..., meu nome é..., por favor e obrigado são palavras que ainda estão em uso e mostram cordialidade. Afinal, o blog não é balcão de informações de shopping e embora eu esclareça as dúvidas de todos de bom grado, não ganho nada para isso.
Obrigado por comentar e abração!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...